O podcast do Fashionismo está de volta!

07/03/2021  •  Por Thereza  •  Podcast

Há 2 anos lancei o Fashionismo Para Ouvir, o podcast do blog, mais um espaço pra gente estender o conteúdo, falar de moda, comportamento e adoráveis aleatoriedades. Apesar de ser um formato muito antigo, na época o formato podcast estava super em ascendência e nosso FPO foi um dos pioneiros no segmento moda e beleza!

Com isso, produzimos nossos tradicionais conteúdo e tudo capitaneado pelo programa Ronda da Semana, que saiu da versão texto e chegou no modelo áudio pra te manter informada de tudo que rolou no universo feminino na semana. Sempre foi um programa super fresco e gravado na véspera de ir ao ar pra gente não perder nenhum lance!

Além da Ronda, tivemos uma série especial de produção de conteúdo que foi junto ao lançamento do meu ebook, também rolou uma série apenas de decoração, o Decorismo por Shoptime (parceiraço que acreditou no formato desde o início) e entre tantas outras pautas que foram de vinho a Business.

Daí chegou 2020 e algumas coisas mudaram: primeiro o mundo, a pandemia tomou conta de tudo e fez com que o assunto fosse outro, com isso, a Ronda fresquinha de notícias perdeu o timing sem nada de muito importante acontecendo no meio da moda. E também a minha gravidez que, no primeiro trimestre foi difícil de existir por conta de muito enjoo, daí veio o 2o trimestre e a plenitude, que fez com que surgissem especiais da gravidez, aí o 3o trimestre me impossibilitou real de falar devido o cansaço da reta final.

Eis que 2021 chegou, Maria Eduarda nasceu e cá estamos com o retorno do FASHIONISMO PARA OUVIR! Estava com uma saudade absurda de conversar com vocês e esse vai ser um dos meus principais focos pra recuperar o conteúdo!

 

Começou nessa sexta com uma Ronda sobre Influência das celebridades, o auge, declínio e retomada! Do fim da Fenty Modas a como as famosas andam se reinventando e deixando de serem garotas propagandas para se tornarem CEO de grandes marcas.

Além das Rondas todas as sextas, teremos 4 programas especiais sobre gravidez e maternidade à partir dessa terça, falarei sobre: parto, amamentação, enxoval, rotina de sono.

Portanto, se gostam de um Podcast, não deixem de ouvir o Fashionismo para ouvir na sua plataforma de áudio favorita e não deixem de compartilhar com quem gosta do tema moda, maternidade e universo feminino em geral!

 

 

Fashionismo para ouvir #2: Ronda da Semana – De empreendedorismo a guilty pleasure!

05/04/2019  •  Por Thereza  •  Podcast

Sexta-feira será nosso dia oficial de Podcast! Como contei no post da semana passada, nosso Fashionismo Para Ouvir é um Podcast que falará sobre todos os assuntos do blog e além! De moda a comportamento, beleza a feminismo, também falaremos sobre vinho, relacionamento, business e, claro, teremos convidados especiais!

Nosso primeiro programa será a Ronda da Semana, aquele nosso giro de notícias e novidades que rolaram no nosso meio durante a semana! E, além do RDS, quinzenalmente (entrará terça sim e terça não) teremos nossos outros programas e por aí vai!

A ideia do FPO é trocar ideias sobre moda e além nessa ferramenta que existe há muito tempo, mas que está mais na moda do que nunca!

E na RDS de hoje falamos sobre o empreendedorismo feminino segundo hollywood, marcas abrindo e fechando e ainda aquele guilty pleasure delícia! Agora um pedido de neo podcasteira, não deixem de avaliar o Fashionismo Para Ouvir no Itunes, pois o app reconhece, indexa e divulga nosso Cast para todos!

Quer ouvir nosso primeiro episódio? Já estamos em basicamente todas as plataformas e apps para IOS e Android, como Spotify, Itunes, We Cast, Castbox, Overcast. Em breve estaremos no Deezer.

 


Ronda da Semana: Inclusão e poder!

20/07/2018  •  Por Thereza  •  RDS

Olha quem está de volta! Tem tanto tempo que não faço uma Ronda da Semana, que me sinto envergonhada, mas tem tanta pauta boa que gostaria de compartilhar com vocês!

Antes de mais nada, na segunda postei nas redes sociais do Fashionismo um questionário pra fazer um Fashionismo melhor e mais redondinho pra vocês, se tiver 2 minutos do seu dia pra responder aqui, eu agradeço! Enquanto isso, senta que lá vem história

A NOVA J.CREW

Nos últimos anos, a outrora unânime J.Crew, tem sido alvo de especulações sobre seu faturamento e futuro. Numa nova era digital, muitos diziam que a marca havia se perdido e não entrado muito nessa onda millennial e mais inclusiva.

Eis que na última semana eles vieram com uma novidade que, tendo a ver ou não com essa questão, achei maravilhosa. A marca se uniu à Universal Standard, uma start-up de moda inclusiva,  “Queríamos trabalhar com especialistas da área para dar início a uma implantação muito maior de novos tamanhos, modelagens e acabamentos. A ideia é criar uma nova coleção feita sob medida para o espectro real e diversificado da mulher americana”, afirma a diretora de mkt da marca.

Até aí tudo normal, cada vez mais marcas estão entrando nesse universo cada vez mais lucrativo. Mas o pulo do gato da J.Crew está no básico e óbvio, “muitas marcas expandem a grade, mas criando uma subcategoria ou linha separada para o consumidor”, mas com a J.Crew não! “Esta coleção é completamente inclusiva e com ajustes para atender ao espectro completo de tamanhos femininos. Pela primeira vez, todas as mulheres terão a oportunidade de fazer compras nas mesmas araras, sem separações por tamanho”.

Simples assim! Sério, qual é o problema das marcas pararem de fazer linhas especiais, plus size, “+” e simplesmente aumentarem a grade da sua linha geral? Se bobear é até mais econômico, já que é sucinto e direto no ponto. A ideia é que a implementação seja completa em meses em toda as lojas e site, e que a grade vá até a numeração 24 (56 no Br) de basicamente todas as peças. Eles também prometem que os tamanhos serão perfeitamente integrados à experiência de compra, em vez de criar uma categoria autônoma. Eu espero que essa moda pegue e a J.Crew seja um exemplo.

UM RESPIRO PARA VICTORIA

Da evolução pra involução. Lembra que ano passado fiz um post (polêmico) problematizando o desfile da Victoria’s Secret?! Não vou negar que eu vejo, assisto, acho muita coisa linda e compro até umas 4 calcinhas por U$27, mas isso não nos impede de realizar o quão problemática a marca é. Sua proposta de corpos magros e sarados se perdeu nesse universo cada vez mais atento e inclusivo.

Hoje em dia, marcas que tem grades democráticas e campanhas trabalhadas na diversidade tem obtido cada vez mais lucros, enquanto a super poderosa VS… bom, semana passada saiu uma matéria falando que a marca vem amargurando prejuízo atrás de prejuízo. O BoF falou que “É game over para a VS”. Não, a marca ainda não faliu, mas a publicação mostra que o grupo financeiro Jefferies analisa seu destino, “a fabricante de roupa íntima viu uma enorme queda de tráfego, zero poder de precificação e aumento de perda de participação de mercado”. Segundo eles, as pessoas não tem deixado de comprar lingeries, mas sim buscado outras marcas.

A marca vai encerrar as atividades a qualquer momento? Provavelmente longe disso. A VS de fato perdeu o hype, as pessoas se mostram desinteressadas, a concorrência cresce a cada dia e junto a isso os prejuízos aumentam, mas sabe o que ainda segura a marca? Seus investidores que, provavelmente os únicos ainda vivendo no hype de outrora, acreditam na força da marca. Até quando, a gente ainda não sabe, mas que mudar é preciso, isso é… e pra ontem! Legitimamente ou não, é o que tem pra hoje.

PAT MCGRATH RAINHA DA BELEZA

Por fim, semana passada Kylie Jenner saiu na capa da Forbes com sua Kylie Cosmetics em vias de se tornar uma empresa de beleza bilionária. Eu adoro a Kylie e acho um feito sim, apesar dela ter nascido em berço esplêndido e ser totalmente privilegiada, ela foi lá e saiu da zona de conforto dela e fez acontecer. Mas sabe quem antes dela vai fazer o primeiro bilhão na indústria de beleza?

Pat McGrath, a maquiadora super poderosa, rainha dos backstages e editoriais! Sua Pat McGrath Labs, lançada há 2 anos, recentemente recebeu um poderoso investimento para expansão da marca, deixando-a com um valor de mercado de mais de um bilhão de dólares, passando assim a Kylie Cosmetics. Não que seja uma disputa, são duas marcas incríveis e desejadas, mas acho maravilhoso ver uma mulher negra que com certeza teve uma história de vida diferente, que está há 20 anos no mercado, se transformando numa superpoderosa de beauté. Quer o mundo, Pat? A gente te dá, só traz seus produtos pra Sephora BR!

Bom final de semana!