Tô grávida!

18/05/2020  •  Por Thereza  •  maternidade, News

Doze anos e 8400 posts depois, já posso dizer que esse texto é meu post favorito do blog: tô grávida! Sim, grávida! Digito esse texto cheia de lágrimas, mas com o coração transbordando de felicidades por compartilhar com vocês algo tão especial e esperado.

Engravidar pra mim sempre foi algo que encarei com naturalidade e consequência da vida, como algo que queria, mas que por muitos anos não era minha prioridade. Sabia que queria ser mãe, mas não tinha pressa. Com isso, fui deixando a vida me levar, um pouco pelo medo (acredite, eu era apavorada com o parto em si – hoje, muito menos – e esse foi um dos grandes fatores de esperar mais), mas também pra fugir da pressão e responsabilidade.

Ainda bem que os últimos anos foram mais razoáveis no que diz respeito à mulher e a obrigação da gravidez, “vai engravidar quando?”, “já tá na idade de ter filho, hein?!”, com isso consegui desviar desses clichês e ter no meu tempo. Aliás, o tema engravidar após os 35 anos merece um post exclusivo, pois foi algo que por muito tempo me tirou do sério e agora posso falar com tranquilidade e sem pressão, do auge dos meus 37 anos e 364 dias (amanhã completo 38!).

E minha jornada da maternidade passa antes por uma experiência triste que tive em janeiro de 2019. Eu perdi um bebê e foi tão doloroso que demorei exatamente 1 ano para tentar novamente. Só Deus sabe (e o Rodrigo também) quantas vezes sentei nessa cadeira para tentar contar essa história, acolher e me sentir acolhida por tantas outras mulheres que já passaram por essa dor (e depois que a gente passa, a gente descobre: são tantas e muitas invisíveis). Mas eu simplesmente não consegui, meu 2019 foi cinza, triste, refletiu até no conteúdo do meu trabalho, mas tentei ao máximo não me culpabilizar mais. Eis que um ano depois da perda, veio a boa hora, como chamam, meu bebê arco-íris!

A gravidez está tranquila, apesar dos enjoos do 1o trimestre e do sono e prostração generalizada tenho tido calma e força pra encarar essa gestação e, convenhamos, gestar em tempos de pandemia e quarentena tem sido um desafio extra que nenhum livro ou experiência de terceiros tem me ensinado.

Por isso que tenho buscado apenas informação na medida, sem nenhum exagero, uma fase de cada vez e deixando esse período e aprendizado mais intuitivo e menos, digamos, didático. Sei que sou ansiosa, mas também sei que o que está acontecendo comigo é único, especial, desejado e quero viver da melhor maneira, mesmo em tempos tão difíceis. Aliás, esse bebê é justamente quem nos dá força para viver e ter esperança por dias melhores e isso que tem nos movido dia após dia.

Sei que as leitoras mais fiéis do blog notaram meu nada habitual sumiço, tentei explicar um pouco nesse post do “Novo Normal”, mas a realidade é essa: o 1o trimestre me impossibilitou de ser criativa e ativa (e ainda com o bônus da pandemia, foi entressafra criativa total), mas foi por uma boa causa e eu não via a hora de poder contar pra vocês com segurança!

Com certeza pretendo compartilhar meu diário da gravidez não só por aqui, mas também no Podcast (essa semana tem ep novo falando sobre o assunto), então aguardam novidades!

Beijos,

Thereza e Baby :)