AS MAIS
LIDAS!

VINHO DE QUINTA: RAMANEGRA RESERVA PINOT NOIR

26/03/2015  •  Por Rodrigo  •  Gastronomia

Olá, pessoal! Estou aqui novamente para mais um post do nosso Vinho de Quinta. Antes disso gostaria de agradecer pelos comentários positivos aqui no Blog, fico muito feliz por vocês estarem gostando e até mesmo aprendendo sobre o tema. Acredito que ao descomplicar um assunto culturalmente complicado como este, seja com explicações ou dicas, o ato de degustar vinhos se torna muito mais agradável e acessível.

mun-casarena-bodega-y

Pois bem, o vinho de hoje é da Vinícola Casarena, localizada em Mendoza, na Argentina, uma vinícola no estilo Boutique, que produz vinhos muito bem elaborados de forma artesanal. A altitude elevada em que ela se encontra, possibilita condição ideal para uvas saudáveis de ótima qualidade. Nela encontramos vinhos de nível superior por preços moderados e linhas como: Single Vineyard, Casarena Reserva, Casarena 505, Ramanegra Estate e Ramanegra Reserva.

É justamente um vinho da Linha Ramanegra Reserva que resenharei para vocês. Trata-se do Pinot Noir e a escolha do rótulo foi simples: é um vinho extremamente feminino, delicado e bem ao estilo Novo Mundo, ou seja,  moderno, aromático, fácil de beber e que pode servir de introdução para quem estiver interessado em se aventurar pela uva, sem ter que gastar uma pequena fortuna adquirindo um rótulo da Borgonha (famosa região da França responsável pelos melhores Pinot Noirs do mundo), que para quem está começando a degustar, pode parecer um tanto difícil de beber.

Vamos aos trabalhos:

vinho de quinta

Ramanegra Reserva Pinot Noir 2011: Vinho feminino de coloração violeta bem clara. Para sentir os aromas pode-se abrir mão da suposta etiqueta, coloquem literalmente o nariz dentro da taça e inspirem fundo! Notarão um vinho perfumado, amplo, cheio de frutas frescas como morango doce, cereja e framboesa. O amadurecimento em carvalho durante 12 meses proporciona uns toques de baunilha bem interessantes e um leve tostado.

Na boca, lembrem-se de “mastigar”o vinho numa espécie de bochecho e sentirão corpo leve e deliciosos sabores frutados. Após engolirem, prestem atenção no gosto remanescente de frutas vermelhas, aparece também um leve adocicado que nem de longe deixa o vinho “chato”. Termina com acidez na medida. Dá pra beber a noite toda sem ficar saturado.

Resumindo: vinho gostoso e fácil sem perder a elegância. Ótimo para o público feminino pela delicadeza, e por não ter tanto tanino (não dá aquela sensação de banana verde secando a boca), mas os homens certamente reconhecerão que vale a pena. Mais uma vez, ótima introdução aos Pinot Noirs. Simples e frutado e diferente dos austeros, terrosos e vegetais clássicos da Borgonha.

A faixa de preço dele é R$70-80. Há também mais 3 rótulos da mesma linha, Malbec, Cabernet Sauvignon e um corte (vinho elaborado de mais de uma variedade de uva). Todos muito bem feitos e deliciosos, porém com muito mais potência, corpo e taninos.

027ebcd8d25fc52a80fdf8e83ae7b111

Espero que tenham gostado! Comentários com dúvidas, pedidos e críticas são sempre bem-vindos.

 




Deixe seu comentário!
*Preenchimento obrigatório (seu email não será divulgado).
Quer que a sua foto apareça no comentário? Clique aqui e cadastre-se!

14 Comentários
  1. Lady Cat - 26/03/15 - 17h29
    Responder
  2. Adriana - 26/03/15 - 18h53

    Simplesmente amando estes posts! Aprendendo muito.

    Responder
  3. Roberto - 26/03/15 - 22h12

    Gosto muito de vinho e é sempre muito interessante ler e saber coisas novas.

    Responder
  4. Juliane Martinello - 27/03/15 - 08h08

    Uau! Deu vontade de tomar agora mesmo (exatamente 8a.m. rsrsrs)!
    Espero a quinta só para ler essa coluna!
    beijos Thê… Diz pro teu marido que ele arraza nas resenhas ♥

    Responder
  5. Lari Mizukami - 27/03/15 - 08h29

    Anotadinho pra comprar no fds! E o Merlot.
    Ri alto com a definição do Merlot na foto, por que no meu caso é o meu preferido e é a pura realidade.
    Eu sempre falo que a carne boa pra mim é quando eu corto no prato e ouço o boi mugir, praticamente vivo. ahahahaha

    Responder
  6. liv - 27/03/15 - 12h38

    excelente :clap: :clap: :clap:

    Responder
  7. Marina - 27/03/15 - 16h12

    Só porque ninguém comentou isso ainda: https://www.youtube.com/watch?v=0CJVrGp03uM

    Responder
  8. Ingrid B - 27/03/15 - 19h59

    Amo a tag! Virou meu guia de compras de vinho. Além disso, o tom do texto é perfeito: informa sem o pedantismo tão associado ao assunto. Vocês estão de parabéns! Tenho uma sugestão de post: que tal dicas de boas opções de meia garrafa, se é que existem rsrs

    Responder
    • Rodrigo - 29/03/15 - 17h17

      Olá, Ingrid.
      Obrigado pela dica. Há diversas opções de meia garrafa no mercado, até mesmo 1/4 de garrafa. Se quiser comprar, sugiro pesquisar pela linha de vinhos argentinos Tilia. São muito bons e os preços são atrativos. Quem importa é http://www.vinci.com.br/.

  9. Letícia - 27/03/15 - 20h23

    Adoro essa tag!! Não sou iniciante no mundo dos vinhos, mas curto muito suas explicações porque posso conhecer vinhos novos!! :smile: O vinho desse post, por exemplo, não conhecia apesar de já ter visitado Mendoza aka lugar abençoado por Bacco na Argentina. Como prefiro vinhos de mais corpo vou procurar Malbec ou corte (gosto muito de vinhos com diferentes uvas). Mas, aqui no Rio, onde a gente pode encontrar?
    Com o recente aumento do imposto de importação, muitas importadoras têm restringido muito a variedade de vinhos de fora do Brasil. Meu marido e eu temos encontrado maior dificuldade para encontrar vinhos diferentes, gostamos de experimentações. E acho que tudo vai piorar com a alta do dólar.
    Para terminar o comentário-testamento, vocês conhecem um vinho brasileiro chamado Almaúnica? É de Bento Gonçalves, mas muito diferente do que se costuma fazer lá! Seria um bom substituto para “vinhos do dia-a-dia”, mas quase não chega aqui no Rio :cry:

    Responder
    • Rodrigo - 29/03/15 - 17h41

      Olá,
      Obrigado pelo carinho. Mendonza realmente é destino certo para todos os enófilos. Você vai adorar o Malbec da Ramanegra, o Cabernet também é formidável e não tem aquele amargor de “pimentão”muitas vezes encontrado nos Cabernets da América do Sul. Nós degustamos o vinho na Cavist da Barra, mas existem algumas lojas on line que vendem. Pesquisando rápido encontrei essa aqui: http://www.casapalla.com.br/listaProdutos.asp?IDLoja=23007&Y=2163274019134&Digitada=True&Texto=ramanegra&Buscar.x=0&Buscar.y=0. Eu particularmente não conhecia, mas de qualquer forma há mais lojas pra você comparar preços, condições etc…
      A substituição Tributária veio pesada aqui no Rio, e tanto importadores quanto distribuidores estão sentindo. Uma boa alternativa, é a compra pela internet, em lojas virtuais que vendem diretamente para o consumidor final. A ST não se aplica para esse comércio. Quanto ao dólar, os importadores tem quer usar o bom senso, pois com preços muito elevados, o mercado para e todo mundo sai prejudicado. Acredito que os produtores estejam com boa sensibilidade para renegociar valores e reduzir margens, pois o Brasil é um excelente mercado e vale a pena sacrificar um pouco da sua margem para manter o volume de vendas.

  10. Naty - 28/03/15 - 23h10

    adoro a tag!! Adoro vinho! Minha família é portuguesa e vinho faz parte de comemorações até refeições comuns! Anotando vinhos e aprendendo bastante!

    Responder
  11. Lyssa Iami - 24/04/15 - 15h36

    Adorei a dica! Estou começando a me interessar por esse universo e tô anotando tudinho rs
    Outro dia fui jantar e pedi o Montesco Pinot Noir 2012 e simplesmente amei, bebemos a garrafa toda sem sentir. Depois, acabei comprando o Lassia Pinot Noir 2011, mas ainda não provei. O que você acha desses dois? Alguma sugestão de algum próximo que eu possa experimentar nessa linha?
    Parabéns pela coluna! :blush:

    Responder
  12. Luiz Fernando Santos Escouto - 12/05/19 - 20h28

    Boa noite

    Adoro comer e beber! Dentre as minhas atividades atuais está a elaboração de Parecer Sensório-Gustativo de comidas e bebidas. Muitos profissionais tem se utilizado do conteúdo do parecer para fazer Marketing Sensorial em suas redes sociais e isto tem chamado a atenção de muitos interessados a se converterem em consumidores conscientes. Se houver interesse de vocês em conhecer este projeto é só contatar no email acima.
    Obrigado
    Prof. Dr. Luiz Fernando Santos Escouto
    Nutricionista CRNSP 2726
    Doutor em Ciências Agronômicas/UNESP/BOTUCATU/SP
    Pós-graduação em Administração da Qualidade/FACULDADES CLARETIANAS-FAAP/SP
    Pós-graduação em Padrões Gastronômicos/UNIVERSIDADE ANHEMBI-MORUMBI
    Pós-graduação em Nutrição, Dietética e Dietoterapia/UNIVERSIDADE FEDERAL DE VISÇOSA-UNIVERSIDAD DE NAVARRA-ESPANHA
    Winner Culinary Congress / Le Cordon Bleu Ottawa Culinary Arts Institute –CANADA
    Orientador de Projetos do CNPq
    Pesquisador do GEGASTRO – Grupo de Estudos e Pesquisas em Gastronomia – UNICSUL/SP
    Pesquisador na área de Análise Narrativa Alimentar
    Cozinheiro Chef Internacional – SENAC/ÁGUAS DE SÃO PEDRO-SP
    Sommelier de Cervejas e Vinhos – SENAC/ÁGUAS DE SÃO PEDRO-SP
    Analista Gustativo
    Professor de Análise Sensorial e Gastronomia / FATEC MARÍLIA – SP
    Escritor e Autor do livro infantojuvenil “O homem que amava comidas”
    Life Coaching
    Avaliador do CEESP – Conselho Estadual de Educação do Estado de São Paulo para cursos de Nutrição
    14 – 997056815

    Responder