Onde comprar Protetor Solar

16/08/2017  •  Por Thereza  •  Beleza

Voltamos com mais uma edição do #OndeComprar! Depois de compartilhar dicas de stick de contorno, vamos para um assunto sério: filtro solar! Pedro Bial não fez aquela canção à tóa, é preciso usar filtro solar! E não só se besuntar de Sundown na praia, mas no dia a dia, na vida real. Você sabia que até pra ficar em casa de frente pro computador é preciso de filtro solar? Pois é.

Daí eu fiz uma seleção democrática de alguns que uso e também recorri às leitoras no #MelhoGrupo pra saber o que o pessoal tem usando e então fazer uma lista definitiva. Vem comigo!

AVÈNE | VICHY | LA ROCHE-POSAY | ISDIN | BIODERMA | ROC | LANCÔME | EPISOL

FAVORITOS/BESTSELLER

Eu intercalo entre dois favoritos, o da Avène e o Capital Soleil da Vichy, ambos funcionam bem na minha pele que é mista, pois eles tem boa cobertura, não melecam e absorvem rápido (importante). E os dois foram dos mais falados na escolha das meninas, dois clássicos da proteção solar diária. Junto aos favoritos, o Anthelios Airlicium da La Roche-Posey, outro queridinho e com proteção solar variada.

REVELAÇÃO

E eis um produto que não conhecia, mas foi tão falado entre as meninas que fiquei curiosa! O Fusion Water da Isdin foi muito bem recomendado por se tratar de um protetor leve, com boa textura e que seca rápido, fiquei bem surpresa. Outro queridinho e que não conhecia é o da Bioderma, mais um que foi recomendado por ser sequinho e ter uma boa cobertura, praticamente um “pó líquido”, pra quem se incomoda com certas texturas, parece ser duas boas opções mais secas.

VALE FICAR DE OLHO

Outro produto bastante popular no quesito proteção é o Minesol da Roc, versão gel e com fácil absorção. Agora um produto que eu amo e já surrupiei muito da minha mãe – é o favorito dela – é o Expert Shield da Lancôme, eu sou muito incomodada com cheiro de protetor e esse foi o primeiro que usei justamente por isso, você nem sente que é protetor.

Por fim, outro queridinho e bem recomendado entre as leitoras e feito no Brasil, é o Episol Color, tem alta cobertura, não tem cheiro e ainda uma boa variedade de cores.

ADCOS | PROFUSE | SHISEIDO | AVÈNE

Agora um tema que eu amo, na realidade acho que é meu favorito, é o futuro! Protetor solar em pó/compacto! Acho tão melhor de passar e tem a melhor função: retocar o protetor. Quem nunca passou protetor de manhã, precisou retocar horas depois e como faz com a maquiagem? Tira? Daí que entra uma versão pó, acho que é uma boa solução.

O que eu mais uso é o Pó da Adcos, apesar de caro, uma camadinha com FPS50 já ajuda na proteção. O Ensolei da Profuse também é ótimo e versão cremosa com base. O da Shiseido é um clássico e esse da Avène estou doida pra testar, a contar pela qualidade da marca no segmento, é uma boa dica e com preço razoável.

E como é a rotina de proteção solar de vocês? Quais produtos usam?

Problematizando o termo anti-idade (e a capa mais bonita do ano!)

15/08/2017  •  Por Thereza  •  Beleza, Pense

Outro dia conversamos sobre a idade que temos e a pressão da sociedade em nos empurrar a juventude como objetivo de vida, quando deveria ser justamente o contário (a meta é ser velhinha, afinal, sinal que vivemos muito rs). Eis que ontem me deparei com a capa da Allure que não só nos premiou com a maravilhosa Helen Mirren, como trouxe um debate válido.

Já disse aqui várias vezes que a Allure é minha revista favorita. Ela é de beleza, mas tem moda, comportamento, pra mim é o guia da mulher antenada e interessada nesse universo, mas sem afetação ou pretensão.

E a capa de setembro – a principal edição do ano – vem pra quebrar paradigmas, afinal, quantas vezes a gente vê uma mulher de 72 anos esfregando na capa suas rugas, histórias e muita inspiração? O recheio está igualmente lindo.

E além da entrevista, na qual Helen fala da sua relação com Hollywood, feminismo e como é envelhecer sabendo tirar proveito disso, um manifesto me chamou a atenção. O fim do termo anti-idade.

Como uma revista de beleza vai deixar de falar uma palavra tão comum? Como vão parar de dar dicas de produto anti envelhecimento, muitos deles bancados por patrocinadores? A revista não vai propor que as pessoas parem de usar produtos com essa finalidade, pelo contrário, eles vão continuar indicando, falando, só sugerem a mudança da nomenclatura, simples assim.

“Queiramos, ou não, estamos sutilmente reforçando a mensagem de que o envelhecimento é uma condição e que precisamos lutar contra ele”. Né? E sigo citando a editora da Allure, Michelle Lee, “Se tem algo inevitável nessa vida, é que ficaremos velhos. Cada segundo. Cada minuto. E mais, muitos de nós não teremos a oportunidade de envelhecer. Com isso, ficar velho é algo incrível e significa que tivemos a chance, todo o dia, de viver uma vida feliz, simples assim.” Né??

Já contei pra vocês que minha nova idade me deixou um pouco mais reflexiva (ou sensível, rs)  com esse tema e essa questão, digamos existencial. Ao mesmo tempo que tenho 9 produtos de skincare na minha cabeceira que uso antes de dormir (e eu amo essa rotina), tenho pavor de agulha e nunca me arrisquei em nada mais ousado, apesar de ter vontade. Junto a tudo isso, esse tema tem me chamado muito mais atenção que 1 ano atrás.

E ver um manifesto de uma revista do porte da Allure nos faz simplesmente parar pra pensar e ao menos quebrar uma condição automática e totalmente enraizada na nossa rotina, envelhecer é ruim? Sem hipocrisia, a idade chega e surgem problemas, é natural, mas é importante rever conceitos e até estigmas que só trazem mais peso pra nossa luta diária de aceitação.

E a revista segue falando sobre o peso da tal da ANTI-IDADE, junto a ela vem expressões que deveriam ser banidas ou, ao menos, revistas: “ela parece ótima para a idade que tem”, “ela é linda para uma senhora de idade”. Isso é tão automático, quem nunca pensou ou até mesmo falou algo parecido? Tipo aquela história que falei da Sandy, 34, estar “conservada”. No lugar disso, a revista sugere substitutos: “Ela está ótima”, “Ela é linda”.

E a Allure finaliza, “Parabéns às marcas que já refletiram sobre o termo, e quem ainda não o fez, sabemos o quão é difícil rever embalagens e o marketing de todo um produto, mas essa conversa precisava ser iniciada para haver a mudança e celebração da beleza de cada idade”. E a própria Helen conta que já teve essa conversa com a L’Oréal (marca na que ela é uma das  embaixadoras) e eles já estão em processo de rever esse conceito. Achei bacana!

Eu achei tão incrível e certeiro da Allure propor essa mudança e só prova que com o tempo temos questionado hábitos e caminhando pra uma mudança positiva e um mundo mais fácil de se viver!

E vocês, já pararam pra pensar no termo anti-idade? A gente quer sim creminhos e afins, mas e o peso da palavr? Sei que muita gente pode achar até exagero, mas são esses detalhes que desenham um novo momento e no futuro a gente olha pra trás e acha transformador.

 

A vaidade foi longe demais? Conheça o coquetel de vitamina na veia

10/08/2017  •  Por Thereza  •  Beleza, Saúde

Você é vaidosa?! Bom, esqueça todo e qualquer procedimento estético que você conhece, acho que esse superou. Obviamente envolve polêmica e questionamentos, afinal, qual é o limite da vaidade?

Tenho visto pelo stories algumas celebridades (a última foi a Steph Shep) no soro, isso mesmo, no soro, só que não no hospital, mas num local casual, num dia qualquer. Como boa curiosa, fuxiqueira, investigadora que sou, fui desvendar e mistério e logo abriu-se um novo universo (que talvez eu neeem queria ter conhecido) de vitamina na veia.

Os IV Drip spa ou os Injection Bar, do que se trata? Explico. São lugares que desenvolvem um coquetel à la carte e customizado de vitaminas e injetam direto na sua veia. Você pode tá querendo se curar de uma ressaca, acabar com o jet-leg, evitar uma gripe, repor uma vitamina no seu corpo, tem de tudo.

Existem clínicas de tratamento exclusivas para esse tipo de tratamento e muitos spas que já colocaram em seu cardápio esse tipo de procedimento, o negócio é uma febre lá fora e já foi recomendado por famosas como Rihanna, Chrissy Teigen e Gwyneth Paltrow.

O que os profissionais garantem é que, diferente de comprimidos de vitaminas que perdem muito de sua absorção durante a ingestão, o tratamento intravenoso é mais eficiente e poderoso, pois seu sangue recebe na hora uma alta dose de vitaminas, minerais e aminoácidos, tudo a gosto do freguês. O tratamento garante um aumento de energia, imunidade, melhora seu humor, sono, pele, tudo em meia hora, 500ml e resultando instantâneo.

Dentre os tratamentos, é possível encontrar shots de vitaminas como: L-Carnitina (reduz colesterol, pressão sanguínea), Biotina (pra quem sofre com perda de cabelo), Vitamina B6 (ajuda na perda de de peso, aumenta serotonina), Vitamina B12 (acelera o metabolismo), Vitamina B (melhora energia e imunidade), Vitamina C (Cuida da pele e evita gripe), esses pontuais custam na faixa de U$25.

Ainda existem tratamentos com mix de ingredientes que tem função múltipla, tais como: Coquetel de vitaminas anti-cansaço; Hidratação; Antiidade; Detox; Ressaca (bestseller); Enxaqueca; Jet-Lag e outros tratamentos que podem ser customizados de acordo com a necessidade vigente.

Entre spas espalhados por todo o país, um dos mais famosos é o Le Jolie, em Los Angeles (dizem que é o favorito das Kardashians), ele tem uma decoração moderninha e que nem faz parecer que você está passando por um procedimento invasiso. Muitas pessoas realizam festa da vitamina, tudo pra ficar vitaminada em conjunto, é mole?!

As clínicas contam com médicos que avaliam a sua necessidade e enfermeiras, que aplicam e acompanham toda sua curta estada, ainda é possível receber o IVDrop no conforto do seu lar. E logicamente o tratamento é polêmico, enquanto muitos médicos recomendam justamente por se tratar de um tratamento eficiente e de alta absorção, outros afirmam que o ideal é manter uma rotina saudável de exercícios e alimentação, sem precisar recorrer a tratamentos mais invasivos.

Eu fico um pouco chocada, mas impossível não reconhecer que não deixa de ser uma ideia atraente pra muitos. E vocês, já tinham ouvido falar, fariam? Alguma leitora médica pode opinar, apoiar ou questionar?!