Dica de série: Halston na Netflix

09/06/2021  •  Por Thereza  •  Moda, tv

Não ando a pessoa mais seriadística dos últimos tempos (motivo: Maria Eduarda rs), mas semana passada assisti a um seriado que tem dado o que falar e adorei! Halston – interpretado brilhantemente por Ewan McGregor  – na Netflix, prato cheio pra quem ama moda, biografia e influência analógica direto nos anos 60/70. Vou compartilhar um pouco da história dele, sem spoiler, ok?

Antes de mais nada, Roy Halston Frowick, já ouviu falar? O estilista conhecido como “o homem que redefiniu a moda nos EUA”, aquele que trouxe glamour, um quê couture e era tão público e famoso quanto suas criações.

O começo foi através de criação de chapéus, logo, conquistou socialites e famosas, e foi visto na cabeça da então primeira-dama dos EUA, Jackie Kennedy. Depois disso ganhou notoriedade, destaque em plena loja de departamento chique, Bergdorf Goodman, em NY, mas o estilista queria ir além…

 

Sua ideia era lançar roupa, logo, fez uma coleção que não foi muito bem recebida, mas depois conseguiu engrenar e tudo graças a que? Além do talento, claro, bons contatos e relacionamento.

Halston se tornou grande amigo de Liza Minelli e angariou outras amigas – as Halstonettes – que logo se tornaram suas musas inspiradoras.

E era uma época boa, anos 70, a boite Studio 54 e tudo muito livre e glamuroso, logo, Halston se tornou celebridade por si só e colocava seu nome de roupa da seleção americana nas Olimpíadas até coleção na popular JC Penny.

 

E seus vestidos eram belíssimos por si só, a marca tinha uma estética sexy, minimalista, sofisticada e a cara do “American Way of Life”. Famosas como Bianca Jagger, Anjelica Huston, Elizabeth Taylor e Farah Fawcett foram uma das muitas que vestiram Halston em tapetes vermelhos.

Menção honrosa para Elsa Peretti, grande musa inspiradora e que depois se tornou o nome por trás da joalheria Tiffany e merece um post por si só.

E bem como suas roupas faziam um sucesso estrondoso, sua vida foi pautada por polêmicas, escolhas arriscadas, relacionamentos conturbados e é isso que retrata o seriado. A moda em si é o pano de fundo pra mostrar a vida de Halston, seus traumas, conquistas e derrota de um estilista que foi considerado o GRANDE estilista americano de uma era de ouro.

O seriado (6 eps) é daqueles que você assiste em uma tacada só, dado o envolvimento e curiosidade em querer saber como sua carreira se desenvolve. O diretor é o aclamado – e polêmico – Ryan Murphy e espero por uma estética glamourosa – NY reina – agitada e superficial. 

Agora o seriado me chamou a atenção por uma questão, lembro da história recente da marca Halston atrelada à Sarah Jessica Parker. Em 2010, a atriz se tornou presidente e diretora criativa da marca Halston Heritage e aproveitou justamente a época do filme SATC pra espalhar looks da marca pelo filme em si e pelo tapete vermelho. O Job durou pouco tempo, mas esses looks são memoráveis e levam o legado do estilista que redefiniu a moda no país.

Pra quem gosta de moda, vale ver e pra quem também não gosta, é uma bela biografia (apesar de criticada pela família, claro), até Rodrigo aqui gostou.