Dicas do Rio: Delfina e Aconchego carioca

06/09/2018  •  Por Rodrigo  •  Gastronomia

Como a nossa coluna Vinho de Quinta não se resume apenas ao universo dos vinhos, teremos também posts com dicas gastronômicas super legais de lugares que todo mundo precisa conhecer aqui no Rio. E não poderia deixar de começar por  2 restaurantes mais que especiais e que fizeram a alegria dos convidados no #fashionismo10anos.

Primeiro, o que vem à cabeça quando ouve-se falar de praça de alimentação? Fast food, correto? Na grande maioria dos shoppings é isso mesmo, mas no Village Mall, esse local tradicionalmente conhecido por quem quer um lanche rápido e despretensioso, ganhou uma pegada diferente e com gastronomia de qualidade!

O Delfina e o Aconchego Carioca, localizados na praça de alimentação do Shopping, oferecem opções gastronômicas incríveis, democráticas, num estilo gourmet, porém descomplicado, pra quem não abre mão de gastronomia de verdade tanto no almoço, jantar ou aquele happy hour.

O Delfina, já conhecido pelo seu food truck que roda nos principais eventos do Rio, tem como especialidade suculentas opções de carne de pato. A consagrada coxinha (que de inha não tem nada) de pato acompanhada de chutney de laranja e especiarias é de lamber os dedos! Já o sanduíche de pato  com mostarda Dijon e rúcula, no pão ciabatta artesanal, além de saboroso, vale como uma refeição!

Pra quem não é tão fã de pato, pode se deliciar com hamburger de contra filé, hot dog no pão de leite, pulled pork, batata rústica, pratos com salmão, omelete e várias opções de saladas preparadas no balcão, ali na sua frente. Menção honrosa pro prato (na realidade, acompanhamento!) favorito da Thereza: batatas rústicas trufadas, imperdível!

O Aconchego Carioca, famoso na Praça da Bandeira, premiado por sua gastronomia brasileira e frequentado por quem ama culinária de raiz, agora tem uma versão no Village Mall, onde serve os tradicionais bolinhos da renomada chef, Kátia Barbosa. O carro-chefe, o copiadíssimo bolinho de feijoada é um pedido quase que obrigatório, além do bolinho de carne seca, prensadinho de rabada e o meu preferido, bolinho de arroz com curry e queijo.

Como nem só de bolinho vive o homem, deliciosos petiscos, como a pipoca de aipim e o pastel de moqueca farão a alegria do povo, tudo fresquinho e preparado na hora! Uma boa dica é que o Aconchego também faz catering para eventos, assim como fizeram pro nosso #Fashionismo10anos.

Delfina e Aconchego Carioca são excelentes alternativas pra quem curte comida bem feita e de verdade. São perfeitos também para reunir a galera e tomar uma cervejinha pra acompanhar as delicias. E por falar em cerveja, além das opções tradicionais, os dois restaurantes tem rótulos de cervejas artesanais escolhidas a dedo! Vale muito dar uma conferida e mudar seu conceito sobre praça de alimentação.

 

Como harmonizar fondue e vinho [queijo, carne e chocolate]

10/08/2018  •  Por Rodrigo  •  Gastronomia, Vinho

Na sequência dos posts sobre harmonização de vinhos com pratos típicos de inverno, o que não pode faltar de forma alguma? Fondue, naturalmente. Não há nada no mundo gastronômico que combine melhor com a estação do que essa maravilhosa invenção dos suíços! É gostoso, reconfortante e a melhor opção para as noites frias de inverno. Aqui em casa, tem quase todo fim de semana! Se você também é fã dessa iguaria e quer saber qual o melhor vinho para as receitas mais tradicionais de Fondue, a hora é agora!

FONDUE DE QUEIJO

Fondue de queijo

Provavelmente o mais clássico, seja ele comprado pronto ou feito a sua maneira, é sempre uma delícia. A maioria das pessoas associa o fondue de queijo com vinhos tintos, mas se eu disser que um branco fresco e aromático pode fazer um casamento ainda mais gostoso? Os vinhos brancos, por possuirem uma maior acidez em relação aos tintos, farão uma harmonização por contraste com a untuosidade dos queijos do Fondue.

E como se dá esse contraste? A acidez do vinho vai estimular a salivação e “limpar” o paladar da gordura do queijo, que por sua vez vai suavizar qualquer adstringência que o vinho possa ter. Brancos frutados como Chardonnay, Torrontés e Sauvignon Blanc farão bonito!

Maycas Sumaq Chardonnay 2017: Esse delicioso branco chileno – do frio Vale do Limarí, vai elevar o Fondue a um outro patamar! Cheio de aromas de frutas tropicais, o que é perfeito para harmonizar com o sabor ligeiramente adocicado dos queijos do Fondue, geralmente emmental e Gruyere, e com ótimo frescor, ideal para suavizar a gordura. Macio e com mineralidade típica de vinhedos com influência oceânica, levemente amendoado, floral e ainda deixa um gostinho de abacaxi no final de cada gole. Não tem como não gostar, boa opção para fugir do óbvio também. Tem dele aqui na Wine por R$42, um ótimo preço!

Fondue de carne

Quem não gosta do som relaxante daqueles pedacinhos de filé mignon fritando? Nesse caso podemos escolher um tinto sem medo, porém devemos levar em conta que o filé mignon é uma carne magra, portanto um tinto de corpo médio e taninos suaves, é a melhor combinação. Uvas como a Merlot, Sangiovese e Tempranillo cumprem bem esse papel.

Terra d`Uro Finca la Rana Toro 2013: Elegante tinto espanhol com vocação gastronômica, principalmente quando se trata de carne. No nariz você sente aromas de carvalho tostado, ameixa madura, muitas especiarias e um toque de couro. Na boca, tem corpo médio, sabor de frutas negras maduras, boa acidez, taninos já amaciados pelos seus 5 anos de idade e um final amadeirado.  Tudo que uma boa carne de Fondue precisa.  Tem dele aqui por R$57.

Fondue de chocolate

Não poderia ficar de fora, né? Seja de chocolate ao leite, branco ou amargo, finalizar a noite com esse Fondue é uma dádiva! Tradicionalmente os vinhos de sobremesa ou do Porto, fazem uma bela harmonização, mas se você quiser se surpreender com um tinto, opte por vinhos mais doces, porém com boa acidez.

Essa combinação é incrível, pois a doçura dos dois é amenizada e o frescor do vinho não deixará o chocolate ficar enjoativo. E para isso, os vinhos do sul da Itália, feitos com a doce uva Primitivo são especiais, mas que tal um corte californiano bem parecido com os clássicos rótulos do sul da bota?

Apothic Winemakers Blend 2016: Da ensolarada California, esse blend de Cabernet, Syrah, Merlot e Zinfandel (versão americana da Primitivo) é ótimo para harmonizar com doces, mas também vai agradar quem ainda não está muito acostumado com tintos secos. Perfumado, com aromas de baunilha, geleia de cereja, caramelo e pimenta preta. Maduro, redondo e suculento, com taninos, doces e textura aveludada, ainda tem acidez ideal para deixar qualquer chocolate mais agradável, se é que isso é possível. Quando você notar, a garrafa já estará vazia. Ótimo preço para um californiano blockbuster com tanta maciez. Tem dele aqui por R$65.

 VINHO PARA FONDUE

E aí, gostou? E qual a sua combinação preferida pra Fondue? Qualquer dúvida, é só deixar um comentário.

 

 

 

 

 

 

 

 

Como acertar na hora de harmonizar queijos e vinhos

10/04/2018  •  Por Rodrigo  •  Gastronomia, Vinho

Chegamos no outono! Época perfeita para se tomar bons vinhos num clima mais fresco e agradável. E qual harmonização mais clássica para brindarmos a estação? Queijos e vinhos, naturalmente. Essa dupla que é sucesso em diversas ocasiões, pode fazer com que uma simples degustação se transforme num momento especial. Aqui em casa, sempre que tomamos vinho, o queijo está presente, já nos restaurantes, muitas vezes ele substitui a sobremesa (lá fora isso é mais que normal) e até como prato principal, uma tábua com queijos variados é uma escolha certeira (e favorito da Thereza que prefere “petiscar”).

Agora, quando se trata de receber amigos em casa, não há combinação mais democrática e prática, afinal quer coisa fácil do que promover uma noite harmonizada sem ter que ficar na cozinha? E qual seria a harmonização perfeita? Aquela na qual o sabor de um não se sobreponha ao do outro, ao passo que ambos tenham suas melhores nuances destacadas e suas características mais fortes suavizadas. Em alguns casos, quando o queijo não é o par ideal para o vinho, o sabor final fica comprometido.

Por exemplo, um queijo muito salgado com um tinto muito seco, pode resultar num gosto um tanto amargo, assim como um vinho potente e tânico certamente vai “matar” o sabor de um queijo suave. Para isso, temos algumas regrinhas simples para esse casamento dar certo! Por isso selecionei pra vocês vinhos para harmonizar com os queijos mais tradicionais e fáceis de encontrar por aqui.

HARMONIZAR QUEIJOS E VINHOS

Muçarela de Búfala: Da família dos queijos frescos, tem um sabor suave e é muito comum em entradas e burratas. Precisa de um vinho fresco e delicado.

Adega Guimarães Vinho Verde DOC – Já falei desse delicioso vinho verde na semana passada, mas não poderia deixar de indicar de novo para essa harmonização. Com muito frescor e uma leve efervescência, ainda tem um sabor frutado de maracujá e boa acidez para harmonizar com a muçarela de búfala. R$59.

Brie e Camembert: Super tradicionais nas tábuas, esses queijos de mofo branco e textura cremosa vão muito bem com brancos frutados e com boa acidez para ressaltar sua untuosidade e sabor.

Round Hill Chardonnay 2015 – Belo Chardonnay da California! Tem um frutado gostoso de maçã verde no nariz e sabor cítrico lembrando abacaxi e frutas amarelas. Levemente amanteigado, com boa mineralidade e um final refrescante. O Brie agradece! R$79,90.

Gouda e Emmental: De textura firme e sabor marcante e amendoado, pedem por um tinto frutado e de médio corpo para harmonizar com seu leve adocicado.

Tarima 2015 – Delicioso tinto espanhol da região de Alicante. Vinho orgânico com grande complexidade de aromas, como framboesas, cerejas, pimenta do reino, baunilha e alcaçuz. Na boca é redondo, com taninos macios e doces e um final persistente, amadeirado e com uma discreta nota de tamarindo. Nada melhor para um bom queijo Gouda. R$79,90.

Grana Padano: Esse não falta aqui em casa! Sua textura granulada e seu sabor forte fazem deste queijo um dos mais procurados para degustações. Um tinto de boa estrutura vai se beneficiar com essa harmonização, pois terá seus taninos amaciados pela gordura do queijo.

Leyda Single Vineyard Carmenere 2014 – Chileno de respeito! Muito maduro e cheio de aromas de frutas negras, compota de ameixa, de cassis, além de especiarias como pimenta do reino e ervas frescas. Na boca é intenso, com taninos finos e um longo final de café e chocolate. De R$109 por R$87,20. Vinhaço!

Gorgonzola: Não tem quem não se derreta por esse queijo que é normalmente servido no final das refeições para acompanhar aquele vinho do Porto. De sabor intenso, salgado e picante ficou associado aos vinhos doces e de sobremesa, mas  para a nossa harmonização, a melhor opção é a combinação por contraste. Um vinho branco aromático com boa acidez para “quebrar” a gordura do queijo e um leve dulçor para se opor ao salgado vai elevar a degustação a um outro patamar!

Leyda Single Vineyard Riesling 2013 – Fantástico branco produzido por uma das uvas mais aromáticas. Super floral, mineral e perfumado, tem aromas cítricos, de lichia, abacaxi e limão siciliano. Tem uma doçura natural e muito frescor para “domar” toda pungência do Gorgonzola. De R$109 por R$87,20.

HARMONIZAR QUEIJOS E VINHOS

E se eu tiver mais de um queijo e quiser um único vinho? Dúvida mais do que justa! Minha dica é optar por um vinho intermediário entre potência e frescor. O Tarima, por exemplo, tem um frutado e mineralidade para os queijos mais delicados, assim como estrutura e taninos para os queijos mais fortes.

Espero que tenham gostado das dicas. Harmonizar queijos e vinhos é muito interessante e faz toda a diferença no sabor de ambos. Todos os vinhos podem ser encontrados nos links online, mas também nas lojas da Grand Cru. Se tiverem alguma dúvida, é só deixar um comentário.

Página 1 de 1812345Última »