Você compra em brechó?

15/05/2018  •  Por Thereza  •  Pense

Quando eu falo brechó, o que te passa pela cabeça? Eu consigo vislumbrar 2 extremos, de um lado peças vintages e com um quê sofisticado de outrora (falar outrora é tão de outrora rs adoro), achados Dior e Chanel de décadas passadas, mas por outro lado, muita gente associa brechó com quinquilharia, coisa velha e mofo. Enfim, são 2 universos de um nicho cada vez mais poderosíssimo.

Mês passado li uma matéria muito interessante no Fashionista, logo compartilho com vocês. O ThredUP, que é o maior brechó online do mundo, estima que até 2022, o universo de revenda de peças (que vai muito além de um brechó na prática) vai faturar certa de U$49bilhões, superando até mesmo o faturamento de gigantes da moda, leia-se fast fashions. Enquanto os formatos tradicionais de venda tem crescido em média 2% ao ano (isso é até muito, já que as gigantes cada vez mais enfrentam prejuízos), empresas de venda de peças usadas crescem até 49% no ano, babado!

Os responsáveis por esse novo panorama da moda? Os millennials, sempre eles, salve salve! No assunto consumo, dada a enorme demanda, eles são muito impulsivos na hora da compra, porém usam em média 5 vezes uma peça de fast fashion, com isso, o mercado dos “semi novos” aumenta. Mas por outro lado, são mais conscientes e propensos a comprar de marcas com preocupação ambiental e também começar a vender suas próprias peças usadas. O que no passado poderia ser uma ~vergonha pros jovens, hoje é uma forma de negócio e ainda com um quê consciente.

Agora se você acha que esse universo de resale é feito só com os tradicionais brechós, super se engana. Hoje em dia cada vez mais surgem marcas apostando no viés da consignação,  nichos específicos (lembra da moda do aluguel de bolsas?) e até aluguel de roupas usadas. O que num passado digital recente era exceção, até 2022 parece que se tornará cada vez mais regra.

Lembro que quando morei fora, adorava desbravar brechós, eles eram comuns e daquele achado vintage chic no West Village até um 2 dígitos baratex em Williamsburgh, parece que na gringa isso é mais comum e aceitável que no Brasil. Espero que nos próximos anos possamos nos acostumar mais com esse novo universo e que tenhamos cada vez mais opções que mesclam fashionismo e sustentabilidade.

E qual é a relação de vocês com a revenda de looks?!

Os brechós de Rachel Zoe

19/04/2011  •  Por Thereza  •  Celebridades, Compras, Moda, New York, Viagem

Como boa viciada em The Rachel Zoe Project – e de Miss Zoe propriamente dita – percebi que ela tem um amor declarado por brechós, roupa vintage tudo que remeta a uma outra era e, principalmente, seja única, pessoal e intransferível.

Assistindo ao programa, ela já comentou algumas vezes sobre seu brechó favorito em NY, o New York Vintage. Daí fuxicando, descobro que o brechó é incrível, super renomado, considerado um dos melhores da cidade. Além de Rachel, As Olsens, Kim Catrall, Scarlett Johansson, Taylor Momsem e muitas outras são habitués da vintage store, vale a visita!

 

E num outro episódio que foi passado em Paris, Rachel correu pra seu brechó favorito na cidade, e um dos mais famosos brechós franceses, o Didier Ludot, que é super clássico e fica em pleno Palais Royal. Você é atendido pelo próprio dono (Didier, bien sûr) e ele ainda te conta a história de cada peça.

Pode não ser dos brechós mais bá$icos, mas certamente é uma experiência, um acontecimento você comprar uma pecinha que for em pleno brechó parisiense. Tipo inesquecível!

Agora, vindo pro nosso mundo real, estou pensando em fazer um post de bons brechós cariocas, mas conheço bem pouco, pra dizer a verdade, o que sempre indico é o Brechó Anexo, nos fundos do Shopping da Gávea, mas já estou treinando pra conhecer outros e dicas serão bem-vindas, não só no Rio, como no brasil todo!

O vestido da Fernanda Lima!

02/02/2011  •  Por Thereza  •  Celebridades, Compras, Estilo, Moda

Ontem, não se falava em outra coisa na minha timeline fashionística do twitter! O vestido escandaloso e peruístico da Fernanda Lima no seu Amor & Sexo. O vestido impressionava de uma tal maneira que nem consegui prestar atenção no conteúdo do programa (sexo, né?).

Umas falaram Balmain, outras tinham até comentado 284 (oi?), mas na realidade esse post é só pra deixar a gente com água na boca mesmo, pois se trata de um modelo vintage, very exclusivo e intransferível!
Quem contou foi seu stylist, Rodrigo Grunfeld no próprio twitter.  É um Biba Vintage, diretamente dos anos 70, comprado num brechó em Paris, chique, né?!

Agora momento fofoca, outro dia vi a família Hilbert-Lima no Fashion Mall e tipo…PUTS. De deixar Brad e Angelina querendo estudar o DNA gaúcho-catarinense. Benza Deus.

As fotos não estão muito católicas, pois mais uma vez, num ato de bravura, fotografei a minha TV! Mas aqui tem ela em movimento!