Benedictine, restaurante italiano delícia no Village Mall

24/07/2016  •  Por Rodrigo  •  Gastronomia, Moda, Rio de Janeiro

Com esse mais que bem-vindo inverno carioca e a proximidade das Olimpíadas, muita gente que visita a cidade, tem procurado por dicas de bons restaurantes para incrementar ainda mais as férias no Rio. Junto a isso, não há dúvidas de que a gastronomia italiana é unanimidade quando se trata de sabor e variedade.

BENEDICTINE VILLAGE MALL

Semana passada fomos ao Benedictine, no Village Mall, e ele tem tudo o que você espera de um tradicional e ao mesmo tempo contemporâneo restaurante italiano, com clássicos de norte a sul do país da bota.

Massas artesanais produzidas no local, pizzas no forno a lenha, carnes, peixes, aves e uma seleção invejável de salames e embutidos que podem também ser comprados numa charmosa lojinha dentro da casa. Tudo elaborado com ingredientes super selecionados e com um toque especial do Chef Marcilio Araújo, para representar o que de melhor existe na Itália.

DSC00356

Ao chegarmos, começamos com o couvert, que eu me arrisco a dizer que é uma heresia deixar passar. Pães caseiros fresquíssimos e quentinhos servidos numa cestinha que já vale o pedido. Outra boa pedida para entrada é a tábua de frios com salames e presuntos importados adivinha de onde?

benedictine restaurante

Pra completar a entrada (!), pedi uma polenta mole super delicada e suave, já a Thereza foi na salada que ela mais ama nessa vida, mas que não tinha provado no Brasil, a Panzanella fresca, cheia de vida e com um tempero que trouxe à tona nossa memória afetiva da Toscana (ela já postou a receita dela aqui)

benedictine restaurante peixe sal grosso

Para o prato principal, a sugestão foi uma volta pelo Mediterrâneo com peixe na crosta de sal grosso. Perfeitamente temperado com ervas e servido direto na mesa, o peixe de sabor rico desmanchava na boca e ainda acompanhava espinafre, batatas e palmito pupunha, covardia né? O legal é que o peixe é do dia para preservar o frescor, o nosso foi o Vermelho, mas é comum também servirem o Pargo.

benedictine restaurante tacho grana padano

Eis que surge no meio do salão um tacho de grana padano, até aí tudo bem, mas quando despejaram uma massa fresca no fundo do tacho, pronto… Quem conhece um pouquinho a Thereza sabe que esse prato é seu sonho de consumo desde a primeira vez em que ela viu, mas até então nunca havia experimentado. Então, na mesma hora ela pediu a massa sem pestanejar para dividirmos. O linguine maravilhosamente al dente, saía da panela direto para o grana, do qual adquiria a cremosidade característica. É aquele tipo de show no meio do restaurante que vale muito a pena.

DSC00412

Como se isso tudo não bastasse, ainda rolou um clássico das sobremesas italianas, o Tiramisu, leve e com doçura na medida. Pois bem, o Benedictine é o lugar perfeito pra imergir nos sabores da Itália num ambiente aconchegante e moderno ao mesmo tempo.

Para os amantes do vinho, como eu, a carta é super bem feita com rótulos das principais regiões da Itália e do mundo. Degustamos o Il Poggione Rosso di Montalcino, elegante e frutado, harmonizou bem tanto com o peixe como com a massa.

BENEDICTINE Village Mall

Pra quem quer aproveitar esse frio para uma experiência gastronômica de qualidade, o Benedictine é uma excelente opção.

Dica de restaurante: Cozinha Artagão no Barra Shopping

01/06/2016  •  Por Rodrigo  •  Gastronomia, Rio de Janeiro

Como todo mundo aqui sabe, ou pelo menos deveria saber rsrs, semana passada foi aniversário da Thereza. Pra celebrar a data, fomos ao Cozinha Artagão no Barra Shopping e o jantar foi uma verdadeira experiência gastronômica. Inaugurado no ano passado, o restaurante é do mesmo proprietário do famoso Irajá, de Botafogo, e que agora na Barra da Tijuca, vem encantando a todos com sua releitura da cozinha tradicional com um toque diferenciado!

rest barra shop

O estilo do Artagão é baseado na gastronomia caseira, porém com uma pegada especial no preparo e escolha dos ingredientes, que dão uma roupagem sofisticada e saborosa aos pratos do dia-a-dia.

A casa possui uma área bastante aconchegante e com cozinha aberta, o que eu acho ótimo, pois dá pra ver de perto o agito das panelas – e aromas que saem dela! O atendimento é maravilhoso da entrada à sobremesa, com uma equipe pra lá de simpática pra explicar cada prato e dar sugestões.

unnamed-20

Começamos pelas entradinhas, não pulem essa parte, as opções são variadas e muito criativas. Os croquetes de pernil com compota de abacaxi são deliciosos e deixam aquele gostinho agridoce na boca. Os pães de queijo são um caso à parte, feitos com massa de tapioca, tem um sabor leve, textura aerada e uma crosta delicadíssima pra te deixar salivando!

Já o Carpaccio Cipriani, servido com fatias rústicas de filet mignon e uma farofa crocante de pão, ainda tem por cima queijo grana padano ralado que mais parece uma nuvem, bela combinação e homenagem ao original italiano! Pra completar, ainda experimentamos um tartar de atum delicioso, dos melhores que já comi.

COZINHA ARTAGAO

Para os pratos principais, fiquem tranquilos, pois as dúvidas vão surgir. Em meio a tantas alternativas de dar água na boca só de ler no cardápio, é normal rolar aquela indecisão. Sem problema, o pessoal da casa te ajuda! Fiquei em dúvida entre o Porquinho ao Barbecue e a Carne Assada por 12 horas no molho, mas acabei optando pela segunda, e posso dizer que essas 12 horinhas de panela fizeram toda diferença. A carne, que de tão macia dispensava a faca, desfiava no garfo, era suculenta e ficou perfeita com o spaghettini com gorgonzola.

A Thereza, que é apaixonada por steak, foi de Bife Ancho com risoto de 4 queijos e batata frita. A carne, grelhada no ponto, ainda deu um toque de churrasco no jantar.

unnamed-25

E a sobremesa? É aquela hora de usar aquele segundo estômago reservado para os doces. A Thereza foi no clássico da casa, Bolo quente de brigadeiro, delicioso, tenro e molhadinho, ainda mais depois que se derrama leite de baunilha, é melhor parar por aí. No meu caso, me fiz com o Naked Cake de Cheesecake, levinho e ideal pra alegrar o final da orgia gastronômica!

13315419_628503993964259_3870717795626257413_n

Nosso jantar foi acompanhado por um vinho americano de Columbia Valley, o 14 Hands Hot to Trot, frutado, sedoso, com sabor marcante de geleia de cereja e caramelo. A casa tem uma carta de vinhos enxuta, bem selecionada e com bons preços. Há também opções de vinhos em taça.

Espero que tenham gostado (a aniversariante adorou), o Artagão é o tipo de restaurante que utiliza o que há de melhor na culinária brasileira, valoriza os nossos ingredientes, cultura e usa a inovação sem perder o foco no elemento principal, o gosto. Excelente escolha pra quem gosta de sabores ricos e comida criativa.

No site do Cozinha Artagão você consegue ver mais fotos e também o menu completo. Boa sugestão pro dia dos namorados!

6 Regras do mundo dos vinhos que você pode quebrar!

17/03/2016  •  Por Rodrigo  •  Vinho

Como é bom quebrar regras, não é? Semana passada li uma matéria na Vogue americana (que a Thereza me encaminhou), que falava sobre algumas regrinhas que podemos quebrar no mundo do vinho. Achei muito interessante e pensei que poderia ser válido fazer um post voltado para a nossa realidade, com regras que eu acredito que podem ser quebradas!

Além de desmitifcar certos pontos, é uma boa oportunidade para estreitar seu relacionamento com o vinho e transformar seu momento de degustação em algo muito mais leve e descontraído. Além, é claro, de você já ficar com uma resposta na ponta da língua no caso de algum enochato torcer o nariz!

regras vinhos

“Vinho tinto com carne e vinho branco com peixe”

Tema de muita discussão entre os conhecedores, a harmonização não precisa seguir à risca regras estabelecidas. É comum em um restaurante, o sommelier sugerir um vinho tinto robusto para acompanhar pratos de carne vermelha ou comidas mais pesadas. Isso é harmonizar por semelhança, vinhos encorpados com alimentos encorpados e vinhos leves com pratos mais delicados. Entretanto, deve-se levar em conta o fator acidez.

Você pode combinar uma comida mais gordurosa com um vinho branco bem mineral e fresco. A acidez do vinho vai cortar a gordura da comida limpando o paladar. Uma combinação que eu adoro, é feijoada com espumante. E os tintos mais leves podem harmonizar perfeitamente com peixes de mais estrutura como o salmão. Portanto, se você estiver num restaurante e quiser tomar um branco com aquela costela, pode dar essa explicação que vai ficar bonito.

“Vinho tinto no inverno e branco no verão”

Quem nunca ouviu essa afirmação? Essa é outra regrinha boa para quebrar, ou pelo menos burlar. É óbvio que se você tomar um tinto pesadão num sol de 40 graus, será bem indigesto. E se partirmos do princípio que você vai degustar num restaurante ou em casa com ar no máximo? Aí não importa a temperatura lá fora!

Para o consumo em locais abertos e quentes, saiba que existem vários tintos leves como os Pinot Noirs, Cinsault dentre tantos, que podem ser tomados mais frios sem problema nenhum, e não tem coisa melhor do que um vinho fresco no churrasco com os amigos. Em contrapartida, muitos vinhos brancos encorpados e com sabores amanteigados e complexos combinam perfeitamente com um friozinho gostoso. Uma dica é ler na descrição do vinho branco, se ele é envelhecido em madeira, pois geralmente são mais estruturados e casam com o inverno. Chardonnay é uma boa pedida.

regras vinhos

“Uma taça para cada estilo de vinho”

Se você já viu aqueles gráficos mostrando uma taça específica para cada tipo de vinho separando até por variedades de uva, deve ter se assustado. Não há armário de cozinha que suporte tantas taças. O que você precisa saber é que uma taça para os brancos, uma para os tintos e uma para espumantes, está mais do que perfeito. Invista em taças de qualidade, pois elas são bem versáteis.

Caso não tenha taças para brancos, não tem problema, toma na de tinto que ninguém vai morrer por isso. Eu até prefiro, pois taças maiores oxigenam melhor a bebida que fica mais aromática. Pode dizer isso se um mala te criticar!

“Use sempre o decanter”

Acessório considerado indispensável pelos “conhecedores”, o decanter é aquele recipiente de vidro ou cristal que serve para oxigenar o vinho mais rápido. Salvo algumas exceções de vinhos muito especiais, ou que possuam sedimentos no fundo da garrafa que precisem ser separados, você não precisa obrigatoriamente comprar um.

Abrir a garrafa com antecedência fará com que o vinho “respire” e fique mais redondo e franco na hora de beber. Muitas lojas virtuais ou até informações nos rótulos recomendam decantar o vinho antes de tomar. Se a recomendação for a de deixar o vinho no decanter por uma hora antes de servir, você pode simplesmente abrir a garrafa umas duas horas antes que vai dar no mesmo, e ainda não vai ter o trabalho de lavar o acessório depois!

“Não compre vinho no supermercado”

Foi-se o tempo em que se dizia que não era bom comprar vinhos em supermercados, tanto pelo armazenamento quanto pela qualidade da seleção. Atualmente a maioria das redes de mercado possui uma boa estocagem para conservar o produto, além de contarem com especialistas para selecionar rótulos de várias categorias. Muitos desses especialistas são profissionais renomados que não colocariam seus nomes e reputações em risco com escolhas de vinhos ruins.

regras vinhos

“Quem experimenta o vinho é o homem”

Casais que pedem vinhos em restaurantes já passaram por isso. Quando o garçom ou sommelier abre a garrafa, é de praxe servir um pouquinho para o homem provar e ver se é do seu agrado. É uma regrinha de etiqueta (a Thereza considera gesto machista) que vocês, meninas, devem quebrar.

Por que o homem deve experimentar e não vocês? As pessoas assumem que o homem entende mais e por isso ele deve aprovar a escolha. Besteira, em primeiro lugar, quem disse que a mulher não pode conhecer sobre vinho? Vocês mesmas, leitoras desse post, devem ter mais conhecimento que muito marmanjo, rsrs. Em segundo lugar, se quem bebe é o casal, os dois tem que gostar. Gosto é algo particular e a mulher não deve aceitar simplesmente porque o namorado ou marido falou que é bom. Vocês tem duas alternativas pra sair dessa situação, ou fazem como a Thereza que tira a taça da minha mão sem a menor cerimônia (especialmente quando envolve champagne), ou podem mostrar ao garçom quem está no comando.

regras vinhos

Pois bem, espero que tenham aproveitado. Tem uma infinidade de conceitos que estão aí para serem quebrados. Se tiverem dúvida sobre alguma regra que achem que não precisam seguir, é só deixar um comentário que eu tento ajudar!

Página 3 de 712345Última »