6 dicas básicas para os iniciantes no mundo dos vinhos!

25/05/2018  •  Por Rodrigo  •  Vinho

Em 2016 fiz um post aqui falando de alguns erros comuns que as pessoas cometem ao degustar um vinho. Como esse assunto sempre rende e tem muita gente com dúvidas sobre o que é “certo e errado” nesse universo, aqui vai mais um post com dicas bem simples, mas que podem fazer muita diferença na hora de apreciar nossa bebida favorita!

vinho

Não erre a safra

Sem dúvida a safra de um vinho pode definir sua qualidade. Não é à toa que os grandes vinhos são produzidos apenas em safras excepcionais! Mas afinal, o que é uma safra? Nada mais é do que o ano em que as uvas foram colhidas para a produção de um vinho. Daí a qualidade daquele ano será determinada por todos os aspectos climáticos que influenciaram o cultivo das uvas.

O ano foi muito seco? Muito úmido? Muito quente ou muito frio? Teve geada? Tudo isso, junto às características do solo e habilidade dos produtores, terá impacto no vinho produzido. A maioria dos espumantes e champagnes não mostram a safra no rótulo, pois geralmente são produzidos a partir de várias safras diferentes, como exceção dos Reserva. Mas o que isso tem a ver com o tema do post? É muito importante ficar de olho na safra de um vinho (tem várias tabelinhas na internet), principalmente dos europeus que tem um estilo de produção mais purista, com pouca intervenção na vinificação para possíveis correções de defeitos que podem surgir de um ano ruim.

Por exemplo, se a sara de 2010 em Bordeaux foi histórica, a de 2002 foi um desastre em toda Europa. Muitos lugares vendem vinhos caros de safras nem tão boas, e nesse caso você estará pagando pelo rótulo e não pela qualidade em si. Então, de olho na safra pra não pagar gato por lebre.

Harmonização

Talvez a dúvida mais comum pra quem está começando, pois uma combinação equivocada pode atrapalhar a percepção dos sabores da comida e do próprio vinho.

É importante levar em consideração o estilo do vinho, a acidez, o teor alcoólico, o corpo e a idade para fazer com que ambos mostrem suas melhores características. Aqui você encontra vários posts com dicas de harmonização de queijos, carnes, pizzas, peixes e até chocolate!

A ordem dos vinhos importa?

Como os eventos de vinhos estão cada vez mais comuns no Brasil (ainda bem), e com certeza é uma boa forma de conhecer mais sobre a bebida e entender seu paladar, é super válido que se tenha em mente a ordem do que se vai degustar. Começar por vinhos muito encorpados pode fazer com que os vinhos mais leves que você for experimentar depois, fiquem um tanto quanto “tímidos”.

O ideal é iniciar com brancos leves, passar para os brancos mais robustos e seguir para os tintos delicados para só depois degustar os mais encorpados. E vinhos doces ou fortificados? Só no final mesmo, pois a doçura que eles deixam na boca, vai deixar os outros vinhos amargos, que nem quando se come brigadeiro e depois toma refrigerante em festa de criança (a Thereza acha super normal, mas ela é um ponto fora da curva rs).

Reserva X Reservado

Taí uma coisa que faz muita gente quebrar a cara na hora de comprar um vinho. Vocês já devem ter visto muitos rótulos com essas denominações, mas é bom ficar esperto. O termo Reserva geralmente é destinado aos vinhos de qualidade superior, principalmente na Europa, onde tem até legislação para assegurar que a produção de determinado vinho seguiu padrões de qualidade e envelhecimento para poder sustentar o título.

Já o tal do Reservado, muito comum na América do Sul, nada mais é do que uma estratégia, ou melhor, engodo de marketing para denominar um produto, muitas vezes de qualidade inferior, com um nome mais pomposo, pode ver que a maioria dos Reservados nem safra possuem no rótulo.

Uma única uva

É bem normal, quando começamos a nos interessar por vinhos, escolhermos uma uva específica como preferida. Tem gente que ama Malbec, já outras pessoas não abrem mão de um Cabernet. Até aí tudo bem, mas é experimentando coisas novas, entre tintos e brancos, que aperfeiçoamos nosso paladar. Se prender a uma única, uva, estilo, país ou região, pode fechar as portas para uma infinidade de vinhos maravilhosos.

Taça

Já falei aqui sobre estilos de taça e sobre como elas podem influenciar nos aromas e sabores do vinho, desde o material até o formato. Porém, agora tem uma dica bem simples e até boba, mas que faz boa diferença. Água na taça. Não estou falando sobre a importância de se beber bastante água quando estamos degustando, mas sim, sobre a umidade que as vezes fica na taça e que pode comprometer a bebida. Se a taça estiver com resquícios de água, o sabor do vinho pode ficar diluído e nós não queremos isso! Tente sempre deixar a taça super sequinha para que a única coisa que você sinta é o próprio vinho.

Outra dica, lavar a taça com detergente, só se for neutro e se enxaguar bastante depois pra não deixar resíduo, eu mesmo só lavo com água.

vinho

Espero que tenham aproveitado as dicas e se tiverem alguma dúvida, é só deixar um comentário.

 

 

 

Vinho para o Dia das Mães!

04/05/2018  •  Por Rodrigo  •  Vinho

Com o Dia das Mães batendo na porta, ficamos com aquela dúvida cruel sobre o que dar de presente para essa pessoa tão especial em nossas vidas. Perfume? Roupa? Maquiagem? Acho que eu já dei de tudo (principalmente perfume), mas agora, com uma nova realidade mais empoderada (aprendi com Thereza), nada de panelas ou presentes óbvios, podemos cada vez mais inovar! Foi-se o tempo de dar aquele produto estereotipado pra mãe, e como o assunto aqui é vinho, tenho certeza de que a bebida vai cair como uma luva, ou melhor, como uma uva!

Vinho sempre foi um presente super tradicional para darmos para o médico, chefe, sócio e por aí vai, e quando falamos de família, a primeira coisa que vem à cabeça é o Dia dos Pais, puro preconceito, afinal, só os homens que podem gostar de vinho? Sendo assim, nada mais justo que homenagearmos não só as mães, como as mulheres importantes em nossas vidas, com essa bebida maravilhosa!

Como cada pessoa tem um gosto particular e ninguém melhor do que você para entender as preferências da sua mãe, fiz uma seleção bem legal de vinhos de diferentes estilos para você escolher os que mais agradarão! Pode funcionar como complemento pra um presentão de dia das mães ou presente completo!

MÃE INICIANTE

Para aquelas pessoas que ainda não tem muito contato com vinho, minha sugestão é um branco leve, frutado e de teor alcoólico baixo, pois não terá nem o peso e nem os taninos de um tinto, de quebra ainda dá pra degustar sem preocupação.

Romeo 2015: Esse branco espanhol, feito com a uva Sauvignon Blanc, é super delicado, floral e repleto de aromas de frutas brancas. Na boca é leve, tem baixa acidez, o que facilita quem não está acostumado com a bebida, e deixa um gostinho de pêssego delicioso no final de cada gole. Sua mãe vai amar degustá-lo geladinho! Aqui por R$59,90.

MÃE QUE GOSTA DE BEBIDA DOCINHA

Muito comum não só com mulheres, mas com todo mundo que tem um pouco de resistência para vinhos secos. Minha mãe é um exemplo clássico, do suco ao vinho, só gostava dos docinhos, mas entendendo o seu gosto, consegui achar o estilo perfeito para ela. Vinhos tintos maduros, com um certo açúcar residual para fazer a transição dos vinhos suaves para os secos, mas não tão secos! E o que descobri? A uva Primitivo.

San Marzano Il Pumo Primitivo Salento 2016: Esse tinto do sul da Itália faz qualquer um largar de vez os vinhos de garrafão! Aromas de cereja madura, compota de ameixa, figo seco e caramelo encantarão sua mãe. Mas é na boca que ele conquista de vez, com sua textura sedosa, paladar suave, taninos macios e sabor levemente adocicado lembrando baunilha e até café espresso, tudo isso sem perder o frescor! Quem não curte tintos secos, vai mudar de opinião. Aqui por R$74,90.

MÃE EXPERT

Se a sua mãe já tem experiência no mundo dos vinhos e você está na dúvida se vai agradar seu paladar exigente, a Toscana está aí pra isso. Região emblemática da Itália, famosa pela produção de vinhos complexos, rústicos, vibrantes e gastronômicos, perfeitos para quem quer surpreender com um estilo mais elegante.

Belguardo Serrata IGT Toscana 2012: Belíssimo representante da região mais famosa da Itália. Elaborado com a tradicional Sangiovese e a pouco usual Alicante. Muito perfumado, com um nariz que lembra frutas silvestres, especiarias como pimenta do reino e canela, alecrim, couro e notas balsamicas e amadeiradas. Fresco na boca, com uma acidez que pede por comida e um longo final mineral. De R$134 por R$99,90.

PARA O ALMOÇO DO DIA DAS MÃES

Reunir a família para um almoço de comemoração já é incrível, mas se tiver um bom vinho, aí que coisa fica ainda mais especial. E para acertarmos na escolha, é preciso que o vinho tenha boa vocação gastronômica e um estilo moderno para agradar todos à mesa. Nada melhor que um grande chileno!

Errazuriz Max Reserva Carménère 2015: A Carménère, cepa ícone do Chile, é o tipo de uva que não passa despercebida, e nesse super tinto, vira quase uma experiência. Aromas complexos e francos de groselhas, cassis, folha de tabaco, pimenta preta e um toque herbáceo delicioso fazem valer o título Reserva! Bom corpo, mas sem exageros, taninos presentes, mas suaves, boa concentracão e sabores de chocolate amargo, carvalho, terra molhada e um final fresco levemente mentolado. Harmonizará perfeitamente com vários pratos, da tradicional macarronada até uma picanha recheada no forno. Espetacular! De R$129 por R$109,65 para a família comer e beber rezando!

Espero que tenham aproveitado as dicas, pois escolher com carinho o presente para a mãe, é uma forma simples e sincera de agradecimento por tudo que ela sempre fez e continuará fazendo por nós. Se tiverem qualquer dúvida, não esqueçam de deixar um comentário!

Malbec, a uva preferida dos brasileiros

17/04/2018  •  Por Rodrigo  •  Vinho

Se me perguntarem qual é a uva preferida dos brasileiros, acho que a resposta sairia de bate pronto, Malbec. Sucesso absoluto por aqui, a cepa ganhou o mundo na última década e consolidou a Argentina no mercado internacional. Oriunda da região de Cahors, no sul da França, a Malbec encontrou nos solos hermanos, o terroir perfeito para a sua máxima expressão. Não é à toa que muita gente acredita que a uva seja argentina.

Mais do que isso, a Malbec foi a responsável por dar identidade ao estilo de vinho do país. Não existe no mundo uma relação tão próxima entre país e casta, como há entre a Argentina e a Malbec, que se tornou símbolo nacional a ponto de criarem o Dia Internacional da Malbec, que por acaso é hoje!

A aceitação dos Malbecs argentinos (principalmente nos EUA) foi tão grande que outras regiões produtoras começaram a investir na uva. Além do Brasil e do Chile, que já é conhecido pela qualidade do seu Malbec; a Califórnia acertou a mão com ela; e até a Austrália tem se aventurado com sucesso.

Mas por que tanta gente gosta da uva? Claro que cada país tem um estilo próprio de Malbec, mas quando se trata da Argentina, não tem como não se apaixonar. Dos suculentos Malbecs de Luján de Cuyo, passando pelos frescos e elegantes do Vale do Uco, os potentes vinhos de Salta, até os perfumados rótulos da Patagônia, a Argentina produz Malbecs de características distintas em todas as suas regiões.

É o tipo de vinho que eu indico tranquilamente até para quem tem uma certa resistência em gostar da bebida. Mas o que esses vinhos têm de tão especial para encantar dos iniciantes aos mais experientes? Certamente o seu estilo moderno, frutado e fácil de gostar, autênticos exemplares do novo mundo.

Quem está começando vai se identificar de cara com os aromas de frutas maduras, sabor de compota e a maciez dos taninos, que diferentemente de outras castas, como a Cabernet, não dão aquela secura na boca. Já os mais entendidos adoram a complexidade, concentração e estilo gastronômico que os bons Malbecs apresentam. E por falar em gastronômico, a harmonização é bem fácil, pois a uva se dá muito bem com vários tipos de comida. Desde churrasco, como uma bela parrilla argentina, alta gastronomia e até uma pizza descontraída.

VINHO MALBEC

Então, aproveitando a data de hoje, fiz uma seleção de Malbecs argentinos perfeitos para você não viver mais sem! E se você ainda acha que vinho não é a sua praia, pode dar uma chance para essa uva!

La Flor de Pulenta Malbec 2017 – Super floral, com aromas de violeta, especiarias, morango e um toque de baunilha. Na boca tem muito frescor, taninos bem suaves, corpo macio e um final frutado. Ótimo para carnes vermelhas. De R$79,90 por R$67,91.

Cobos Felino Malbec 2016 – Mais autêntico ao estilo, impossível! Se quiser degustar um pedaço da Argentina, vai nele. Lembro que na primeira vez que a Thereza provou, já sacou de cara que se tratava de um Malbec sem nem olhar o rótulo. Super frutado, aromático, no nariz parece uma geléia de amoras, cerejas maduras, cravo da Índia e leve caramelo. Na boca tem médio corpo, taninos doces e sabor de compota de frutas negras, chocolate e figo seco. Vinho suculento! Mesmo tendo toda essa concentração de frutas, ainda conta com boa mineralidade para manter o frescor no final de cada gole. Perfeito para churrasco, carnes nobres, queijos fortes, e até sozinho. Não tem que não goste. De R$99,90 por R$84,91

Escorihuela Gascón Malbec 2016 – Outro grande representante do estilo! Perfumado e aromático já surpreende com suas notas florais, de ameixa madura, blueberry, leve mentolado e pimenta do reino. Super elegante, com boa concentração e ótima acidez para harmonizar com pratos bem estruturados, massas com molhos fortes e carnes vermelhas. De R$99,90 por R$84,91

MALBEC-VINHO

Espero que tenham gostado das dicas. Sem dúvida Malbec é o tipo de vinho muito fácil de agradar. Qualquer dúvida, é só deixar um comentário.

 

 

 

Página 4 de 31« Primeira23456Última »