Beleza na gravidez: 4 produtos que tenho usado!

30/07/2020  •  Por Thereza  •  maternidade

Quando o assunto é beleza e gravidez, tem um mantra que você sabe antes mesmo de engravidar: taca óleo na barriga para não surgirem estrias! Daí quando você engravida de fato, já chega preparada pra se besuntar toda, mas a rotina de beauté de uma grávida vai um pouco além disso.

Fiz uma seleção de produtos que estou usando na gravidez com foco na barriga e pernas cansadas, dois pontos importantes e que merecem o cuidado diário!

O tal do óleo a gente já escuta no automático e seu benefício é justamente proteger a pele do estiramento natural devido ao crescimento da barriga. O óleo atua como uma hidratação profunda e que ajuda a evitar que elas surjam.

Vale dizer que ele não opera milagre, pois estria também envolve questões genéticas e, acima de tudo, é preciso manter uma boa alimentação durante a gravidez, beber muuuuita água e não usar roupas muito apertadas. O óleo não é santo, muito menos faz milagre, mas é um item que faz diferença se você caprichar no pacote do cuidado completo.

Dito isso, tenho usado desde o início da gravidez o famoso Huile Tonic – Tonic Body Treatment Oil da Clarins. Já usei ele em outras oportunidades e provavelmente é o óleo mais recomendado entre as famosas, ou seja, 100% influenciada com sucesso, mas independente disso, a Clarins é uma marca que gosto muito e até agora ele é só sucesso na minha rotina.

O óleo é formulado 100% com puros extratos vegetais, ele hidrata e ajuda a firmar, restaurando a elasticidade da pele, ou seja, tudo que uma grávida precisa. Seus ingredientes? Atentem ao cardápio maravilhoso: Alecrim, Gerânio e Menta, ajudam a firmar, tonificar e restaurar a elasticidade da pele. O óleo de avelã recupera a umectação natural da pele, retendo sua hidratação. Por fim, tem botânicos aromáticos que estimulam os sentidos e promovem uma sensação de bem-estar.

O que eu gosto dele é que o cheiro não é forte, passou com louvor no 1tri, quando eu sentia enjoo de rigorosamente tudo quanto é cheiro. Sobre a absorção, ele tem médio corpo, com isso ela não é rápida, você sente o óleo penetrando na pele no tempo que tem que ser. E, o mais importante, tem surtido efeito, pois até agora não tive estrias.

Passo ele 2 vezes ao dia (ok, às vezes esqueço e passo 1), mais cedo na hora do banho e depois quando vou dormir e fazer o ritual de bate-papo e música com a Maria Eduarda e o Rodrigo, é um momento muito gostoso! Tem dele aqui na Época por R$379.

Agora vale lembrar: não adianta passar o óleo sozinho, é preciso primeiro passar uma camada de hidratante para preparar a pele. Eu tenho usado o Creme de Massagem para estrias da Palmers, ele tem Colágeno, Elastina, Centella Asiática, Óleo De Argan e de Amêndoas, ou seja, já prepara a pele pro grande óleo. Tem dele aqui na Amazon por R$108.

 

Uma outra coisa que descobri no início da gravidez e que ajuda a potencializar todo o processo de super hidratação na barriga, quadril e outras áreas propensas à estrias na gravidez: esfoliar!

Esfoliar ajuda a limpar a pele do excesso de produtos que ela recebe nesse período. Lógico que tudo com ternura rs e 1x por semana, vale esfoliar a barriga e região.

Uso o Crushed Cabernet Scrub da Caudalie que é uma delícia, tem cheiro bom, a esfoliação é potente e ainda suave, tem um efeito drenante e é cheio de bons ingredientes. Ele tem semente de uva, é rico em mel, açúcar mascavo e 6 óleos essenciais. E acho que tem um excelente preço pro padrão Caudalie de qualidade, R$149 aqui na Sephora.

Esse produto foi uma novidade que eu não conhecia e o próprio pessoal da Clarins me apresentou e recomendou como ótimo para grávidas, o Lait Jambes Lourdes da Clarins é um Revitalizante para pernas cansadas.

Ele é uma emulsão energizante com extratos de camomila, manjericão, salva e cipreste para repousar, tonificar e redinamizar as pernas cansadas. Ele ajuda a manter a hidratação ideal da pele para pernas suaves, flexíveis e frescas. A sua textura ultraleve permite que seja aplicada a qualquer momento do dia, até mesmo por cima de meia-calça.

Ele ainda tem laranja amarga, que ajuda no repouso. Hipericão, Hortelã, Cipreste e Hamamélis, que são tonificantes, refrescantes e adstringentes. E óleos de gérmen de trigo e de amêndoa doce, que são nutritivos, ou seja, pacote completo para grávidas e pessoas que ficam muito tempo em pé e sentem as pernas cansadas ao longo do dia.

Os meus pés ainda não estão inchados, mas às vezes, especialmente nesse início de 3tri, sinto minhas pernas mais pesadas e cansadas, sabe? Daí mando Rodrigo exercer sua função de marido rs e ele aplica em toda a minha perna massageando e é bom demais. O cheiro é muito bom (super refrescante) e o líquido em si é bem levinho e absorve rápido. Boa dica pra quem sofre com essa questão. Tem dele aqui na Sephora por R$259.

Vale lembrar que todas essas minhas dicas são pessoais e antes conversadas com minha obstetra e também dermatologista!

 

A construção do amor na gravidez

07/07/2020  •  Por Thereza  •  maternidade, Moda, Pense

É óbvio, crescemos com a cultura e ideal romântico de filmes e novelas. Aquela gravidez perfeita, bonita e plena, todo o lado bom da gestação (que sim, tem e são muitos, garanto)… já disse plenitude? Mas uma coisa poucos falam até mesmo nessa geração maternidade desconstruída: a construção do amor. Ele geralmente não vem instantâneo, ele é gradual, mas cresce numa progressão geométrica, como deve ser.

Eu juro, joguei no Google, perguntei pra minha médica se o “problema” era comigo, pois o amor surgiu aos poucos. Não foi como numa novela ou comercial , a ficha demora a cair e diria, ela nem cai, mas vai escorregando, a minha, do alto das minhas 24 semanas, ainda está escorregando suavemente, mas cada vez mais forte. É muito bom.

Quando descobri que estava grávida, chorei. Chorei de emoção, de alegria, mas também de medo, susto, pânico. Lógico que meu trauma da gestação anterior teve um grande impacto nisso, mas a incerteza ronda, parece aquele tipo de relacionamento que você não quer se entregar, se apaixonar. Você precisa conhecer a pessoa antes. Nesse caso, é preciso saber se tem um bebê aí (lembrando que tive uma gravidez anembrionária, o que constitui na não-evolução do embrião e apenas crescimento do saco gestacional), com isso, esperei 7 semanas pra relaxar um pouco. Peraí, achei que ficaria relaxada, que nada, vamos esperar mais um pouco, mais precisamente até o ultrassom da 12a semana que é quando diminui bastante as chances de perda gestacional.

E com o passar das semanas o medo vai até diminuindo, entra sim a alegria e emoção, mas você não consegue pensar em muitas outras coisas, muito provavelmente pelo fato do enjoo vir com tanta força. É aquele turbilhão de sensações, não vou dizer ruins, mas que te deixam apreensiva e um pouco anestesiada.

Eu não relaxei nos 3 primeiro ultrassons que fiz, só no quarto que fui mais tranquila (e olha que era a morfológica, o exame mais completo), pois já estava começando a sentí-la mexer e isso já é um alívio natural e instantâneo. Ver a barriga crescer também a certeza visual que ela está ali e mais precisamente dentro de você. Preciso dizer, é bizarro, mas maravilhoso também.

E sobre a tal construção do amor, ela vem paulatinamente, aos poucos, lentamente você vai sendo tomada por novas sensações, emoções. Você chora, ama, mas você fica muito aliviada. Minha sensação é mais de um alívio, um acolhimento, eu a acolho e ela me acolhe diariamente. Somos protagonistas da construção dessa história e isso sim encanta e atesta o tal do amor.

Não que no início não houvesse sentimento positivo, havia já a sensação de superproteção, cuidado e, sim, a insegurança, mas com o tempo entra também o amor quentinho, às vezes silencioso, mas eternamente progressivo. É assim que me sinto a cada dia, é sempre mais que o anterior e não faço ideia como será amanhã ou quando ela nascer.

Minha ficha ainda está escorregando, mas cada vez mais forte e também suave.

Podcast sobre a gravidez

08/06/2020  •  Por Thereza  •  maternidade

Conforme contei para vocês aqui, além dos posts no blog e Instagram, também pretendo falar sobre gravidez no podcast Fashionismo para ouvir! Aliás, pra mim é o lugar mais visceral e natural para falar, sem filtro ou edição, fiquei bem à vontade para compartilhar toda as minhas etapas dessa gestação que exatamente hoje completo 20 semanas, bebê do tamanho de uma couve-flor!

O episódio tem duração de 40 minutos e nele começo falando sobre toda minha relação com maternidade, o desejo construído – aos poucos – de ser mãe, a minha perda gestacional em 2019 e todo o precesso de luto e cura, até chegar a fase atual, a gravidez! Os desafios de engravidar +35 e, o mais importante, a descontrução desse estigma que mexeu muito mais comigo antes da do que na gravidez em si. Pretendo abordar todos esses temas aqui também no blog que, vocês sabem, é o lugar que me sinto mais à vontade de me comunicar e registrar todas as fases que vivo. Do casamento à gestação, adoro contar minhas histórias por aqui!

O podcast foi gravado na semana passada, mas hoje contei no Instagram que, tcharam: estou grávida de uma menina! Vem aí uma fashionisminha hehehe! Engraçado que eu sempre me vi como mãe de menina, antes imaginava frufruzar a criança toda, tacar rosa na lenda (vocês sabem que gosto da cor independente de qualquer presunção de gênero) e por aí vai, mas no início da gravidez pouco me importava se era menino ou menina, queria que obviamente viesse com saúde e ponto final!

Também nunca fui aquele tipo de pessoa que planejava chá de revelação (ainda mais em tempos de quarentena), surpresa vindo do balão ou da caixa, sou muuuito curiosa e controladora pra esperar uma informação desse porte! Daí no ultra de 12 semanas, minha médica disse que tinha 70% de chances de ser menina e uma semana depois, com o resultado do Nipt (um teste genético importante e que também revela o sexo com muito mais precisão que a sexagem fetal), descobri que sim, é uma menina!

Lógico que ficaria feliz independente de qualquer coisa, mas engraçado que é quase a confirmação de um feeling (ok bem aleatório e com 50% de chance de acerto) que já vinha comigo e com o bônus ainda que tem uma ligação especial com meu pai. Ele faleceu em 2016 e, no hospital, falou que eu teria uma menina e ainda disse o nome que deveria colocar nela hehe Lógico que acatei, antes mesmo de tê-la dentro de mim, já sabíamos nome e sobrenome!

Passei essas últimas semanas toda focada no projeto do quarto que, naturalmente, será feito pela Thereza arquiteta aqui e também em começar a montar o enxoval. Apesar de gostar da tal frufruzada, curto um estilo mais moderninho com toque lúdico e não vejo a hora de compartilhar com vocês. Já as roupinhas, merecem um post à parte, estou amando esse mundo de moda infantil!

Pra quem quiser ouvir o Fashionismo para ouvir, pode acessaer em plataformas como Spotify ou Itunes!