AS MAIS
LIDAS!

O que você quer ver nas lojas virtuais do futuro?!

09/04/2018  •  Por Thereza  •  Compras

Se até 4 ou 5 anos atrás, as marcas estavam começando a navegar nesse universo da compra online, hoje é exceção aquelas que não tem um espaço virtual, seja uma loja própria ou venda em multimarcas online e marketplaces, mas e o futuro?

Depois do início e reconhecimento de terreno, o que vocês esperam do futuro próximo de um e-commerce? Se no início a gente queria simplesmente que a nossa marca favorita tivesse loja online, que fosse confiável de comprar e tivesse uma navegabilidade no mínimo razoável, hoje a gente quer mais.

Essa ideia de post veio depois de um tweet que fiz semana passada falando do e-commerce que mais admiro (mas já comprei o total de zero coisas r$r$), o Moda Operandi, e como ele vem “revolucionando” o universo da compra online além do trivial, explico.

O M’O é um e-commerce (todas as fotos do post são de seu qg) que foi lançado em 2011 pela Lauren Santo Domingo. Pra quem não está ligando o nome à pessoa, Lauren foi a grande it dos anos ‘oo (ainda é até hoje!), trabalhou como assistente e depois editora da Vogue US, sempre teve um estilo inspirador e personificava muito bem a geração it girl da década passada. Depois de sair da Vogue, ela teve a ideia de criar um e-commerce, mas com um diferencial, que você visse as fotos de um desfile recém-apresentado e logo pudesse reservar o look. A ideia do Moda Operandi era basicamente essa, mas hoje em dia, eles foram muito além dessa ideia, tudo graças ao tino fashion de Lauren e noção de mercado.

Sabe quando você entra num blog ou Pinterest para ver uma tendência x ou y? Eu também gosto de entrar lá no M’O, e é aí que chego no diferencial que acredito (ou espero) que seja o futuro dos e-commerces, seja high ou fast fashion: a curadoria.

“Moda Operandi é o destino global da moda de luxo, proporcionando acesso personalizado, descoberta de marca e curadoria inigualável”, essa é a premissa do site, ok deixe o luxo de lado e pense na “curadoria inigualável”, é isso que gostaria de ver em muitas lojas virtuais.

Tem uma coisa que às vezes me irrita em alguns e-commerces, veja bem, pra muita gente isso pode ser maravilhoso, mas pra mim geralmente não é: 981247 páginas. Quando, por exemplo, estou pesquisano pro post da #blusinha2dígitos, e vejo um site com 4894 páginas de blusinhas, eu até desisto. Não por preguiça, mas quem, em tempos de informação multiplicada, mastigada e editada, vai ficar vendo milhares de blusinhas? Às vezes pode ser ótimo, mas na prática é confusão e até mesmo diminui nossa percepção de moda.

É aí que entra a tal da curadoria. No futuro, quero entrar num site que tenha obviamente todas as necessidades básicas obrigatórias (boa navegabilidade, descrição fiel do produto, opções de frete), mas que me ajude com uma percepção da tendência da vez, que eu sinta que tenha alguém por trás editando as melhores peças, que tenha um setor só com marcas novos talentos e até então desconhecidas (o Moda Operandi é craque nisso).

Não quero site só com amontoado de peças, mas sim que tenha uma seleção com uma linha editorial, um time que facilite as coisas pra um cliente interessado e pronto pra gastar nosso rico dinheirinho (e isso vale da #blusinha2dígitos ao #Investindonabolsa).

Sei que muitos sites não podem ter essa curadoria na prática e acabam partindo pro algoritmo e a nova era da big data. Marcas como Renner ou Riachuelo, que colocam online todo seu vasto portfólio ou até mesmo uma multimarca gigante, como a Farfetch, que tem milhares de marcas e produtos, a esses www o que peço é: que tenham um filtro poderoso, que possamos ordenar por tamanho, cor, preço e até estilo. Que também mesclem tais produtos com posts e guias de tendência integrados às paginas de venda (Farfetch faz isso muito bem e a própria Renner tem um blog muito legal).

De resto, que surjam mais e-commerces com essa pegada com foco na curadoria, que informações de moda estejam misturadas às peças, e que no final a gente se informe da próxima tendência e que logo ela chegue no conforto do nosso lar. Aqui no Brasil, sinto que Gallerist e StyleMarket buscam esse diferencial, mas espero que no futuro seja mais regra e menos exceção.

Outro dia participei de um bate-papo e foi conversado que uma das profissões do futuro (já presente para muitas marcas) será o “visual merchandising de e-commerces”. Preocupação em ter uma home de um site alinhada com as tendências, sempre mudando e com fotos e chamadas atrativas é o diferencial, vai fazer nos conectar com o produto, gerando assim a compra, claro! Se ano passado questionamos muito como sobreviveriam as lojas físicas, agora o papo é saber como os e-commerces vão se destacar no meio da multidão de novos e-shops.

E vocês, além das necessidades básicas de qualquer loja virtual, o que faz diferença na hora de confirmar a compra?!




Deixe seu comentário!
*Preenchimento obrigatório (seu email não será divulgado).
Quer que a sua foto apareça no comentário? Clique aqui e cadastre-se!

16 Comentários
  1. Avatar
    Juliana - 09/04/18 - 15h44

    Concordo plenamente! Quando entro em algum site, na maioria das vezes já sei exatamente o que quero, mas me deparo com mil páginas e milhares de produtos “diferentes”. E o que faço? Fecho o site e acabo não comprando nada. Boa curadoria e organização do layout é tudo!

    Responder
  2. Avatar
    Vitoria Gonçalves - 09/04/18 - 16h21

    Também saio rápido se vejo uma categoria com centenas de páginas, só de pensar já me dá nervoso hahahah não tinha pensado muito nisso mas com certeza uma curadoria faz TODA a diferença! As lojas usam pouco a divisão por estilos, e geralmente dividem em ‘folk’ ‘casual’ ‘rock’, o que acho bem vazio na verdade (colocam marrom+franja em um, jeans+camiseta no outro, preto+couro no seguinte. Não conhecia esse e-commerce mas pela descrição e fotos do QG já sei que deve ser ótimo, vou procurar mais sobre ele!

    Responder
    • Avatar
      Elis Chiachia - 11/04/18 - 18h56

      Queria o botão amei pra esse comentário rs

  3. Avatar
    Stella Ravalhia - 09/04/18 - 17h40

    Me desanima muito comprar quando entro em um site muito bagunçado, com fotos não tão boas e que não seja tão objetivo. Tenho visto também as marcas investirem muito nos stories com uma seleção de melhores peças e combinações dos produtos disponíveis nos sites!

    Responder
  4. Avatar
    Ana Porto - 09/04/18 - 17h43

    Amei o post!eu me irrito demais qndo coloco todos os filtros possíveis e ainda assim tem 1000 peças pra escolher!!

    Responder
  5. Avatar
    SILVIA ELAINE DA SILVA - 09/04/18 - 20h10

    Que post incrível!

    Responder
  6. Avatar
    Gabriela Lopes - 09/04/18 - 20h28

    Eu quero uma coisa básica: medidas das peças!

    Responder
    • Avatar
      Heloisa Carvalho - 10/04/18 - 13h25

      Nossa, demais!

  7. Avatar
    Anne Machado - 09/04/18 - 22h36

    Não tinha me atentado para a importância da curadoria, mas é fato que deixo de comprar quando tem zilhares de páginas.

    Responder
  8. Avatar
    Stefani Rubia - 10/04/18 - 00h37

    Muito bacana as informações que vc trouxe e o ponto de vista, realmente é muito cansativo navegar em alguns sites ecommerce, as empresas tem que começar a investir em algo mais dinâmico, que facilite a navegação do cliente no site.

    Responder
  9. Avatar
    Amanda - 10/04/18 - 08h59

    Que ótimo post! Com certeza ecommerces precisam se diferenciar e curadoria é um caminho.

    Responder
  10. Avatar
    Izabel Soraia - 10/04/18 - 10h47

    Quero que desenvolvam uma tecnologia poderosa que nos mostre com mais exatidão medidas, tamanhos e caimentos. E pelo amor de Deus mais informações sobre o material de verdade.
    Quero que as lojas online invistam mais na parte de comentários dos clientes, aquilo é fantástico, as pessoas falam o que acharam e muitas vezes compramos pois vemos a opinião de alguém, mas muitas vezes esses espaços são sub sub sub aproveitados. Não sei bem como seria, mas sei lá, dar mais destaque, fazer uma espécie de fidelização por meio do incentivo as pessoas comentarem lá, enfim. Eu por exemplo além de ler esses comentários super vou lá e comento também.
    E por fim, também quero mais e mais filtros poderosos.

    Responder
  11. Avatar
    Izabel Soraia - 10/04/18 - 10h52

    Quero que desenvolvam uma tecnologia poderosa que nos mostre com mais exatidão medidas, tamanhos e caimentos.
    Quero que as lojas online invistam mais na parte de comentários dos clientes, aquilo é fantástico, as pessoas falam o que acharam e muitas vezes compramos pois vemos a opinião de alguém, mas muitas vezes esses espaços são sub sub sub aproveitados. Não sei bem como seria, mas sei lá, dar mais destaque, fazer uma espécie de fidelização por meio do incentivo as pessoas comentarem lá, enfim. Eu por exemplo além de ler esses comentários super vou lá e comento também.
    E por fim, também quero mais e mais filtros poderosos.

    Responder
  12. Avatar
    Elis Chiachia - 11/04/18 - 18h58

    Não sabia que eu queria tudo isso que falou, mas agora sei que é isso mesmo que eu quero!
    Ainda incluo a necessidade de informações sobre o tamanho real das peças. Eu nunca comprei roupa online justamente porque as informações não me passam segurança de que vai servir adequadamente…

    Responder
  13. Avatar
    Karla - 11/04/18 - 23h12

    Tamanhos identificados por peça e aquele sistema que diz qual é o seu tamanho comparando com o número que você veste em outras lojas. Também sou fã da classificação por preço e tamanho.

    Responder
  14. Avatar
    Ana Luiza - 15/05/18 - 14h48

    Concordo com você na questão das 47557 páginas da mesmas coisa. É tanta coisa pra ver que a gente as vezes até esquece o que foi procurar e acaba comprando o que não precisa por impulso. Curadoria realmente é algo importante e que pode fazer a diferença nos e-commerces da vida.

    Responder