AS MAIS
LIDAS!

Você não é coreana, muito menos a sua pele!

09/01/2019  •  Por Thereza  •  Beleza, Pense

Bom, talvez você até seja uma leitora coreana, mas, no geral, acredito que 99,9% do meu público não seja, portanto, sua pele não é coreana, você não precisa necessariamente seguir os tais 10 passos, 11 rotinas e 12 métodos.

Bom, seria hipocrisia falar que não amo e consumo esse universo, que já fiz dezenas de posts só em 2018 (e não pretendo parar em 2019) e a febre foi até oficializada como Hit de Beleza da nossa retrospectiva! Mas que comecemos o ano com essa pequena reflexão que há tempos venho pensando e buscando me reeducar com parcimônia, logo, compartilho com vocês.

Por muitos anos, talvez por toda essa geração digital, maquiagem era TUDO. Era o suprassumo de beleza, gastávamos rios de dinheiro com o batom matte ou paleta colorida e no final… saía tudo no banho. Nos sentíamos lindas, empoderadas, a maquiagem democratizou, surgiram marcas baratinhas, ficou mais acessível… mas tudo saía no banho. Bom, por mim tudo bem, mas a reflexão foi além.

Em tempos de desconstrução, demaquilaram a maquiagem, a pele ultra reboco ficou leve e o contorno, bom, um blush tá mais que ótimo. Junto a isso, há umas 2 temporadas chegou a febre coreana de cuidado extremo com a pele. Tudo começou com as sheet masks, depois veio um produto a mais, uma essence, gadgets de beleza, muitos passos… pronto, essa rotina tirou espaço das maquiagens no nosso banheiro, talvez literalmente falando.

Eu confesso que 2018 foi o ano em que mais me interessei por pele e menos por maquiagem. Me preocupei muito com protetor solar, mudei minha rotina de produtos, inseri vitamina c, óleos, Foreo, repensei até o algodão que passava na minha pele. Acho que no geral, esse universo coreano teve um saldo positivo na minha rotina, mas sempre cabe uma reflexão.

É preciso entender que, enquanto uma maquiagem nos diverte, melhora a autoestima, muda a sua personalidade instantaneamente entre um delineado e um glitterzinho, o movimento da skincare vem a médio prazo… e pode nem vir. Com o frenesi da tal rotina coreana, convenhamos, nem todo produto pode ser eficiente ou, pior, você talvez nem preciso disso! É que com esse movimento, muitas vezes compramos por comprar, por influência alheia e sem nenhum aval médico, com isso, nos afastamos cada vez mais da nossa referência de pele brasileira.

E vou além, é preciso questionar a opressão que as próprias coreanas sofrem para chegarem ao ponto de usar uma quantidade absurda de 10, 20 produtos POR DIA. Li uma matéria falando que a misoginia na Coréia do Sul é tão forte e essa geração de skincare acaba, indiretamente, agravando essa situação e aprisionando milhares de mulheres. O que era pra ser autocuidado, prazer e bem-estar, acaba potencializando algo que temos lutado pra acabar, o tal padrão de beleza.

A indústria de beleza sul-coreana está cada vez mais poderosíssima, em 2017 faturou 13 bilhões de dólares e tem a taxa mais alta de cirurgias plásticas para fins estéticos por habitante no mundo, se tornando assim um procurado “destino cirúrgico”. Com todo esse movimento, muitas coreanas tem buscado desconstruir esse universo, se liberando dessas amarras de beleza, logo, isso também pode virar moda por aqui.

Além disso, é importante questionar o fator clima! Enquanto cada vez mais marcas tem desenvolvido fórmulas exclusivas pro nosso país tropical, a gente vai e busca produtos de uma região totalmente diferente da nossa? Pois é, no final e o mais importante, de todas as dermatologistas que conversei, a maioria acaba rechaçando essa overdose coreana e sugerindo o bom senso e, claro, que consulte seu médico!

A ideia é acabar com a graça do cuidado com a pele? De jeito nenhum. Continuarei falando sobre produtos e tratamentos, mas é preciso refletir o quanto podemos também estar ficando refém desse caro universo. Enquanto a maquiagem é mais eficiente, a skincare é mais transformadora, mas se ambas forem usadas com parcimônia e bom senso, tudo fica bem.  Portanto, que em 2019 usemos toda essa multiplicação de produtos e informações apenas a nosso favor, combinado?!

 




Deixe seu comentário!
*Preenchimento obrigatório (seu email não será divulgado).
Quer que a sua foto apareça no comentário? Clique aqui e cadastre-se!

24 Comentários
  1. SÍLVIA ELAINE DA SILVA - 09/01/19 - 12h52

    Que necessário isso!

    Responder
  2. Sara - 09/01/19 - 13h07

    Muito boa a reflexão!

    Responder
  3. Tata - 09/01/19 - 13h15

    Reflexão maravilhosa, como sempre!
    Aqui em Porto Alegre com os 36 graus que tem feito quase que diariamente é impossível passar muita coisa além de filtro solar.

    Responder
  4. Carol Dias - 09/01/19 - 13h29

    Que reflexão excelente!! Esclarecedora e no momento certo considerando que a febre continua! Obrigada por trazer sempre dicas novas, mas também por refletir sobre elas em vez de seguirmos cegamente a modinha… muito amor pelo Fashionismo <3

    Responder
  5. Suzane Bahde - 09/01/19 - 13h35

    Sensatez ❤️

    Responder
  6. Larissa Evelyn - 09/01/19 - 13h53

    Cristal sensato

    Responder
  7. Nattany Martins - 09/01/19 - 15h45

    É por isso que te venero The, estou terminando de ler “O Mito da Beleza” de Naomi Wolf e ela trata EXATAMENTE disto, sabe? Quanto mais a gente acha que precisa de produto e intervenção, mais o padrão de beleza suga nossa força que poderia ser muito bem usada em outras áreas da vida. Essa energia que demanda o auto ódio poderia estar sendo usada para desconstrução.
    Sabendo disso, o que o skincare me trouxe de bom? Passei a observar mais minha pele e ver como ela comporta nos períodos do dia, quais tipos de produtos não entregavam o que prometiam – tópico muitíssimo discutido no livro também. Catei aquele tanto de produto que tinha em casa que eu nem sabia pra que servia e dei a limpa. Me propus usar TUDO até o fim, descartei as embalagens, dei pras miga o que não usava mais. Procurei uma esteticista e fiz uma boa limpeza de pele, pronto! Unindo tudo isso as receitas caseiras e muito protetor solar tá dando ótimo pro meu lado. Muito mesmo.
    Essa reflexão é muito essencial, parabéns pelo post.

    Responder
  8. Andréia - 09/01/19 - 16h37

    Muito boa reflexão. Realmente tudo isso enlouquece a gente e acaba sendo nada saudável.

    Responder
  9. Uynna Carla - 09/01/19 - 20h00

    Combinadíssimo Thereza. Gostei muito da reflexão e concordo. Gosto de cuidar da minha pele, mas uso apenas sabonete específico para o rosto e protetor solar. Uma vez ou outro utilizo máscaras para limpeza profunda ou quando está frio/seco uso um óleo no rosto. E eu acho que já basta para minha pele.

    Responder
  10. Natalia - 09/01/19 - 21h32

    Sem falar que a verdade é que a indústria não da ponto sem nó mesmo. “Ah vocês decidiram que agora não precisam passar tanta maquiagem? Querem pele natural? Então venha conseguir pele natural mas que tal esse produtinho que vai deixar ela mais brilhosa, como viver sem ela estar meticulosamente limpa, usa esse creme pra acabar com suas espinhas e esse para diminuir olheiras. Prometemos mais resultado.”. Eu amo cuidar da pele, um dos meus melhores amigos é dermato. Adoro passar coisas mil no rosto mas entendo que não sou escrava da minha própria pele e tento sempre refletir se não estou passando do ponto quando vem os pensamentos de “meu deus, como assim não tenho nenhuma essense” – sendo que até há 4 meses atrás nem sabia que essense existiam e estava feliz com minha rotininha.

    Responder
  11. Helena - 09/01/19 - 21h34

    Fada sensata

    Responder
  12. Beatriz Lima - 09/01/19 - 22h09

    Perfeito, sem tirar nem por! Esse texto se faz tão necessário nesse boom do skincare que eu nem sei como te agradecer por ele. Desde o final do ano passado venho fazendo essa reflexão do que realmente é bom pra minha pele oleosa num clima tropical, tentando não me deixar levar pela enxurrada de novidades e lançamentos.

    Responder
  13. Naty - 09/01/19 - 22h45

    Eu tive esse insight em relação a cabelos, pois vinha muitos tutoriais gringos de norte-americanas e ficava frustrada com o tanto de produtos que elas usavam antes de chegar no penteado. Foi aí que me dei conta que elas, com cabelo fino e liso, precisavam fazer tudo aquilo pra chegar no cabelo que eu naturalmente tenho, mais grosso e ondulado. Além do boom de auto-estima – não sinto necessidade de usar nadinha além de shampoo e condicionador, falando da “estética” do cabelo – me dei conta que preciso nos atentar a detalhes culturais, climáticos e mesmo diferenças de composição biológica entre diferentes nacionalidades.

    Responder
  14. Gabriela - 09/01/19 - 23h07

    Amei o post! Cada pele é uma pele.

    Responder
  15. Daiene - 10/01/19 - 00h48

    Post de utilidade pública ❤️

    Responder
  16. Izabel - 10/01/19 - 09h33

    Que incrível.
    No ano passado que foi o grande boom desta febre, foi um ano de muitas reflexões para mim, sobre consumo e sobre
    Ansiedade com a aparência
    Então me Aprofundei no conhecimento sobre cuidados naturais, de modo que passei ao largo desses muitos passos mencionados.
    O Brasil tem muita riqueza para nos cuidarmos, óleos maravilhosos, extratos, a babosa por exemplo, porque sempre nos encantamos com coisas de fora do Brasil????
    Hoje eu cuido de modo bem minimalista.
    Uso um fluido de babosa para limpar
    Chá de camomila para tonificar
    Óleo de abacate algumas vezes na semana para cuidar
    E todos os dias uma base bem natural que também é protetor solar e que tem vários ativos ótimos que cuidam da pele.
    Sabe, vejo que estamos muito ansiosas, temos um medo terrível de chegar em certa idade igual um maracujá de gaveta (rs), e penso meu Deus, quanto pânico. Minha mãe tem mais de 50 anos e não vou falar que ela nossa para que tem 20 mas ela tem a pele ótima, sem manchas, não tem muitas rugas e olha minha mãe usava quase nada até os 35 anos. E até hj usava quase nada kkkk

    Responder
  17. Pati - 10/01/19 - 09h38

    Ótima reflexão…
    tenho pensado esses dias como temos lutado para deixar de lado os padrões mas, inconsciente (ou conscientemente) continuamos replicando novas formas de nos atrelar a padrões impostos. É tão difícil ser livre né?
    A própria gíria “sem defeitos” que vem muito sendo utilizada me faz refletir isso. A gente luta tanto para provar que a perfeição não existe – e não precisa existir – mas aí quando uma famosa como Beyoncé ou Isis Valverde posta uma foto em que está plena, magra, diva, pele perfeita, os comentários são apenas “sem defeitos”.
    Não seria um retrocesso? A luta não é justamente para se dizer que tá tudo bem ter defeitos? Mas não, continuamos impondo padrões sem perceber e nos cobrando por isso…

    Responder
  18. Jade - 10/01/19 - 10h37

    Esse post representa exatamente o que eu penso!!! Amei ler isso logo no início desse novo ano. Parabéns!!

    Responder
  19. Elisa Fauth - 10/01/19 - 17h06

    Thereza, finalmente alguém com bom senso escrevendo sobre o assunto.
    Não bastasse a maluquice que era o povo gastando horrores de dinheiro – que não tem – em maquiagens que praticamente não usam – porque sejamos sinceras, eu diria 95% das brasileiras não usa sombras no dia a dia – agora entramos na onda dos dermocosméticos.
    Nada contra, acho importante cuidar da pele. Mas o tanto que os perfis de beleza divulgam de máscaras que custam R$20,00, R$30,00 para uma única usada, o que não condiz em nada com a realidade brasileira. Cuidados com a pele são sim importantes, mas a loucura que isso tem criado e o consumo desenfreado de coisas que nem sequer sabemos se tem um efeito ou não – pois a maioria vem com ingredientes e textos em idiomas que não compreendemos – e que podem gerar vários problemas de alergias, inclusive.
    Que bom ver que tem alguém falando sobre isso… Beijos

    Responder
  20. Mariana - 11/01/19 - 10h02

    Caramba, Thereza! Sempre leio seu blog e quase nunca comento. Mas arrasou, que reflexão maravilhosa. <3
    Com tantos posts e produtos novos, parece que ficamos pra trás só com a limpeza (além do banho) e o filtro solar, né? E concordo super, muitos produtos são preventivos, mas vamos usar o óleo x até os 80 anos? O filtro solar sim, temos várias evidências disso, mas produtos que surgem todos os dias e prometem resultados a longo prazo, nunca dá pra saber se isso funcionará daqui 20 anos. E além disso, vamos envelhecer em paz e com saúde!

    Responder
  21. Gabrielle - 15/01/19 - 13h25

    A rotina nunca me pegou pq sou adepta do menos é mais na minha pele oleosa, fora os custos né?

    Responder
  22. Vitória Gonçalves - 15/01/19 - 19h05

    FADA SENSATA! Fui super influenciada com o boom do skincare e só não enlouqueci completamente e comprei mil e um produtos por falta de dinheiro, senão estaria agora mesmo arrependida hahahha apesar do lado positivo, como você pontuou, de nos trazer uma preocupação com a pele, acho que realmente o lado negativo está sendo maior, o que é uma pena. Ainda vivemos em uma sociedade capitalista e machista demais para enxergar as opressões presentes em cada mini coisa que fazemos.

    Responder
  23. […] – Você não é coreana, muito menos a sua pele! […]

    Responder
  24. […] – Você não é coreana, muito menos a sua pele! […]

    Responder