Como identificar se o vinho está estragado

05/05/2017  •  Por Rodrigo  •  Vinho

É possível que já tenha acontecido com algum de vocês: provar um vinho e ter a nítida impressão de estar estragado ou com sabor muito desagradável. Aí você pensa, será que não estou com meu paladar apurado o bastante para apreciar o vinho? Desse modo, é importante dizer que os vinhos são compostos de elementos vivos que podem sofrer alterações e simplesmente estragar. Eu mesmo já me deparei com vinhos “passados” e com aromas muito deteriorados, do tipo que não dá nem pra cheirar de novo.

Há uma enormidade de fatores que contribuem para isso, mas o que importa, é que ninguém tem a obrigação de tomar algo defeituoso. Então, aqui vão algumas dicas preciosas e sem enrolação para que você possa identificar defeitos (de fabricação ou de armazenamento) no vinho e assim, exigir sua troca ou reembolso com respaldo e conhecimento.

Gosto de Rolha: Defeito bem comum que afeta não apenas os vinhos, mas principalmente quem os toma e tem que fazer cara de que está adorando pra não parecer deselegante. Esse gosto extremamente desagradável se dá pela contaminação da rolha por fungos, o que resulta em aromas de mofo, cortiça, papelão e até cachorro molhado. Se perceber isso ao cheirar o vinho, pode trocar dizendo que o vinho está Bouchonée como dizem os franceses. Muitos produtores evitam esse problema com screw cap, que são tampas de rosquear no lugar das rolhas, estas costumam dar mais esse tipo de problema.

Gosto de Vinagre: O que acontece se você deixar um vinho aberto por meses? Ele vira vinagre. Isso ocorre devido à presença do ácido acético que em contato com o oxigênio presente na garrafa, manda o vinho literalmente pro vinagre. Um dos maiores responsáveis por esse defeito é o oxigênio, que mesmo sendo fundamental para o desenvolvimento da bebida, se administrado em excesso pode oxidar o vinho. Os grandes vinhos de sobremesa, como o Jerez, passam por uma oxidação forçada com intuito de desenvolver aromas característicos, porém isso é proposital e controlado, diferente de quando ocorre por falha na produção ou no estoque.

Exposição exagerada ao sol ou a rolha muito seca são causas também, por esse motivo é bom armazenar os vinhos longe do sol e preferencialmente deitados para evitar que a rolha resseque e quebre criando fissuras para o ar passar. Entretanto, se você comprar um vinho avinagrado, com cheiro de acetona ou até xixi de gato, é provável que ele tenha sido mal estocado, assim sendo, pode solicitar a troca alegando que o produto está oxidado ou com excesso de acidez volátil.

Cheiro de Animal: Outro problema que de vez em quando aparece. Já provou algum vinho com cheiro de estábulo ou chiqueiro, sim chiqueiro? Eu já, mas descobri que se trata de um defeito causado pela levedura Brettanomyces, carinhosamente apelidada de Brettque contamina o vinho e produz esses aromas nada agradáveis. Isso se dá, principalmente por falta de cuidados e até mesmo limpeza nas vinícolas, pois se trata de uma contaminação.

Vale ressaltar que alguns produtores de vinhos consagrados da Borgonha ou de Chateauneuf Du Pape usam a Brett propositalmente para agregar mais complexidade e caráter aos vinhos. Contudo, isso é realizado com maestria e como resultado, um espetacular de aroma de couro. Já nos casos dos vinhos defeituosos, o sabor fica terrível e você deve trocar a garrafa. Pode dizer que o vinho está com cheiro de Brett, ou se quiser ser mais específico, esterco.

Cheiro de Enxofre: Não é o diabo que está por perto, mais sim um vinho com defeito (tem gente que acha até pior). O cheiro de enxofre ocorre pela adição de SO2, ou dióxido de enxofre, no vinho. Apesar de ser utilizado em toda indústria vinícola com o objetivo de conservar a bebida, quando usado na dosagem errada, dá um aroma bem peculiar de fósforo.

Já existem alguns vinhos SO2 free, que não utilizam a substância, que por um acaso é a mesma que gera a ressaca. Troque a garrafa sem pestanejar se o vinho tiver cheiro de enxofre. Se quiser parecer super entendido, pode dizer que o dióxido de enxofre foi mal administrado na produção. Se o responsável pela troca não entender do que se  trata, ficará até com medo de perguntar.

Vinho Passado: Vinho sem sabor, com um adocicado estranho caindo pro vinagre, gosto de cozido ou com a cor opaca e sem brilho, pode ser sinal de que ele já cruzou o Cabo da Boa Esperança. Vinho é vivo, ou seja, nasce, se desenvolve, declina e morre. Aquela máxima de que vinho bom é vinho velho, só se aplica a um percentual muito pequeno dos grandes vinhos. A maioria pode ser degustada na “juventude”.

Evite comprar vinhos baratos de safras muito antigas, pois é bem provável que já tenham perdido o viço. Uma dica, é colocar a garrafa contra a luz e analisar a cor, se estiver brilhante e viva ok, mas se já estiver com aquele tom opaco, já era. Você pode observar também se a rolha está meio saltada, tipo saindo da garrafa, isso é sinal de que o vinho “cozinhou”, ou seja, ficou muito tempo exposto ao sol.

Então, gente, espero que tenham aproveitado as dicas. Existem muitos outros motivos para um vinho estragar, mas eu quis pegar os principais e mais comuns. O mais importante é saberem identificar se o vinho está estragado ou com defeito, e não terem receio algum de trocar e explicar o motivo! Afinal, se a vida é muito curta pra tomar vinho ruim, imagina vinho estragado?

Qualquer dúvida, elogio, crítica ou sugestão, é só deixar um comentário. Se tiver alguma sugestão de post, só falar!

Deixe seu comentário!
*Preenchimento obrigatório (seu email não será divulgado).
Quer que a sua foto apareça no comentário? Clique aqui e cadastre-se!

13 Comentários
  1. Erika - 05/05/17 - 16h52

    Bravo!!! Post anterior com conteúdo feminista e este de altíssimo nível, porém de fácil compreensão. O blog está cada vez melhor!

    Responder
    • Rodrigo - 05/05/17 - 21h20

      Valeu, Erika.
      Que bom que está gostando.
      Abs!

  2. Solange Greco - 05/05/17 - 19h30

    Gostei das razões para um vinho estar estragado. Sabia algumas, porém não tinha conhecimento de nomes para os problemas. Obrigada e continue postando sobre vinhos. Muitas pessoas no Brasil bebem muito vinho sem saber o que estão tomando.

    Responder
    • Rodrigo - 05/05/17 - 21h21

      Oi, Solange.
      Fico feliz que tenha gostado, o objetivo é esse mesmo.
      Abs!

  3. Amara - 05/05/17 - 20h25

    Esse post ainda vai me salvar. Haha

    Responder
    • Rodrigo - 05/05/17 - 21h20

      Que maravilha, rsrs!
      Abs!

  4. Luh - 05/05/17 - 23h09

    Nunca imaginei na minha vida q vinhos estragam… Isso pode acontecer tbm com outras bebidas?

    Responder
    • Rodrigo - 06/05/17 - 20h39

      Oi, Luh.
      Na verdade, qualquer bebida pode estragar, tanto pelo processo de produção, mas principalmente pela forma de armazenamento no varejo. Isso pode acontecer com vinhos, whisky, vodka e principalmente cerveja.
      Abs!

  5. Fernanda Camara - 06/05/17 - 01h43

    Post sensacional, principalmente pela “nomenclatura” dos defeitos
    Fashionismo, melhor blog. ❤

    Responder
    • Rodrigo - 06/05/17 - 20h40

      Valeu, Fernanda.
      Abs!

  6. Je - 09/05/17 - 16h07

    Post ótimo!!! Parabéns pelo seu trabalho!

    Responder
  7. Marielle - 18/05/17 - 17h09

    Excelente post!!!! Legal demais o blog incluir esses assuntos de maneira tão prática!

    Responder
  8. Marcelo Pereira Dias - 24/10/17 - 10h02

    Bela postagem…
    Parabéns….

    Responder