9 Dicas de restaurantes em Lisboa

27/08/2020  •  Por Thereza  •  Viagem

[post feito antes da pandemia]

Oi, pessoal, tudo bom? Rodrigo, quem vos escreve, para falar sobre Lisboa, ou melhor, experiências enogastronômicas em Lisboa. Primeiro, devo fazer um mea culpa por demorar tanto para conhecer essa cidade incrível. Sempre que a agente viajava para a Europa, acabava pulando, não sei por que Lisboa, mesmo com todo hype que a cidade tem ostentado há pelo menos uma década. Entretanto, com um certo atraso, visitamos e nos apaixonamos pela capital portuguesa, e assim sendo, nada mais justo do que compartilhar por aqui os restaurantes e bares que mais gostamos.

Acredito que muita gente saiba, mas é bom ressaltar, em Portugal come-se muito, muito bem e barato! Mesmo com o euro x real do jeito que está, dá pra ficar impressionado com o preço tão acessível de restaurantes tão incríveis. E pra quem é fã de vinhos, aí que a coisa fica ainda mais interessante! Por isso, o post tem essa inclinação, digamos assim, enoinformativa.

Time Out Market

É quase que uma obrigação para quem chega em Lisboa, antes de mais nada, visitar o Time Out Market para ter uma imersão rápida na gastronomia lusitana. Esse moderno mercadão municipal foi totalmente revitalizado para encantar turistas e moradores, sem perder a essência culinária local. Você pode explorar os inúmeros stands e saborear pratos, de frutos do mar até porco alentejano, os tradicionais bolinhos de bacalhau e os populares pastéis de nata (que causaram um certo vício na Thereza). A maioria dos stands vendem vinho, mas minha dica é pegar uma taça no bar de vinhos do mercado e apreciar numa mesa compartilhada.

Restaurantes do Avillez

O talentoso e estrelado Chef José Avillez, conhecido aqui no Brasil por ser jurado do Mestre do Sabor, possui vários restaurantes em Lisboa, com diferentes propostas. Nós conhecemos o Mini Bar, com foco em experiências de culinária fusion, tapas e molecular. Fomos também ao charmoso Páteo do Avillez com gastronomia clássica e o Cantinho do Avillez (noso favorito dos 3) com deliciosas releituras da culinária Portuguesa.

Todos com belas cartas de vinho e muitas opções em taça (muito bem servidas). No Cantinho, por exemplo, pedimos entradas pratos principais, sobremesa e algumas (muitas) taças de vinho, incluindo Champagne, e a conta ficou em 80 euros.

Cervejaria Ramiro

Outra parada obrigatória! Portugal tem uma gastronomia muito rica, mas quando falamos em frutos do mar, Lisboa é a rainha dos crustáceos. Posso afirmar que me esbaldei com a variedade de lagostas, carabineiros, percebes, sapateira, camarões, ostras e muito mais… Até a Thereza que não curte muito, amou!

Foi o restaurante mais caro que fomos (uns 200 euros), mas se levarmos em consideração a quantidade quase irresponsável de frutos do mar que comemos e ainda tomamos cerveja e um belo rótulo de vinho branco pra harmonizar, foi uma experiência transcendental. Sem exagero! E a experiência ainda é divertida e o ambiente tradicional e despretensioso.

Solar dos Presuntos

Tradicionalíssimo restaurante com os clássicos portugueses, e o preferido do nosso querido Rei da América, Jorge Jesus. Excepcional variedade de peixes, carnes, queijos e cordeiro, mas minha sugestão é degustar uma enorme posta de bacalhau e torcer para o Mister dar o ar da graça.

By The Wine

Moderno, aconchegante e descolado! Esse bar de vinhos no boêmio bairro do Chiado é mais que perfeito para conhecer deliciosos vinhos do Alentejo e da Península de Setúbal de forma super descontraída com taças a partir de 2 euros. Tem uma cozinha bem legal com ótimos pratos de tapas, petiscos e chacrutaria numa pegada bem novos chefs. Obs: tem muito brasileiro trabalhando lá.

JNCQUOI

Talvez o lugar mais internacional e hypado de Lisboa, O JNCQUOI na Avenida Liberdade é um espaço que reúne lojas de roupas, vinhos, livraria e restaurante com pegada asiática. Não tem nada de tradicional, mas a cozinha contemporânea é incrível. Nós fomos no Red Bar, no andar de baixo. Super bem decorado e sofisticado, logo pensei, deve ser caro!

Pra minha surpresa, ao abrir a carta de vinhos, me deparei com várias sugestões de taça a partir de 6 euros, então me deleitei com ótimos rótulos do Douro, Alentejo e Bairrada, tudo muito bem servido. Ainda tem o Happy Hour com taças de Champagne a preço promocional (a Thereza agradece). O Lugar é lindo, você senta no balcão e fica vendo os chefs preparando deliciosos pratos ali na sua frente e ainda tem um DJ pra animar.

A Cevicheria

Pra quem ama ceviche, esse restaurante do badaladíssimo Chef Kiko, é a pedida. Com clássicos peruanos, mas com uma pegada portuguesa e apresentação impecável, é uma bela experiência. Minha dica é pedir uma taça de Rosé pra acompanhar os sabores fortes e apimentados das construções do Chef. A decoração é charmosa e com um giga polvo flutuando pelo salão.

Espero que tenham curtido as dicas! Eu amei Lisboa e já quero voltar para conhecer mais de Portugal! Se tiver alguma dica, é só comentar.

9 dicas de restaurantes em Nova York

15/08/2017  •  Por Thereza  •  Gastronomia, New York, Viagem

Depois de falar de marcas de beleza na cidade, agora vamos à minha parte favorita: comida! Taurina, né mores, eu geralmente vou com uma lista de 30 ou 40 restaurantes pra conhecer, ok que na vida real isso é impossível, mas o que vale é a intenção e o post com dicas de restaurantes em Nova York!

No início do ano falei sobre novidades gastronômicas da cidade nesse post aqui, mas agora selecionei 7 lugares que fui e amei! Lembrando que é sempre importante fazer reserva, todas as minhas faço pelo Open Table e funciona muito bem.

VANDAL Esse foi o restaurante que escolhi pro meu aniver. O Vandal é um mix de restaurante com baladinha, música boa de se ouvir e tudo numa espécie de galeria de arte. O restaurante é enorme e em cada salão uma decor diferente e tudo com temática artsy. A comida é street food sofisticada, tapas e comida oriental, bom de ir pedindo e se fartando. Ótimo pra jantar entre amigos! {199 Bowery | Lower East Side} $$$$

CITY VINEYARD Gosta de vinho? Mesmo se não gosta, precisa conhecer esse novo point da cidade. O City Vineyard é um bar restaurante que fica às margens do Hudson River e debruçado sobre o Financial District, ou seja, pense na vista! E não só o visual, mas os frequentadores tem mais essa vibe local e isso deixa tudo muito legal. Vale ir ao happy hour e ver o pôr-do-sol. É importante reservar, mas caso não consiga, é possível beber bons drinks no bar. Imperdível! {233 West Street | Tribeca} $$$$

LOCANDA VERDE Robert de Niro é um dos donos desse restaurante italiano incrível e super badalado. Foi uma das melhores massas que comi na cidade, o ambiente é incrível, super chiquezinho, mas com aquela atmosfera descomplicada. Pra quem gosta de cruzar com um famoso ou ainda comer como um local, é uma excelente pedida! {377 Greenwich St | Tribeca} $$$$

OLIO E PIÚ Mais um italiano imperdível! Ele fica numa esquina super badalada do Village. Ele tem uma decor fofa e vale a pena ficar na varanda vendo o povo passar. A comida é mais típica do sul da Italia, mas remete cada delícia de todos os cantos do país. Recomendo um almoço ou brunch de final de semana. {3 Greenwich Ave | West Village} $$$$

CASA MONO/BAR JAMÓN Não conheço muitos rests espanhóis na cidade, mas o Mono me foi bem recomendado (ele tem 1* Michelin). Ele é bem mini, aconchegante e comida autoral, que mescla os clássicos do país, com boas surpresas. A carta de vinho é enxuta e certeira. É uma boa sugestão romântica e que ainda pode estender pra mais umas tacinhas de vinho no Bar ao lado (o Jamón, do mesmo dono). {125 E 17th St | Gramercy} $$$$

LUPULO Esse foi o restaurante que mais fui durante a viagem, pois ele ficava ao lado do meu hotel (postei sobre o Hyatt House aqui). O Lupulo é um restaurante português de um chef super renomado na cidade, o ambiente é super contemporâneo e a comida deliciosa típica do país, mas com toque moderno. Menção honrosa pra carta de vinhos e as diversas torneiras de cervejas. Boa sugestão pra quem tiver em meio às compras da Herald Square e quiser comer bem. {835 6Th Ave | Chelsea} $$$$

BOUCHERIE Lembram do Pastis? O icônico restaurante não existe mais, mas seu então chef abriu recentemente no West Village o Boucherie. Sua especialidade é carne e tudo da clássica culinária francesa, numa versão mais contemporânea americana. O rest é novo e super badalado, ótima sugestão para um jantar especial! Salivo só de lembrar desse jantar. {99 7th Ave S | West Village} $$$$

LE DISTRICT Pense na versão francesa do soberano Eataly. O Le District abriu há pouco no Brookfield Place e é uma excelente opção de almoço pra quem estiver pela região. Além do mercado clássico, é possível comer todo o tipo de gastronomia francesa e o bar ainda tem um happy hour com vinhos com excelentes preços. Vale muito a visita pra quem gosta desse universo. {225 Liberty St} $$$$

MURRAY’S CHEESE BAR Gosta de queijo? Então anote essa dica preciosa! O Murray’s é a extensão do super clássico mercado de bairro do mesmo nome e é um bar super descolado, sem muitos turistas e com uma carta incrível de vinhos e cervejas! Tem centenas de opções de queijos – alguns que você nunca ouviu falar – e você pode montar sua tábua com frios e quitutes delícias. Eu poderia morar nesse lugar. {264 Bleecker St | West Village} $$$$

Gostaram da seleção! Aguardem que ainda teremos mais posts da temporada Nova York!

Restaurante Pipo, do chef Felipe Bronze

02/03/2017  •  Por Rodrigo  •  Rio de Janeiro

Como eu gosto de compartilhar dicas e informações não só de vinhos, mas também de gastronomia, nessa série #DicasdoRio, falarei de um restaurante recém (re)inaugurado aqui no Rio. É muito legal ver a cena gastronômica carioca crescendo dessa forma e com diferentes estilos de restaurantes aparecendo. Quem ganha com isso? Todos nós, cariocas e turistas que vem apreciar nossa cozinha cada vez mais criativa.

restaurante-pipo-felipe-bronze

O Restaurante Pipo, que acabou de reinaugurar, agora no Fashion Mall, tem a cara do seu propritário, o mago das panelas, Felipe Bronze. O chef, já conhecido pelo seu estrelado Oro (já postamos aqui), criou para o Pipo, uma proposta interessante de cozinha contemporânea com uma pegada bem brasileira.

Muitos clássicos da nossa culinária ganham formatos e leituras criativas com elementos, preparos e apresentações fora do usual. Contudo, o principal é que o foco é total no sabor, pois apesar de toda inventividade natural do chef, o gosto em si é o protagonista. Outra coisa legal, é que tudo pode ser compartilhado, e os pratos principais são para duas pessoas comerem bem, super democrático. Das duas vezes que fomos, pedimos entradinhas + prato principal + sobremesa e o preço foi sempre na faixa de R$190-200.

restaurante-pipo-felipe-bronze

As entradas são bem variadas, da Carne de sol a uma maravilhosa releitura de Pão com ovo caipira defumado. Dessa vez, nós fomos de Aipim frito com espuma de queijo coalho (R$21), super sequinho, crocante e com a espuma dando uma cremosidade deliciosa. Depois pedimos Steak Tartare (R$37) com emulsão de abacate e tapioca crocante, mistura criativa e saborosa.

restaurante-pipo-felipe-bronze

Para o prato principal, tenho dois preferidos, a Costela de Boi, que se tornou a melhor costela que já comi, e olha que já provei muitas! Cozida por nada menos que 18 horas pelo método sous vide (técnica de cocção à vácuo), e finalizada na churrasqueira a carvão, a costela dispensou a faca de tão macia que estava. Sério, suculenta ao extremo e com aquele sabor defumado de churrasco. Ainda acompanhava uma farofa de ovo caipira com couve e um tartare fresquíssimo de banana da terra.

Numa outra ocasião, dividimos a famosa Barriga de Porco XO (R$58) com kimchee (acelga em conserva sul coreana), alface, arroz, moyashi e ervas. A barriga, que por muito tempo foi rejeitada e tratada como carne de segunda, tem ganhado status na alta gastronomia pelo seu sabor marcante. Nessa versão do Pipo, ela tem uma crocância maravilhosa, que envolve uma carne macia e desmancha na boca. De comer rezando, recomendo!

restaurante-pipo-felipe-bronze

De sobremesa fomos de Ipê Amarelo (R$23), tufos de algodão doce no formato de árvore com um creme brûlee de baunilha e maracujá. Só a foto já vale! Da outra vez, optamos pela “(quase) Tudo de Chocolate” (R$23) e o nome é bem explicativo, tem bolo, mousse, brigadeiro, calda e sorvete. Enfim, alta indulgência gastronômica.

restaurante-pipo-felipe-bronze

O Pipo é aquele tipo de restaurante pra surpreender da melhor forma, desde a decoração com cozinha aberta, que pra mim é tipo cinema, aos sabores especiais, tudo por um preço honesto. Sem dúvida vale a visita!