AS MAIS
LIDAS!

Cerveja de quinta: Iniciando os trabalhos!

27/08/2015  •  Por Rodrigo  •  Gastronomia

fe8dc0b164f1eb3b4b3b282e107bf8ef

Olá pessoal, hoje vou mudar um pouco de tema. Muita gente pediu, portanto decidi falar sobre cerveja! Já posso adiantar que não sou o maior conhecedor do mundo, mas como bom consumidor, consigo passar algumas informações e sugerir bons rótulos que me agradam.

Mas, tecnicamente falando, o que é cerveja afinal? É uma bebida carbonatada, que passa por fermentação alcóolica através de malte ou cereais como cevada. Tem como base a água e pode levar na sua composição lúpulo entre uma série de outras coisas como trigo, leveduras para fermentação e dependendo do estilo, frutas, raízes e condimentos que enriqueçam os aromas.

Para os mais interessados, há alguns estudos que falam sobre a origem da cerveja. Talvez seja a bebida alcóolica mais antiga do mundo. Como ela se dá pela fermentação de cereais com a água, tudo indica que o homem da antiguidade que armazenava cereais, acidentalmente os deixou em contato com a água e pronto, ocorreu a fermentação espontânea, a primeira cerveja, o primeiro porre e consequentemente, a primeira ressaca. A cerveja nos seus primórdios era chamada de pão líquido. Não é à toa que existem as cervejas de trigo.

Existe uma série de denominações para as cervejas, mas como meu objetivo aqui não é o de complicar, passarei as informações que considero mais importantes, regras gerais e principalmente, termos que guiem e facilitem a vida de vocês na hora de comprar uma cerva!

6b3a0c1415922907bda4a9453aa7aba1

Então, é importante saber que as cervejas são divididas em famílias cujas diferenças são basicamente os processos de fermentação. As duas principais famílias são as Lagers e Ales. As lagers são cervejas de baixa fermentação, ou seja, fermentam em temperaturas mais baixas. São as cervejas mais consumidas no mundo. Abaixo, alguns estilos mais conhecidos de lagers:

American Lager: é certamente o mais popular aqui no Brasil como em toda América. São as cervejas mais leves, geralmente consumidas estupidamente geladas. São nossas populares Skol, Antartica, Brahma, assim como a americana Budweiser. Aqui no Brasil são chamadas de Pilsen, mas é legal saber que Pilsen ou Pilsner na verdade é  um estilo de cerveja diferente, com sabor mais marcante e amargo, muito difundido na República Checa. Geralmente os rótulos checos que encontramos nos mercados são Pilsners.

Premium Lager: são as opções elaboradas com ingredientes um pouco mais selecionados. É outro estilo bem popular por aqui. Heineken e Stella Artois são dois exemplos.

Vienna Lager: estilo de cor mais acobreada, aromático, muito saboroso e com amargor pronunciado. Boas alternativas desse estilo são a Brooklyn Lager (uma das favoritas da Thereza) e a nacional Biritis, a cerveja do Mussum.

Bock: estilo que combina bem com o inverno. Normalmente são cervejas produzidas com mais malte, e apresentam corpo mais robusto e cor avermelhada. Quem (acima dos 30) nunca experimentou uma Kaiser Bock?

Dunkel: estilo de cerveja alemã mais escura com sabores que lembram chocolate. A brasileira Eisenbahn produz uma Dunkel ótima.

Já as ALES são cervejas produzidas através da alta fermentação que nada mais é do que a fermentação em temperaturas mais altas. O resultado são cervejas mais encorpadas, com maior complexidade e aromas frutados devido à maior concentração de malte e lúpulo.  Abaixo listei alguns estilos mais difundidos:

Pale Ale: estilo de cerveja de alta fermentação muito conhecido e que pode ser dividido em diversos sub grupos. Pale quer dizer pálido, claro, desse modo presume-se que as cervejas sejam de cor um mais clara, mas podem chegar até tons de cobre.

English Pale Ale: de origem inglesa, naturalmente, apresenta grande amargor. Muito comum em pubs ingleses na versão chopp.

American Pale Ale: elaborada com a utilização de lúpulo americano, tem bom corpo e espuma mais persistente. Os aromas lembram caramelo e notas cítricas.

As nomenclaturas podem variar dependendo da coloração, ai teremos os nomes Amber Ale e Brow Ale de cores avermelhadas e mais escuras respectivamente.

Indian Pale Ale (IPA): meu estilo favorito, muito lupulada e complexa. Tem esse nome, pois era produzida para o exército britânico na Índia. Como na época não havia a pasteurização, eles adicionavam maior quantidade de lúpulo para prolongar a validade do líquido durante a viagem. Resultado, grande amargor e aromas cítricos que lembram maracujá. Exemplos: Brooklyn East IPA, Baden Baden IPA, Burgman IPA Hop.

Independente dos nomes é importante sabermos o que esperar das ALES. Geralmente são cervejas com amargor pronunciado, pela maior quantidade de lúpulo e aromas que vão do cítrico ao caramelado. Eu particularmente adoro, pois são muito refrescantes e não enjoam.

08adcd5fbedc3765950a483ab919a7e3

Stout: cerveja forte com aromas e sabores de café torrado e chocolate. Um exemplo de Stout famosa é a Guinness.

Weiss: são as cervejas de trigo, muito apreciadas aqui no Brasil. Os aromas são frutados lembrando banana e cravo. Exemplos: Bohemia Weiss, ErdingerWeissbier, Hoegaarden e Vedett.

Cervejas Belgas: Certamente tem um estilo que agrada muitos apreciadores de cervejas premium. Por possuírem maior quantidade de malte e álcool elevado, os sabores são mais adocicados. Não é difícil encontramos  uma cerveja de estilo belga com mais de 8% de álcool.

Belgian Strong Ale: estilo criado nos monastérios da Bélgica com processo próprio de elaboração. Muitas marcas são chamadas de cerveja de abadia ou trapista, pelo fato do estilo ter sido desenvolvido por monges trapistas.

Apresentam aromas doces e frutados que lembram pêssegos, damasco e mel. Outra característica marcante é a espuma densa e duradouro em virtude da carbonatação. Termos como Dubbel, Tripel ou Quadrupel são referentes justamente à quantidade de malte utilizado na produção.  Exemplos são La Trappe, Chimay, Maredsous. Há também as Strong Golden Ales que são mais claras, porém com elevado teor alcoólico. As mais famosas por aqui são a Duvel e a Delirium.

4b5fa0aee16871a847cce48e4c12e39b

Pois bem, essa foi uma pequena amostra de estilos que podemos encontrar. Lembrando que os estilos não precisam ser obrigatoriamente produzidos em seus países de origem. Uma Belgian Strong não precisa ser produzida necessariamente na Bélgica, assim como uma American Pale Ale pode tranquilamente ser fabricada aqui no Brasil. A regra se aplica ao processo de produção e não a um país ou região.

Acredito que seja legal a experimentação, só assim vocês descobrirão seu estilo. Iniciem escolhendo aquele que tenha características mais similares ao seu gosto. Se você não curte muito sabores amargos, então não aconselho começar pelas IPAs, por exemplo. Se você adora um sabor mais frutado e doce, as belgas são a melhor opção. Claro que com o tempo o paladar vai evoluindo e se acostumando com novas sensações, o importante é experimentar cervejas diferentes.

Esse movimento de migração que as pessoas estão fazendo das cervejas genéricas para as mais complexas e artesanais é muito legal. Coisas novas vão surgindo, novos hábitos aparecendo e o conceito de beber menos, porém com mais qualidade nunca esteve tão em alta. A filosofia é exatamente a mesma da do vinho.

c8c23f7310045f5ded17b215c915aed6

Espero que tenham gostado, mais pra frente farei uma seleção de cervejas que eu já degustei e indico, lugares para degustar, harmonização e etc. Se tiverem alguma dúvida me falem e não deixem de comentar.




Deixe seu comentário!
*Preenchimento obrigatório (seu email não será divulgado).
Quer que a sua foto apareça no comentário? Clique aqui e cadastre-se!

37 Comentários
  1. Avatar
    Daniella - 27/08/15 - 19h59

    Oi Rodrigo, tudo bem? Adoro sua coluna. Moro em Blumenau, a terra da cerveja no Brasil e meu marido tem um blog de cerveja, viaja por muitos lugares provando e produz a própria cerveja. Vou deixar aqui o endereço, se quiseres dar uma olhada. Beijos pra você e pra The. http://www.krugerbier.com.br

    Responder
    • Avatar
      Rodrigo - 02/09/15 - 10h11

      Valeu, Daniella.
      Peguei a dica.
      Abs.

  2. Avatar
    Gisele - 27/08/15 - 22h53

    Olá Rodrigo,
    adorei a postagem, tanto pela originalidade, quanto na questão de ler tantas informações sobre cerveja. Eu adoro degustar, mas não sou entendedora, vejo rótulos diferentes e saio comprando e depois vou anotando o que gostei ou não.
    http://www.estilogisele.com.br

    Responder
    • Avatar
      Rodrigo - 02/09/15 - 10h10

      Olá, Gisele.
      Mas é assim que se começa mesmo.
      Abs.

  3. Avatar
    Alice Marques - 27/08/15 - 23h25

    Meu namorado tenta me ensinar sobre a diferença das cervejas, mas é muita nomenclatura.
    Muito bacana o post, fácil de entender.
    Continue trazendo mais conteúdo alcoólico para o blog…rs

    http://www.atesemsalto.com

    Responder
    • Avatar
      Rodrigo - 02/09/15 - 10h10

      Valeu, Alice.
      Realmente é muito nome mesmo.
      Abs.

  4. Avatar
    Vânia - 28/08/15 - 00h11

    Rodrigo, essa coluna é excelente! Brilhante ideia da Thereza colocar esse toque masculino aqui no blog, parabéns pros dois. Achei o post de hoje super didático, uma coisa assim meio “Cerveja para Leigos”! Adorei! Dá vontade de comprar uma de cada pra provar.

    Bjs,
    Vania

    Responder
    • Avatar
      Rodrigo - 02/09/15 - 10h09

      Obrigado, Vânia.

  5. Avatar
    Carol - 28/08/15 - 00h16

    Adorei a pastagem.Resume muito bem os tipos de cervejas. E concordo com vc em relação à preferência por cervejas artesanais. Ansiosa pelo próximo post :)

    Responder
    • Avatar
      Rodrigo - 02/09/15 - 10h09

      Valeu Carol.
      Abs.

  6. Avatar
    Ana Luísa - 28/08/15 - 08h41

    Oi Rodrigo!
    Que legal, adorei a temática cervejeira, visto que tenho origem alemã, moro em Jaraguá do Sul – SC, pertinho de Blumenau, terra da Oktober, e adoroooo desgustar uma (s) cervejinha(s) sempre que possível rsrsrs…
    Aqui na minha cidade tem uma cerveja chamada Stannis, quero ir pro encontro do melhor grupo em outubro, e vou levar de presente pra vc e pra Thereza. Eles fazem alguns destes estilos que vc explicou no post, e são deliciosas, bem artesanais. Eles também tem um Pub estilo irlandês onde servem apenas a cerveja deles, hamburgers e fish and chips (maraaa) entre outras delicidas… Se algum dia decidirem fazer uma rota cervejeira, passem por aqui, quem sabe vamos juntos ao Stannis pub :)

    Responder
    • Avatar
      Rodrigo - 02/09/15 - 10h08

      Olá, Ana.
      Valeu pelo comentário e pela dica da cervejaria.
      Abs.

  7. Avatar
    Luciana - 28/08/15 - 09h13

    Casal mais querido do mundo dos blogs !!!!!! Adorei o post vou ficar aguardando as dicas das cervejas!, bjs

    Responder
    • Avatar
      Rodrigo - 02/09/15 - 10h06

      Obrigado, Luciana.
      Abs.

  8. Avatar
    Giovanna - 28/08/15 - 09h46

    Adorei o post! Super didático e simples de entender os tipos de cerveja… Só confesso que ler isso numa sexta feira só me deixou com vontade de correr do trabalho direto pro happy hour! hahaha :smile:

    Faça mais posts de cerveja porque eu adorei! Eu ainda não sou muito #TeamVinho :)

    Responder
    • Avatar
      Rodrigo - 02/09/15 - 10h06

      hahaha,
      Valeu, Giovanna.

  9. Avatar
    Amanda Mora - 28/08/15 - 11h19

    Muitoo interessante, sou muito fã das cervejas artesanais! Moro em SC, bem perto de Blumenau, então tenho várias cervejarias por perto e experimento quase sempre algo diferente! Vou adorar acompanhar suas dicas..

    Bjss para você e a thereza! :kiss:

    Responder
    • Avatar
      Rodrigo - 02/09/15 - 10h05

      Valeu, Amanda.
      Com certeza por aí tem grandes cervejas artesanais.
      Abs.

  10. Avatar
    Flávia - 28/08/15 - 11h30

    Oi Rodrigo! Não esquece de um dia falar sobre o muso do Happy Hour: O choppinho! hehehehe

    Responder
    • Avatar
      Rodrigo - 02/09/15 - 10h04

      Pode deixar.
      Abs.

  11. Avatar
    Dani - 28/08/15 - 11h35

    Adorei o post!
    Sou mt fã de cerveja, mas ainda estou na fase “comprando aleatoriamente e experimentando” =D
    Beijos pra vcs!

    Responder
    • Avatar
      Rodrigo - 02/09/15 - 10h04

      Olá, Dani.
      É bom que agora vc vai se identificando com o seu estilo.

      Abs.

  12. Avatar
    Rai - 28/08/15 - 13h34

    Adorei o post!!! Já estou encaminhando para o boy! kkk

    Responder
    • Avatar
      Rodrigo - 02/09/15 - 10h03

      Valeu, Rai.

  13. Avatar
    Mariana M H - 28/08/15 - 19h42

    Oi Rodrigo! Apesar de não ser muito apreciadora de vinhos, sempre li sua coluna e aprendi muito com ela, mas agora estou realizada! Uma coluna sobre cervejas! Esse blog melhora a cada dia e, consequentemente, a cada dia me apaixono mais. Aguardo os próximos posts com dicas de cerveja para aumentar a minha coleção – tenho uma coleção de garrafas de cerveja. =)

    Responder
    • Avatar
      Rodrigo - 02/09/15 - 10h02

      Olá, muito obrigado pelo comentário.
      Pode ficar tranquila, pois vários posts virão.
      Abs.

  14. Avatar
    Thamy - 29/08/15 - 02h30

    Rodrigo, se um dia você tiver oportunidade prove Eisenbahn.
    São cervejas artesanais de Santa Cataria, muito boas.

    Responder
    • Avatar
      Rodrigo - 02/09/15 - 10h01

      Olá,
      adoro as cervejas da Eisenbahn. Aqui no Rio são vendidas em vários supermercados. A minha preferida é Rauchbier.
      Abs.

  15. Avatar
    Betina - 29/08/15 - 05h08

    Adorei o post!!! Confesso que não entendia muito de cerveja até vir morar na Inglaterra, mas foi depois de uma visita a Bélgica que descobri que minha favorita é definivamente a cerveja Belga, em especial as trapistas. Muito bem elaborado o post, fácil para nós mulheres (que normalmente somos mais leigas no assunto) entendermos este universo! Parabéns!!

    Responder
    • Avatar
      Rodrigo - 02/09/15 - 09h59

      Obrigado, Betina.
      As trapistas são realmente ótimas.
      Abs.

  16. Avatar
    Gabrielle - 30/08/15 - 13h47

    Excelente postagem! Já adorava as dos vinhos, agora mais ainda! Parabéns, Thereza! Seu blog está cada vez melhor!

    Responder
    • Avatar
      Rodrigo - 02/09/15 - 09h58

      Valeu, Gabrielle.
      Abs.

  17. Avatar
    Isabela - 30/08/15 - 15h04

    De onde é esse cooler de madeira???? apaixonada

    Responder
    • Avatar
      Rodrigo - 02/09/15 - 09h58

      Olá,
      Achamos no Pinterest!

  18. Avatar
    Tamara - 03/09/15 - 09h54

    Amei demais esse post! Como você citou no final, tenho preferido beber com mais qualidade do que quantidade. Uma dúvida: as classificações das cervejas são de acordo com o tipo de cereal que é usado na fabricação? Por que as American Lager, pelo o que você citou de exemplo, são cervejas feitas de milho.
    Ah, uma dica: bar Carioquinha na Lapa, com centenas de rótulos de cervejas internacionais e nacionais, só não entram cervejas de milho
    Outra coisa, também tenho a impressão de que o “beber menos” também pode estar ligado ao fato de que as cervejas feitas com cereais mais nobres enchem mais, eu bebo duas ou três garrafas e já me sinto bem.

    Responder
  19. Avatar
    Radha - 04/09/15 - 18h32

    Bebendo esse tanto não engorda? você não se preocupa com sua saúde?

    Responder