Dica de série: The Good Place

17/08/2018  •  Por Thereza  •  tv

Tenho assistido muitas séries novas e pretendo trazer minhas favoritas pra cá e inicio com essa, que mal comecei e já gostei pacas! Zapeando pela Netflix, me deparei com The Good Place, nunca tinha ouvido falar, mas duas coisas me levaram a apertar o play: Kristen Bell e 20 minutos.

Eu adoro a atriz e adoro seriados rápidos de comédia, sem muita tensão ou firula, logo, presumi que TGP era isso. Vamos à sinopse, “depois de morrer, a egocêntrica – e sem compaixão – Eleanor é enviada por engano ao lado bom do Além. Agora ela está determinada a se tornar uma pessoa melhor para continuar lá, sem antes passar por muitos apuros.”.

Parece louco? Talvez até seja. Fantasioso? Escapista? Surreal? Mais ou menos isso. Bom, assisti 1, 2, 3, 4 episódios numa tacada só e tudo ao lado do Rodrigo, que tem um perfil de série bem diferente do meu, mas estava igualmente conectado com Eleanor Shellstrop e sua turma.

Daí depois conversei com algumas pessoas sobre o seriado e umas falaram que era tosco, nonsense e outras que pararam no meio. Logo pensei, ok né, sou meio tosca mesmo e meus gostos são peculiares rs. Mas aí eu postei no Stories e pra que? Chuva de fãs de The Good Place que até reconhecem a nonsensice, mas acham o seriado imperdível, obrigada!

Algumas palavras resumem essa série: é genial, ousada, despretensiosa, inteligente, nos faz refletir e, ok, é nonsense sim (até porque não temos noção de como é – e se existe de fato – o “lugar bom”).

Uma mulher vivendo na vida após a morte, com um cenário “perfeito”, diálogos filosóficos, humor ácido e crítico, dilemas existenciais, se eu te falasse que esse roteiro existe, provavelmente você acharia de fato tosco, mas te juro que não é!

Gosto muito que o texto é inteligente, os diálogos são muito divertido, tem sacadas atuais e do mundo “de cá” e a melhor parte, o elenco é excepcional! Kristen Bell, Ted Danson (aka 3 solteirões e 1 bebê) e ainda new faces carismáticas, aliás, menção honrosa pro casting, composto por negros, latinos, asiáticos, tem de tudo, como deve ser.

Eu estou ainda no começo da 2a temporada (a 3a estreia mês que vem), gostei do twist do fim de temporada e a contar pelo fator cronológico, é um seriado que pode durar a vida toda rsrs. É leve, mas até nos faz refletir (Rodrigo já teve uns 3 sonhos sobre vida após a morte) sobre ser bom ou mau e o que a gente leva dessa vida.

Não ache que por ser um seriado sobre “vida após a morte”, fala-se de religião, muito pelo contrário e o tema nem aparece, mas é o humor e situações absurdas que levam o seriado pra tal da genialidade e um estilo nunca antes visto nas comédia.

Vida longa a The Good Place, amém!