AS MAIS
LIDAS!

Quando vamos querer parecer ter a idade que temos?

03/08/2017  •  Por Thereza  •  Pense

“Não tenha pressa de parecer mais velha, minha filha” com essa frase da Sirléia (Vera Holtz) dita pra Catarina (Carolina Dieckman), na novela Por Amor, me bateu uma mini reflexão. Achei tão profundo, mas tão óbvio, tão delicado e simples.

A filha, com seus 18 anos, toda maquiada pra uma festa e a mãe, 40 e alguma coisa, passando por problemas da meia-idade, sendo traída pelo marido e se sentindo… velha. Era Miss, hoje sofre por perder a juventude. É duro, é real. E isso tem acontecido cada vez mais cedo.

Quando vamos querer parecer a idade que temos de fato?

Pois quando temos 16 ou 17, logo queremos ser mais velhas, exagerar no blush ou até mesmo adulterar um documento (?) pra poder entrar nas baladas. Depois disso, vamos querendo ficar mais sexies, mais adultas, mulherão, tudo lá pelos 18, 19, 20.

Eis que em algum momento dos 20 e tais anos, já começa a bater uma insegurança “socorro, estou chegando aos 30” e não surgem apenas os creminhos preventivos, mas procedimentos estéticos. E eu digo uma coisa, sou zero ~cagação de regra, mas cara, você é muito nova pra já ser refém disso. Outro dia vi uma conversa de 2 meninas de 23 falando de procedimentos estéticos invasivos como se fossem comum, simples. Podem até ser, mais ainda acho que não deveriam, pois isso tudo é reflexo da nossa sociedade acelerada, que queima etapas e nos obriga a nos encaixar em padrões surreais… e estreitos. Bom, aquela velha história, mas é bom reafirmar.

Daí a gente chega aos 30, o desespero aumenta, você se afasta da tal juventude, a insegurança cresce ano após ano e os tais procedimentos estéticos, como botox, preenchimento, se antes eram distantes – ou deveriam – hoje se tornam mais próximos. Quando é a hora? Sem contar o bônus com aquelas perguntas insuportáveis de “vai casar quando?” ou “e o baby, quando vem?”, é tudo uma urgência pra acontecer logo.

Aos 30 nós devemos parecer ter 30? Mais nova? Mais mulher?

Outro dia li uma coisa que me incomodou “nossa, a Sandy tem 34 anos, ela tá super conservada”.

Conservada?? A Sandy só tem 3 fucking 4 anos, ela tá linda e normal. Ok, ela aparenta aquela mesma carinha de menina, mas ela só tem 34 anos, pouco tempo passou desde que ela pulava por aí. Ver uma Sandy ~conservada e eventualmente se olhar no espelho e não achar o mesmo, é mais uma super pressão que a mídia, as pessoas, nós mesmos nos colocamos.

Por fim, quando é o auge? Quando, afinal, vamos querer parecer a idade que temos? Eu tenho uma teoria que uso pra mim, é bem simples, é ridícula: estamos vivas, isso é o que tem pra hoje, vamos aproveitar e viver um dia de cada vez. Evoluimos diariamente, queremos melhorar, mas junto a isso é preciso aceitar esse tal dia de cada vez. Até mesmo pela fase mindfulness que estou vivendo (já postei aqui sobre), tenho buscado mais viver o hoje, não pensar no amanhã e esquecer o ontem, é tão simples, mas muito difícil.

No mais, eu concordo muito com a Sirléia, não tenha pressa de querer ser mais nova, a sua idade é perfeita, seja 18 ou 48, você tá viva, seja feliz, a hora é agora e clichês são bem-vindos. O tempo não é cruel conosco, nós é que somos cruéis com nós mesmas.


AMARO Beachwear

Deixe seu comentário!
*Preenchimento obrigatório (seu email não será divulgado).
Quer que a sua foto apareça no comentário? Clique aqui e cadastre-se!

46 Comentários
  1. Fêh Zenatto - 03/08/17 - 01h26

    :clap: :clap: :clap: :clap:
    The, só tenho palmar pra deixar depois desse post!
    Sério. Esse reflexão é tão importante. Também fico chocada em como as pessoas estão tendo cada vez mais dificuldade de envelhecer, um processo tão natural.
    Amei!

    Beijos.

    BLOG COISA E TAL

    Responder
  2. Yasmin - 03/08/17 - 02h25

    Sensacionais tanto a reflexão quanto o texto, The! Acimpanho o blog há anos e amo quando você faz esse tipo de post, que nos faz pensar. Nunca entendi meninas de 15 querendo parecer um mulherão, meninas de 20 e poucos recorrendo a procedimentos invasivos, as de 30 se achando velhas, as de 40 começando a omitir a idade. A gente tá na vida pra ser feliz, e nossa idade não deveria ser um problema. Devíamos passar a abraçá-la como estamos passando a fazer com nossos cabelos…

    Responder
  3. Anne - 03/08/17 - 07h47

    Me impressiono cada dia mais com esse blog! Depois dos 30, ele apenas que permaneceu em minha leitura diária. Adoro as suas reflexões, sempre pertinentes. Adoro a forma madura como você trata todas as questões relacionadas ao mundo feminino! Parabéns!! :heart:

    Responder
  4. Gláucia - 03/08/17 - 08h28

    Seu blog é maravilhoso, passa longe de tratar apenas de produtos de beleza, roupas e maquiagens, ademais, depois da adolescência, queremos informações que nos façam pensar e é isso que vc tá conseguindo com esses posts, obrigada!!

    Responder
  5. Heloisa Carvalho - 03/08/17 - 08h46

    Adorei o texto, The. Também fico assustada com pessoas muito jovens fazendo procedimentos estéticos… Essa semana mesmo, uma youtuber/blogueira que acompanho e deve ter uns 25 anos fez aplicação de botox pra amenizar as rugas (???). É aquela coisa, ela quis, achou bom, ok. A vida é dela. Mas será que precisava? Aonde rugas, senhor? Ela É jovem, não precisa tentar parecer mais jovem.
    Acho muito cansativa essa “corrida contra o tempo”. Nunca podemos parecer ter a idade que temos…
    P.s.: também estou sofrendo – e há um bom tempo – com a cobrança para ter filho… E eu tenho só 27 anos.

    Responder
  6. Milena - 03/08/17 - 08h47

    Nossa, concordo plenamente…confesso que sofro com esse processo de envelhecer e ainda tenho que trabalhar isso na minha cabeça como algo natural…
    É que é difícil esse processo e ainda sofremos mais pela pressão que nos é imposta diariamente…
    Obrigada por essa reflexão tão importante! <3

    Responder
  7. Chris Anelise - 03/08/17 - 08h48

    Adoro chegar no trabalho, abrir o fashionismo e já ver post novo. E que post! Tudo isso é tão verdade, parece que de um dia pro outro vc passa de querer parecer mais velha para logo no outro querer aparentar ser mais jovem. Não existe um meio termo, uma idade “certa”. Muito louco isso.

    Responder
    • Fernanda Camara - 03/08/17 - 10h32

      Chris Anelise: eu também abro o Fashionismo assim que chego no trabalho. É uma das minhas primeiras leituras do dia. The, você é demais! Amo esse blog e o que ele representa. Beijos

  8. Camila dos Santos - 03/08/17 - 09h08

    Que lindo post!!!!! L I N D O!!

    Responder
  9. Izabel - 03/08/17 - 09h23

    Parece que estamos sempre em sintonia. Eu tenho pensando muito, muito mesmo a esse respeito.
    PORQUE PELO AMOR DE DEUS temos que parecer ser mais jovens??????????
    A Sandy é linda e não falo o contrário, mas se vocês repararem ela sabe muito bem quais são seus bons ângulos, olhem o instagram dela, até a posição (praticamente a mesma sempre) da boca favorece para não mostrar aquela leve flacidez ao lado dos lábios (que todo muuundo passa a ter), com isto estou dizendo que ela é uma farsa? Claro que não; apenas que a galera pira também nas comparações com fotos.
    Olha não é fácil, porque enquanto a gente tenta evoluir, refletir e ser feliz com o hoje e com o que tem, o mundo ai fora joga totalmente ao contrário. É como um campo de futebol aonde um sozinho joga contra 11. Mas temos que continuar.
    Em tempo. Seu blog é “o” blog, o equilíbrio perfeito.

    Responder
  10. Lorena Rodrigues - 03/08/17 - 09h30

    Ola Thereza. Aprendi com meus pais a importância de viver com equilíbrio morando em uma cidade bem pequena. Fazer exercícios e comer muita salda e pouca coisa industrializada sempre fez parte do dia a dia da família. Meus pais se cuidam, vão ao dermatologista, e estão com os exames quase sempre impecáveis. Mas nao tem neura com tomar um sorvete ou comer uma pizza de vez em quando. Comem sem culpa e me ensinaram a aproveitar a idade que vc está vivendo. Adorei o post por me lembrar o estilo de vida deles. Beijos

    Responder
  11. Ilana - 03/08/17 - 09h44

    Esse post foi um tapa na minha cara, obrigada Thereza! Estou quase com 28 anos, mas insisto em afirmar que tenho 24, acredita? Eu fixei tanto essa idade na minha cabeça que na semana passada me perguntei se minha idade real era 26 ou 27 anos… Louca, né? No meu caso, meu problema não é tanto em ter ‘cara’ de 28 anos, mas a vida profissional que eu esperava ter quando estivesse chegando perto dos 30… Dá pra entender? Eu achava que estaria de outro jeito profissionalmente, mas ainda não rolou, então quando perguntam minha idade minto e digo que tenho 24… =( A pior pressão é aquela colocada por nós mesmas, meninas!

    Responder
    • Ana - 06/08/17 - 08h12

      Tenho a mesma idade, nunca menti a respeito, mas me identifiquei bastante em relação à “realização profissional”. Aos 25, depois de formada e pós-graduada, embora ainda trabalhando na minha área de formação, decidi recomeçar e fazer o curso que eu realmente queria, nada fácil.

  12. Thamy - 03/08/17 - 10h53

    Estou nos meus 24 anos mais feliz que nunca! Escuto muitas críticas porque “o tempo passa rápido” e eu dou prioridade pra ser feliz do que para o resto… amei!

    Responder
  13. Marcela Rossato - 03/08/17 - 10h58

    Nossa que texto maravilhoso The, muito muito obrigada!

    Responder
  14. Camila Valeriano - 03/08/17 - 11h14

    Que texto maravilhoso Thê! Estou com 29 anos e uso sim meus creminhos diurno e noturno e tá bom demais. Vejo meninas de 18 anos, que nem saíram da adolescrncia ainda, ja procurando antiidade e fico sem saber o que falar. Eu tenho o “problema” inverso! Pareço bem mais nova do que sou e vou te dizer que também não é legal, principalmente quando envolve vida profissional, mas aí ja é outra história.

    Responder
  15. Patricia - 03/08/17 - 11h21

    THIS: “Eu tenho uma teoria que uso pra mim, é bem simples, é ridícula: estamos vivas, isso é o que tem pra hoje, vamos aproveitar e viver um dia de cada vez. Evoluimos diariamente, queremos melhorar, mas junto a isso é preciso aceitar esse tal dia de cada vez”.
    Ótima reflexão em tempos de Kyle Jenner, The!

    Responder
  16. Renata Barros - 03/08/17 - 11h32

    Post incrivel The! Arrasou na mensagem :kissing_heart:

    Responder
  17. Débora - 03/08/17 - 11h50

    Te acompanho há anos, The. Desde os tempos em que os blogs bombavam e eu consumia todos! Com o tempo fui parando de ler um ou outro, até que larguei todos, menos o Fashionismo. Esse texto exemplifica o motivo pelo qual sou sua leitora e tenho o fashionismo na aba de favoritos, haha. Vc é tão consciente e lúcida em seus pensamentos! Amo a forma que vc traz conteúdo pro blog, mesclando os temas que são característicos do blog (e pelos quais todas suas leitoras foram atraídas pra cá) e posts como esse, que nos fazem refletir sobre nossos anseios (e que me fizeram ficar por aqui). Muito sucesso, vc merece!

    Responder
  18. Fernanda - 03/08/17 - 12h03

    Nossa Thereza, assisti novamente essa semana um episódio de Sex And The City em que a Carrie completa 35 anos, e agora esse post… Vou completar 31 anos esse mês, e a idade foi sempre um problema pra mim. Tanto no lado emocional quanto profissional. Já menti minha idade por aí pelos mais diferentes motivos, mas agora tento aceitar que o tempo passa para todo mundo, e que realmente a melhor atitude é viver um dia de cada vez, da melhor forma que dá, porque é o que tem pra hoje, literalmente. Seu blog é o melhor, beijos!!

    Responder
  19. Fernanda - 03/08/17 - 12h11

    The, você sempre maravilhosa e propondo reflexões que realmente valem a pena serem expostas. Acompanho o blog desde o início e nesse período já fui daquelas que lia uns 15 blogs por dia até o momento que estou hoje, acompanho o seu e ocasionalmente outros justamente porque você sempre tem um conteúdo relevante a abordar.
    Tenho 25 anos mas vivem me falando que tenho carinha de 15, isso sempre me incomodou porque pode soar como falta de seriedade ou confiança no trabalho. Tenho meus truques p parecer “mais velha” ou transparecer “competência”. E é incrível como o julgamento acontece p todos os ângulos, se você tem cara de novinha então é incompetentemente, se você tem aspecto de mais velha é acabada, desleixada. Existe uma cobrança por um padrão surreal, nem mesmo quem julga sabe dizer o que é “bom”.
    O interessante é procurarmos seguir o clichê de ser “a melhor versão de nós mesmas”.
    Só um ps: também acho absurdo meninas de 23 falando sobre botox e afins.

    Arrasou no post The!

    Responder
  20. Zi - 03/08/17 - 12h56

    Que ótima reflexão, que cada dia se torna mais necessária, porém menos realizada! Essa aversão pela idade, pelo envelhecer, a forçada de barra para seguir a vida dentro de um padrão que não nos é apresentado como opção, mas como imposição, precisa ser exposta sempre.
    Eu fico um tanto triste com as mulheres que conheço da minha faixa etária (casa dos 30) se rotulando como se já estivessem na terceira idade, ao mesmo tempo em que se desdobram pra parecer mocinhas no início dos 20. O mesmo vale para as adolescentes ou moças na casa dos 20. É tão interessante aprender com as experiências que cada etapa proporciona…
    Fashionismo, mais uma vez, se destacando no mar de blogs e sites, trazendo humanização e reflexão!

    QUEREMOS THEREZA CHAMMAS COM O SELO AZUL DO TWITTER! *campanha*

    Responder
  21. Caroline® - 03/08/17 - 13h29

    Apenas para acrescentar a essa reflexão LYNDA, vale dizer que essa cobrança (de dentro e de fora) pela juventude eterna só se aplica às mulheres. São elas que ficam “velhas”, “caídas”, quando o tempo passa. Os homens ficam “charmosos”, ou “interessantes”. Porque beleza é valor principal para uma mulher, de acordo com a nossa sociedade escrota, Não adianta ser inteligente, simpática, generosa ou qualquer outra virtude, se vc não for “bonita” segundo o padrão de beleza que estiver valendo. E beleza = juventude. Mas um presentinho do machismo miserável que nos assola e nos aprisiona.

    Responder
  22. Tiara - 03/08/17 - 13h35

    Precisava desse texto. :blush:

    Responder
  23. Claudia - 03/08/17 - 14h38

    Muito bem.

    Responder
  24. Beatriz - 03/08/17 - 15h04

    Eu vou parecer ridícula, mas eu fiz 20 anos em maio e me bateu um super O QUE EU FIZ DA MINHA VIDA ATÉ HOJE SOCORRO FINCHTY ANOS, daí na terapia, conversando com amigos me veio que: eu já o fiz o suficiente para minha idade, meu contexto social, minha própria história. cheguei até os 20 e isso foi motivo de comemorações. as vezes eu me impressiono ou rio de algo muito banal e penso “meu deus quando eu vou crescer”, mas quer saber? espero que eu amadureça sim, sempre, mas que continue sensível as coisas ao meu redor, e não tão “adulta”.
    Seu texto foi inspirador The ❤️

    Responder
    • Izabel - 03/08/17 - 16h58

      Você não parece ridícula não flor. ME impressiona que a pressão tenha atingindo uma pessoa TÃÃÃÃO jovem como você. Que mundo é esse aonde alguém de 20 anos já pensa o que eu fiz da minha vida?
      Mas te entendo, com 18 eu estava surtando sobre faculdade, com 20 se fiz a escolha certa. Hoje com 29 depois crises, muito pensar, eu conclui que não quero perder mais um mísero minuto pensando no que foi ou no que será, porque se não, com 40 eu vou estar triste por olhar para trás e perceber que eu tinha o bastante para estar bem e vivendo mas ficava “noiando” com várias coisas. Essa é minha resolução, mas ainda há um looongo caminho até que isto se instale em mim.

  25. Cirdele Azevedo - 03/08/17 - 15h18

    Aplaudindo de pé esse post, que foi também um tapa na minha cara para me fazer acordar… “O tempo não é cruel com a gente, nós é que somos cruéis com nós mesmas”, vou guardar para a vida essa frase. Obrigada, The! você não imagina o quanto precisava ler isso hoje, exatamente hoje.

    Responder
  26. Viviane - 03/08/17 - 16h56

    Como sempre, Thereza e suas excelentes reflexões. Acabei de comentar numa foto do seu insta o quanto Bella, Kendall e Hailey estão com a mesma cara. Moças jovens, lindas, ricas e cheias de procedimentos estéticos, que acabam por perder suas características naturais e individuais que são justamente o que as fazem lindas. Ficam todas com a mesma cara, a mesma boca, a mesma sobrancelha. Acabam por ficar desfiguradas. Não sou contra procedimentos estéticos, nem cremes ou afins, sou apenas contra perder a própria identidade nesse processo todo! Parabéns

    Responder
  27. Carol - 03/08/17 - 17h09

    MELHOR POST. Pessoas, compartilhem isso com o mundo, que está precisando.

    Responder
  28. Carol - 03/08/17 - 17h09

    MELHOR POST. Pessoas, compartilhem isso com o mundo, que está precisando. :)

    Responder
  29. maki - 03/08/17 - 17h57

    eu sempre pensei muito nisso: a gente quer ser mais velha quando é nova e mais nova quando é mais velha. nunca chega um ponto em que a gente está satisfeita, sempre falta alguma coisa né? (seja maturidade ou juventude) eu defendo muito essa coisa de esquecer o passado o futuro (nenhum dos dois existe, afinal de contas) e focar totalmente no presente, no quanto estamos vivas e no que podemos fazer agora para ficar mais perto da nossa felicidade.

    Responder
  30. Carol - 03/08/17 - 18h34

    Eu sempre acompanho os textos.. mas confesso que poucos me tocaram tanto quanto esse :heart: Obrigada por essa reflexão linda sobre esse assunto tão importante. Eu lido bem com a passagem do tempo hoje, mas confesso que quando mais nova eu ansiava tanto por ser mais velha que acabei prestando pouca atenção em alguns momentos…

    Responder
  31. Ramona - 03/08/17 - 20h54

    :clap: :clap: :clap: :clap: :clap: :heart:

    Responder
  32. Viviane - 04/08/17 - 04h55

    Me lembrei do episódio de KUWTK em que Scott diz a kylie que ela tinha 17 com cara de 25.

    Responder
  33. Camila - 04/08/17 - 08h50

    The que arraso de post, é por isso que vc é a única blogueira que ainda leio ultimamente: diferenciada, humana, trazendo ótimas reflexões. Não muda nunca por favorrr!!!

    Responder
  34. natalha - 04/08/17 - 10h36

    Em tempos de chuva de botox, dá um enorme alívio ler um post desse! Mto obrigada!

    Responder
  35. Dani - 04/08/17 - 14h15

    Oi Thê! Parabéns pelo texto super inspirador =)
    É cansativo demais viver sob a pressão de estar sempre jovem e bonita e arrumada e impecável e outros tantos “e (s)”.
    Somos todas lindas, não importa a idade… e mais importante do que buscar uma aparência bonita é buscar um interior cada dia mais bonito, correto e interessante.
    Beijo

    Responder
  36. Camila Coelho R. - 04/08/17 - 14h28

    Texto incrível! Um dos únicos blogs que realmente acompanho há anos!

    Responder
  37. Elis Chiachia - 04/08/17 - 20h36

    To sem palavras! Ótima reflexão… Eu sempre me acho a “okzona com idade” mas as vezes me pego desesperada por estar chegando nos 30 e me comparo demais com outras mulheres mais velhas

    Responder
  38. Carla Santana - 06/08/17 - 20h00

    Cada dia que passa eu gosto mais de vc veii!! A qualidade do conteúdo é sempre ótima! Parabéns! E foi timing perfeito, eu tava precisando!

    Responder
  39. Andréia - 07/08/17 - 12h03

    Texto incrível! Ao ler a gente chega a sentir um certo alívio em saber que em meio a tantas cobranças tem pessoas que pensam diferente. Muito obrigada por essa reflexão tão carinhosa para com nossa autoestima.

    Responder
  40. Vivi - 07/08/17 - 19h05

    Tempo atrás vi uma capa de revista com a Letícia Spiller de biquíni e a chamada: “aos 42 anos, Letícia Spiller posa de bíquini blablabla” como se 42 fossem os novos 82 anos e é um FEITO uma senhora dessa idade usar bíquini e ter um corpo lindo. Por coisas assim eu me sinto velha, sabe?

    Responder
  41. Laíse - 12/08/17 - 17h12

    Perfeitas colocações! ❤️

    Responder
  42. Dani - 22/08/17 - 15h56

    Eu não tenho um problema estético com envelhecer mas sim digamos, emocional e social.
    Eu sou concursada desde os 18 anos, tenho meu veículo, sempre me banquei e acabo de comprar uma casa (mesmo que financiada). Considero que estou bem realizada para os meus praticamente 30 anos.
    Mas tenho estado meio mal com a proximidade do aniversário e aquisição da casa que pensava que seria para eu e meu namorado, mas ele já deixou claro que não quer isso, mesmo se eu bancasse a maior parte dos gastos.
    Ele é um ano mais novo que eu, começou a trabalhar a pouco tempo, ainda está no sonho de comprar um carro e não de começar uma família. O pai e a mãe dão um pouco de boa vida o que talvez dificulta um pouco.
    Enfim, hoje especificamente eu estou bem triste, pq ele acaba de recusar de novo, qdo abri meu coração e dei a entender que precisava repensar a minha vida, ele desconversou e disse que tinha encostado a camisa numa janela recém pintada.
    Todas as minhas amigas estão se casado e tendo filhos e apesar de ser independente, era isso o que eu queria pra mim também. Queria ao menos poder viajar mais mas a grana dele não permite então vamos vivendo assim.
    Quando ele fica na minha casa nos fds com a família dele zuando que ele vai casar e ele respondendo na minha frente que “não tá doido”.
    Tô escrevendo chorando, o post é antigo mas lembrei dele hoje e precisava de um lugar pra desabafar e esclarecer o que tô sentindo, mesmo que ninguém leia.

    Responder
  43. Jaqueline Souza - 05/10/17 - 07h31

    Oi! Arrasou na postagem e no blog!
    Muito agradecida pelas dicas.

    Jaqueline

    Responder