2 x Ashley Graham na capa da Vogue e da Bazaar!

04/07/2018  •  Por Thereza  •  Pense

Ashley Graham, 30 anos, a 1oª modelo mais bem paga do mundo e ícone plus size. Aliás, Ashley não gosta de receber esse rótulo, “a Indústria da moda insiste em me chamar de plus size, mas prefiro pensar que esse é o “my size” e pronto”, mas reconhece que é um “nicho” no qual, ao ser de uma certa forma categorizado, mostra sua força e QUE FORÇA!

Ashley Graham é O nome quando o assunto é modelo fora do ~padrão vigente. Daqui uns 50 anos, quando não houver padrão algum (assim espero rsrs), lembraremos de Ashley como precursora desse novo mundo. Hoje, 2018, ainda estamos bem longe do razoável, mas é preciso reconhecer que é um avanço comparado com 5 anos atrás.

Quando o assunto são desfiles, foco na inclusiva NYFW, que é a edição mais democrática (e não só em relação a tamanho, mas também raça, idade) e esqueça a preconceituosa Paris Fashion Week (com modelos cada vez mais magras, que foi preciso uma lei pra tentar regularizar essa questão). Agora quando falamos de capas e editoriais, sem dúvida esse mês será lembrado por Ashley Graham onipresente e em dose dupla em 2 grandes publicações mundiais.

Semana passada foi divulgada a capa da Vogue Arabia com Ashley Graham e Paloma Elsesser que, além de plus size, também é negra e latina (já que estamos falando de representatividade). E eu achei a capa o máximo!

Gosto, porque não é aquela capa wannabe inclusiva, com modelos plus, mas com roupas disfarçando suas curvas, pelo contrário, são roupas exuberante (amei os looks Balmain) e que exaltam a beleza e vivacidade das duas. Vale lembrar que é uma Vogue Arabia e esse decote já foi uma ousadia, por isso elas ficaram mais vestidas dentro da piscina (isso ocorre em todas as edições da VA, sempre mais cobertas).

Depois disso, ontem saiu  mais uma dobradinha de capas da Ashley, dessa vez solo na Harpers Bazaar UK e eu estou apaixonada!

A primeira capa é um lindeza, você sente o frescor daqui e transmite uma coisa boa. Já a segunda é exuberante e divertida, como se fosse um Stories da Ashley, casual, mas glamurosa!

Sei que muitos ainda rechaçam esse tipo de representatividade, a maioria pelo preconceito velado, mas também outras por acharem que é migalha ou feito de forma errada.

Agora acho que posso dar meus 2 centavos nesse tema e falar com o mínimo de propriedade: me sinto inspirada. Olho uma Ashley e me sinto livre, dá até pra respirar aliviada e perceber que de fato os tempos são outros. É o tal do  *Representatividade importa*.

Sim, Ashley ainda é mais ~padrão do que propriamente gorda, mas mesmo assim, ela é uma voz, não só um corpo, mas uma voz que rege esse novo momento e muitas vezes fala de forma natural sobre o tema, é tipo banalizar uma pauta que deveria ser comum, ainda bem! Ashley não necessariamente levanta bandeiras o tempo todo, ela é A bandeira ambulante, a personificação que ser fora do tal padrão é possível, aliás, não deveria existir padrão algum, as pessoas deveriam simplesmente existir.

Minha única observação nessa onda plus size (ou qualquer outro rótulo que queira chamar), é que eu gostaria de ver outras modelos, mais modelos, muitas modelos em mais capas e editoriais! Ashley pode ter aberto as portas, mas que o mercado cada vez mais note e dê espaço para outras modelos (aliás, essa semana tem #poraí com uma modelo dessa nova safra).

Lembro que ano passado achei o máximo – logo postei aqui – a top na capa da Vogue América, é um super feito, mas hoje me incomodo um pouco com a tal roupa que disfarça (sem contar o controverso photoshop) usada por ela na capa.

Mas que bom que as coisas avançam e melhoram, acho que no final das contas, nosso olho fica mais sagaz, a gente admira, mas também aponta questões que podem ser melhoradas. Quando o tema é esse, sempre busco me questionar, pensar se é pouco, se é um token ou “não faz mais que sua origação”, mas às vezes, nem que seja por 2 minutos ou 2 capas, que a gente simplesmente contemple e compartilhe algo importante assim.

E vocês, conseguem perceber o avanço e como está se tornando mais comum ou ainda acham longe do razoável?!

Ronda da Semana: Mulheres poderosas

10/11/2017  •  Por Thereza  •  RDS

Sexta-feira é dia de Ronda da Semana e essa está especial, repleta de mulheres incríveis, boas histórias e um 2018 cheio de novos projetos, vem comigo!

MERYL STREEP NA CAPA DA VOGUE

O último trimestre foi todo trabalhado na representatividade das mulheres acima de 60 anos nas capas de revista. Depois de Hellen Mirren na capa da Allure e Lauren Hutton na Vogue Itália, a atriz Meryl Streep é capa da edição de aniversário da Vogue US. Lá ela fala de seu novo filme, o papel da mulher em Hollywood, mas a melhor parte mesmo vem na versão digital…

Inception, Miranda Priestly chegando na Vogue para conversar com… Anna Wintour! Olha que a revista anda espirituosa e o vídeo vai além, fala dos personagens que foram desafio para a atriz e muito mais. Adorei esse feat!

BAILE DO MET 2018

Por falar em Vogue, a publicação compartilhou o tema do Met Gala 2018“Heavenly Bodies: Fashion and the Catholic Imagination”, o tema busca celebrar a união de moda e religião,  “criado para abrir um diálogo entre a moda e a obra prima da arte religiosa no acervo do museu”, completa a revista. E eu só prevejo polêmica!

Para ciceronear os convidados ao lado de Anna Wintour, nada menos que: Rihanna, Amal Clooney e Donatella Versace, que time! Então coloque na agenda, primeira segunda de maio temos um encontro.

As I have made clear so often in the past with every fiber of my being, I embrace my natural heritage and despite having grown up thinking light skin and straight, silky hair were the standards of beauty, I now know that my dark skin and kinky, coily hair are beautiful too. Being featured on the cover of a magazine fulfills me as it is an opportunity to show other dark, kinky-haired people, and particularly our children, that they are beautiful just the way they are. I am disappointed that @graziauk invited me to be on their cover and then edited out and smoothed my hair to fit their notion of what beautiful hair looks like. Had I been consulted, I would have explained that I cannot support or condone the omission of what is my native heritage with the intention that they appreciate that there is still a very long way to go to combat the unconscious prejudice against black women’s complexion, hair style and texture. #dtmh

Uma publicação compartilhada por Lupita Nyong’o (@lupitanyongo) em

LUPITA NA CAPA DA GRAZIA

Gosto de acompanhar a evolução das revistas, mas seguimos atenta aos retrocessos, poderia estar exaltando mais uma linda capa da maravilhosa Lupita, só que não. Hoje a atriz foi ao seu Instagram compartilhar que a revista inglesa simplesmente editou seu cabelo sem seu consentimento, apagando seus traços, história e oportunidade de mostrar mulheres negras nas capas, inspirando assim outras negras e, especialmente, crianças, para desde então se verem representadas.

Se o photoshop há anos passa dos limites ao modificar corpos alheios em busca da tal perfeição, editar o cabelo da atriz é um absurdo e mostra que mesmo com essa nova era ~inclusiva, o racismo escapa.

Ainda bem que mais que nunca, sem medo de retaliação futura, as atrizes vem expondo casos inadmissíveis feito esses.

HILLARY CLINTON E O FIM DA TEEN VOGUE

Na última semana foi anunciado o fim da amada e idolatrada Teen Vogue. Quem nunca foi adolescente e comprou a revista, seja numa viagem ou juntando um dindin pra saber as modas teen gringas? E quem nunca sonhou em ter uma edição brasileira? Lembro que até fizeram 1 edição comemorativa com a Aline Moraes na capa, mas não passou disso.

Enfim, em tempos de mudança editorial, a publicação foi mais uma a sair do espaço físico e focar no digital, mas sem antes trazer uma capa incrível: Hillary Clinton.

Além da capa, a ex-candidata à presidência é editora convidada, “Essa edição é uma celebração da resistência e resiliência. Acho incrível como a Teen Vogue tem diversificado e, ao lado de uma matéria sobre removedor de maquiagem, é possível falar de política e feminismo”. Espero que todo esse movimento da revista siga fazendo diferença no digital também.

VICTORIA BECKHAM + REEBOK

Mês passado postamos aqui sobre a volta do tênis sensação da Reebok, tudo capitaneado pela top Gigi Hadid. Agora vale ficar de olho na marca, que tem tudo pra ser destaque em 2018. Nessa semana eles anunciaram uma parceria com, nada menos que, Victoria Beckham.

Imagina a eterna Posh Spice desenvolvendo uma linha de tênis e roupa de academia? Pois bem, não esperamos nada além dessa elegância e finesse inglesa. A parceria com a estilista será lançada no 2º semestre do ano que vem e será o início de uma nova era pra marca que busca um reposicionamento nesse universo cada vez mais interessado em bem-estar.

Bom final de semana!

 

Ronda da Semana: Perfume, toalha e a princesa veste Prada

27/10/2017  •  Por Thereza  •  Celebridades, RDS

Boa tarde, sexta-feira! Não encerre seu expediente sem antes ler nossa Ronda da Semana com o apanhado de mais relevante que teve no mundo da moda e adjacências!

KIM E SEU PERFUME

Se os 2 primeiros produtos da KKW Beauty ainda não se tornaram aquela sensação, Kim Kardashian segue tentando, agora com o lançamento de uma fragrância pra chamar de sua (na realidade essa é a 7a fragrância by Kim). Agora diferente dos  perfumes mais “populares” e que levam o nome de celebridades, parace que o cheirinho da Kim será alto luxo!

O lançamento será no dia 15/11 no kkwfragrance.com, por isso a marca própria pra mudar o desenvolvimento e pegada do perfume. Em entrevista à W magazine, Kim revelou que o perfume será “Crystal Gardenia”, ou seja, notas florais e com elementos místicos. Eu adoro gardênia, portanto fiquei ansiosa com essa mistura inusitada. A foto acima é da campanha, sentindo o cheiro do sucesso daqui!

So honored to have #MarioTestino shoot me for his #towelseries 147! 💋💕

Uma publicação compartilhada por A S H L E Y G R A H A M (@theashleygraham) em

ASHLEY GRAHAM PODEROSÍSSIMA

Que a representatividade é o novo clássico, isso a gente tem acompanhado. E cada vez mais marcas, estilistas e agora fotógrafos tem engrossado o coro. E posar para a “Towel Series” do Mario Testino é um marco para qualquer modelo e finalmente chegou a vez de Ashley Graham. A top modelo – que não gosta de ser chamada de “plus size”, agora faz parte do seleto hall de tops enrolada na famosa toalha.

Eu fico TÃO feliz pela Ashley, ela não só é minha #girlcrush do momento, mas me passa uma energia boa (já viram os Stories dela?) e merece muito, pois sem dúvida abriu porta pra uma legião de outras modelos ou simplesmente mulheres incríveis fora do padrão e que agora se sentem mais confortáveis com seu corpo.

TERRY RICHARDSON BANIDO DA VOGUE E DAS MARCAS

A maior polêmica da semana foi o banimento do famigerado fotógrafo Terry Richadson de todas as publicações da editora Condé Nast do mundo (leia-se Vogue, Allure, Glamour, W, Vanity Fair e dezenas de outras). Há anos o fotógrafo vem sendo acusado de assédio sexual por dezenas (ou centenas, talvez) de mulheres, mas só agora a maior – e mais poderosa – editora tomou ~conhecimento do mundo e optou pelo boicote.

Pra vocês terem ideia, as primeiras denúncias são de 2013, mas depois disso ele já trabalhou em grandes campanhas, como Valentino (inclusive sendo modelo com seu braço tatuado) e até Kylie Jenner e seu calendário 2017. Na onda da Vogue, marcas também apoiaram o boicote, tais como, Bulgari, Prabal Gurung e a própria Valentino. Anterior à Vogue, H&M, Aldo e Target também foram contra o fotógrafo. Lá fora eles falam que tudo isso tem um nome: efeito Harvey Weinstein.

A PRINCESA VESTE PRADA

E finalizando nossa Ronda à la Look da Semana com esse vestido DESLUMBRANTE que a Dianne Agron usou ontem. Eu fiquei muito encantada com esse Prada. Ele tem uma coisa única, é delicado, é intenso, super feminino, um pouco incomum do que estamos vendo no tapete vermelho vigente, enfim, foi uma união de ótimos fatores que fez um bom candidato ao Look do Ano, que tal?

Página 1 de 2112345Última »