A marca do matelassê

16/08/2011  •  Por Thereza  •  Estilo, Moda, Tendência

Numa época que a labelmania impera, onde há um alfabeto inteiro de exibicionismo, a técnica do matelassê é uma opção fashion e simpática pra quem cansou de certos exageros. O matelassê, que é um procedimento de costura que produz relevo e textura sobre tecidos, é cada vez mais o aliado das empresas em busca desse diferencial e marca registrada. Agora adivinha a procedência de cada um abaixo…

Ok, esse azul está facílimo, Coco Chanel desenvolveu em 1955 um tipo de matelassê por sua admiração pelas roupas dos jóqueis e desde então o tal do matelassê nunca mais foi o mesmo. Denota riqueza, elegância e muito capricho, LÓGICO, que vemos dezenas de inspireds mais ou menos honrosos, mas o matelassê de verdade, quem gosta, reconhece.

Já tinha feito um post contando o procedimento bem artesanal como é feito a bolsa Chanel, o que qualifica mais ainda o produto e reconhece seu diferencial. Para as Chanel lovers, o tipo Caviar (que reproduz as tais bolinhas do caviar) é o mais clássico e seguro, pois não arranha, já o tipo lambskin tem a superfície mais lisa, o que causa mais arranhões, na hora de escolher é bom analisar cada tipo.

E o matelassê rosa (palavra sem sinônimo, será repetida ad nauseum)? Igualmente famoso e desenvolvido por Christian Dior em 1947. A idéia surgiu em seu primeiro fashion show, na loja da Avenue de Montaigne, vindo direto da trama das cadeiras usadas no desfile. Dali surgiu a idéia de reproduzir na bolsa, o clássico matelassê tipo Cannage.

O matelassê da Dior é tão emblemático, que o arquiteto, aquele esperto, usa da tal referência pra criar em algumas das lojas, a padronagem de matelassê, seja nas fachadas, acabamentos e detalhes. O resultado é mais exclusivo possível.

Agora o último matelassê é o mais novo e um dos meus favoritos, porém um dos mais difíceis de se descobrir. Quem arrisca? Pois bem, dona Miuccia Prada, criou a Miu Miu em 1992 para ser a linha mais jovem e ace$$ível pra linha-mãe e desde então é desejo instantâneo, pois mistura tendências, subverte estilos e cria peças cobiçadas a cada temporada (aqui e aqui tem posts sobre a marca).

E seu matelassê moderno é o grande “it” da vez. De formato diferente e criativo, é um frescor em meio às repetitividades. Mês passado fiz uma encomenda ao meu paciente irmão (beijo, Rodrigo!) de uma clutch Miu Miu, e ele, num papo com a vendedora, disse que a tal clutch, exatamente pelo tal matelassê, era hit da marca e última do estoque parisiense, com isso, impossível não querer e apostar na onda matelassada!

Para bom entendedor, matelassê é letra!

A origem da camisa branca

25/07/2011  •  Por Thereza  •  Estilo, Moda, Tendência

Outro dia estava vendo um programa de tv (acho que era o THS do E!), e eles contaram a história da Sharon Stone e como, num dado red carpet (Oscar, 1998), ela subverteu e impressionou a to-dos, vestindo uma camisa branca do marido, diretamente da Gap, com um saia chiquérrima da Vera Wang. E tal look foi o talk of the town (adoro essa expressão) da temporada red carpeteriana.

Daí pensei, camisa branca realmente é tudo, é a conexão de varios mundos, é o consenso de se vestir bem, elegantemente e ainda conseguir ficar sexy. Lembro que na minha época de obra, onde o dresscose era BEM limitado, pra nao dizer chucro, a camisa branca destoava, era permitida e um diferencial pra parecer sóbria, mas elegante e com um atestado de “me preocupei com o look do dia”.

E como curiosa que sou, fui tentar buscar lá atrás a origem do clássico. Quem pensou que uma roupa, até então masculina, pudesse cair tão bem em qualquer mulher? Lógico que tem dedo de Coco Chanel nisso, mas a precursora atende pelo nome de Audrey Hepburn.

Foi a atriz, eterno ícone de bom gosto e elegância, quem começou a usar a camisa de maneira tão feminina e especial. Ela ia além do óbvio, caprichava e “estilizava” de uma maneira única. Descobri um Tumblr sobre ela TÃO legal, que além de centenas de fotos raras e inspiradoras, fez um post mostrando as tendências eternamente associadas à Audrey.

Entre um little black dress, a sapatilha e os ternininhos, em primeiro lugar? A camisa branca! Pra quem gosta de Audrey, ou quer começar a entender como ela e a moda andaram de mãos dadas ao longo do século passado (e até hoje), esse tumblr é incrível e enriquecedor.

Enquanto isso, sejam nas revistas, propragandas, em famosas ou streetstyles, a camisa branca reina soberana em qualquer ambiente. Já tinha feito um post sobre camisa social aqui, mas entender sua origem faz todo o sentido!

Onda amarela!

17/07/2011  •  Por Thereza  •  Celebridades, Estilo, Gossip Girl, Tendência

Na onda das celebrities nacionais que invadiu o blog essa semana, essa se destaca pela simpatia, bom gosto e, de quebra, ainda lê o blog (#bestamodeOFF). Fê Paes Leme esteve no Jô ontem com um look cativante, pra não dizer hipnotizante, é sério:

Sabe aquela cor que te impressiona? Que prende seus olhos, pois bem, foi o caso. A tal cor que é uma mistura de amarelo cítrico com limão siciliano e foi um escolha acertadíssima pro vídeo, pra vida! Fica bem em loira, morena, qualquer tipo de pele, é daquelas cores que não precisa de mais nada! As fotos abaixo são cortesia do printscreen do meu computador, não reparem, valorizem-me!

 

E @fepaesleme contou que o vestido em questão era um Marc by Marc Jacobs da última temporada, com um comprimento mais que atual e por mais difícil que seja usar, ela ficou ótima nele. Pra completar o momento color blocking, essa sandália LINDA da Santa Lolla fechou o look!

Daí como uma coisa leva a outra e eu tenho essa mania (in)voluntária de associação, logo lembrei de umas cenas de minhas meninas favoritas de Gossip Girl.

Semana passada Blair Waldor desfilou pelo Central Park com um Stellinha McCartney legítimo, e provavelmente foi a estilista que trouxe essa onda CITRUS (gosto de chamar essa cor assim). E na temporada passada lembra das duas passeando pelo mesmo CP na onda amarela? E mês passado, Blake Lively, no mesmo estilo da Fê Paes, porém num Chloé igualmente incrível!

Sejam nos blogs ou nas revistas (necessariamente nessa ordem), a onda amarela vem sido bem anunciada e aos poucos colocada em prática. Vai da gente escolher o tom certo pra nossa pela, a cor que pode ser bem ingrata, mas quando escolhida na medida certo, fica mais que perfeito, fica iluminado!