AS MAIS
LIDAS!

Nada é brega para sempre

03/08/2020  •  Por Thereza  •  Acessórios, Pense

Um título como esse nem precisaria de texto, ele já é autoexplicativo, mas eu explico. Outro dia estava lendo uma thread legal no Twitter falando sobre moda e sapatilhas e uma das envolvidas (eu perdi o tweet específico) falou, “Nada é brega para sempre” e eu gritei – em pensamento: SIM!

Sim diante da máxima, mas não diante do outro comentário, sapatilha não é brega e, vocês sabem, tenho aversão à essas palavras como brega ou cafona. Dito isso, é preciso explicar a fobia recente à sapatilha, pois para uns ela virou símbolo da “””cafonice””” como a pochete dos anos 90: moda não é linear, moda é circular, tudo que vai… volta, fique tranquila – ou preocupada.

A sapatilha em si tem uma questão específica, no início da última década viveu O AUGE do conforto, charme, fofurice e ainda ostentação (vide a famigerada sapatilha bicolor Chanel). Todo lugar era sapatilha, generalizou, banalizou… e bateu de frente – ou seria de bico?? – com o que eu gosto de chamar de item fashion do milênio, o tênis!

Veja a timeline, o auge das sapatilhas veio com o surgimento do tênis, não do tênis cotidiano que a gente usava pra escola ou pra academia (??), mas o tênis com caráter fashion, ousado, disruptivo, que abandonou a característica esportiva e se tornou fashionista, jovem, fresco e muito confortável.

A sapatilha é uma gracinha, tenho várias, mas de fato perdeu espaço pra era do tênis (e de alguns outros modelos de calçados que ascenderam nos último anos, vide mules, espadrilles e outros), então sumida sim, mas brega, jamais. E pra completar, e vale resgatar esse post aqui de 2017, sapatilha é confortável, mas não é lá, digamos, muito saudável.

Bom, pelo menos foi isso que meu ortopedista disse pra mim depois de ter um problema do calcanhar e ele me incentivar a EVITAR (não abadonar) o uso de sapatilha por saltos de pelo menos 2cm ou… tênis.

Outro dia postei na #RondadaFW um desfile lindo e com várias sapatilhas lindas e questionei “seria o retorno das sapatilhas?” e recebi um ou outro recado, “pra onde elas foram? nunca deixei de usá-las!”, bom, nem eu, mas a moda vai além do nosso guarda-roupa pessoal e vivemos eras que duram um semestre (por exemplo, o neon) ou alguns anos (como o linho que parece que voltou forte e em definitivo). O que está no nosso armário é imutável, é nosso e graças a Deus podemos comprar de forma mais consciente, mas as passarelas ditam novos movimentos, logo, veremos mais ou menos disso nas vitrines e araras.

Outro exemplo bem real, há uns 3 ou 4 anos, vimos muitas blusas ombro a ombro e ciganinhas por aí, agora vai encontrar nas lojas? Difícil. Elas sumiram 100%? Lógico que não, mas “cedem” espaço para outros movimentos e tendências. O mesmo podemos dizer do momento atual da estampa de oncinha que há 2 anos vem forte e espalhada por aí, em breve ela provavelmente tirará um período sabático, não pra gente, mas para as lojas!

E para o próximo ano, aposto no retorno triufante das rendas que, por muito tempo, passaram descansando para que tecidos mais minimais (como o cetim ou linho) brilhassem mais, mas isso será pauta para um próximo post. E um belo dia podemos falar isso das sapatilhas, elas não se tornaram bregas, aliás, desconfie de quem usa essa palavra que pra mim tem um caráter mais autoritário do que indicador de moda.

E todo esse resumo é pra explicar que a moda é cíclica e a frase do texto é definitiva: nada é brega para sempre. Por mim, poderia dizer que nada é brega e que talvez tenha sim seus altos e baixos, mas nada é eternamente brega, pelo contrário, já dizia o saudoso poeta contemporâneo, Alexandre Magno Abrão, “dias de luta, dias de glória”.

O legal da moda é isso, se até pouco tempo atrás olhávamos torto para pochete ou calça de moletom, hoje elas são itens fashion e de conforto, o mesmo podemos dizer das sapatilhas, se agora estão mais sumidas, um dia elas voltam e bom da gente que podemos experienciar os ciclos da moda e nos mantermos atentas pro entendimento dessa adorável engrenagem!

Beleza na gravidez: 4 produtos que tenho usado!

30/07/2020  •  Por Thereza  •  maternidade

Quando o assunto é beleza e gravidez, tem um mantra que você sabe antes mesmo de engravidar: taca óleo na barriga para não surgirem estrias! Daí quando você engravida de fato, já chega preparada pra se besuntar toda, mas a rotina de beauté de uma grávida vai um pouco além disso.

Fiz uma seleção de produtos que estou usando na gravidez com foco na barriga e pernas cansadas, dois pontos importantes e que merecem o cuidado diário!

O tal do óleo a gente já escuta no automático e seu benefício é justamente proteger a pele do estiramento natural devido ao crescimento da barriga. O óleo atua como uma hidratação profunda e que ajuda a evitar que elas surjam.

Vale dizer que ele não opera milagre, pois estria também envolve questões genéticas e, acima de tudo, é preciso manter uma boa alimentação durante a gravidez, beber muuuuita água e não usar roupas muito apertadas. O óleo não é santo, muito menos faz milagre, mas é um item que faz diferença se você caprichar no pacote do cuidado completo.

Dito isso, tenho usado desde o início da gravidez o famoso Huile Tonic – Tonic Body Treatment Oil da Clarins. Já usei ele em outras oportunidades e provavelmente é o óleo mais recomendado entre as famosas, ou seja, 100% influenciada com sucesso, mas independente disso, a Clarins é uma marca que gosto muito e até agora ele é só sucesso na minha rotina.

O óleo é formulado 100% com puros extratos vegetais, ele hidrata e ajuda a firmar, restaurando a elasticidade da pele, ou seja, tudo que uma grávida precisa. Seus ingredientes? Atentem ao cardápio maravilhoso: Alecrim, Gerânio e Menta, ajudam a firmar, tonificar e restaurar a elasticidade da pele. O óleo de avelã recupera a umectação natural da pele, retendo sua hidratação. Por fim, tem botânicos aromáticos que estimulam os sentidos e promovem uma sensação de bem-estar.

O que eu gosto dele é que o cheiro não é forte, passou com louvor no 1tri, quando eu sentia enjoo de rigorosamente tudo quanto é cheiro. Sobre a absorção, ele tem médio corpo, com isso ela não é rápida, você sente o óleo penetrando na pele no tempo que tem que ser. E, o mais importante, tem surtido efeito, pois até agora não tive estrias.

Passo ele 2 vezes ao dia (ok, às vezes esqueço e passo 1), mais cedo na hora do banho e depois quando vou dormir e fazer o ritual de bate-papo e música com a Maria Eduarda e o Rodrigo, é um momento muito gostoso! Tem dele aqui na Época por R$379.

Agora vale lembrar: não adianta passar o óleo sozinho, é preciso primeiro passar uma camada de hidratante para preparar a pele. Eu tenho usado o Creme de Massagem para estrias da Palmers, ele tem Colágeno, Elastina, Centella Asiática, Óleo De Argan e de Amêndoas, ou seja, já prepara a pele pro grande óleo. Tem dele aqui na Amazon por R$108.

 

Uma outra coisa que descobri no início da gravidez e que ajuda a potencializar todo o processo de super hidratação na barriga, quadril e outras áreas propensas à estrias na gravidez: esfoliar!

Esfoliar ajuda a limpar a pele do excesso de produtos que ela recebe nesse período. Lógico que tudo com ternura rs e 1x por semana, vale esfoliar a barriga e região.

Uso o Crushed Cabernet Scrub da Caudalie que é uma delícia, tem cheiro bom, a esfoliação é potente e ainda suave, tem um efeito drenante e é cheio de bons ingredientes. Ele tem semente de uva, é rico em mel, açúcar mascavo e 6 óleos essenciais. E acho que tem um excelente preço pro padrão Caudalie de qualidade, R$149 aqui na Sephora.

Esse produto foi uma novidade que eu não conhecia e o próprio pessoal da Clarins me apresentou e recomendou como ótimo para grávidas, o Lait Jambes Lourdes da Clarins é um Revitalizante para pernas cansadas.

Ele é uma emulsão energizante com extratos de camomila, manjericão, salva e cipreste para repousar, tonificar e redinamizar as pernas cansadas. Ele ajuda a manter a hidratação ideal da pele para pernas suaves, flexíveis e frescas. A sua textura ultraleve permite que seja aplicada a qualquer momento do dia, até mesmo por cima de meia-calça.

Ele ainda tem laranja amarga, que ajuda no repouso. Hipericão, Hortelã, Cipreste e Hamamélis, que são tonificantes, refrescantes e adstringentes. E óleos de gérmen de trigo e de amêndoa doce, que são nutritivos, ou seja, pacote completo para grávidas e pessoas que ficam muito tempo em pé e sentem as pernas cansadas ao longo do dia.

Os meus pés ainda não estão inchados, mas às vezes, especialmente nesse início de 3tri, sinto minhas pernas mais pesadas e cansadas, sabe? Daí mando Rodrigo exercer sua função de marido rs e ele aplica em toda a minha perna massageando e é bom demais. O cheiro é muito bom (super refrescante) e o líquido em si é bem levinho e absorve rápido. Boa dica pra quem sofre com essa questão. Tem dele aqui na Sephora por R$259.

Vale lembrar que todas essas minhas dicas são pessoais e antes conversadas com minha obstetra e também dermatologista!

 

11 looks da Lucy Boynton e Rami Malek por aí

27/07/2020  •  Por Thereza  •  Estilo

De volta com a série de looks por aí de casais (aceito sugestões, mas precisa ser um casal bem “público” pra ter foto dos dois de mãos dadas por aí hehe), depois de compartilhar cliques de Chrissy Teigen e John Legend, chegou a ver de outro casal, dessa vez um pouco menos midiático, mas absurdamente estilosos: Lucy Boynton e Rami Malek.

Eles tem cara e estilo bem inglesinho cheio de personalidade, mas ambos são nascidos nos Estados Unidos mesmo. O estilo foge daquele básico e moderninho de sempre, é alternativo discreto e cheio de personalidade e não só ela como ele também!

Sempre com um acessório diferentinho. Menção honrosa pra Céline Triomphe dela, falei aqui.

Fofos demais! Quero botar num potinho.

Desculpa, mas nunca irei dessociá-lo do Fred Mercury.

Casal coordenado faz assim

Casualmente fofos

Os looks deles tem um quê de outra década, acho isso extremamente charmoso.

Amo essa jaqueta jeans patchwork tudo pra mim

Pura elegância fora do óbvio

Já disse charmosos?

Soberanos no Oscar, um casal para admirar o estilo!