Dica de série: Sunset – Milha de Ouro

05/04/2019  •  Por Thereza  •  tv

Se você é da geração de ouro de Laguna Beach, The Hills e The City, esse post é seu! O criador desses 3 smash hits, Adam Divello, acabou de lançar com a Netflix um novo reality show que não deve em nada para Lauren Conrad e sua turma, de quebra ainda deixa os fãs de drama-e-roteiro-da-vida-real com gostinho de saudosismo.

Sunset – Milha de Ouro (Selling Sunset) é um reality que fala sobre os corretores de imóveis de elite do Oppenheim Group, que vendem – mas também vivem! – uma vida de luxo aos endinheirados de Los Angeles. Com a chegada de um novo membro à equipe, o drama aumenta!

Quem já assistiu “Million Dollar Listing”, sabe que a profissão de real estate de imóveis de luxo é tão luxuosa quanto. Se você vende uma – nada – modesta casa de U$40.000.000 (no programa tem uma incrível assim), você pode ganhar uma comissão de U$1.200.000 e por aí vai, ou seja é muita grana e, claro, competição, mas com Selling Sunset o foco é um pouco diferente.

O programa mostra as casas incríveis e cenários luxuosos (essa é a melhor parte do programa), mas fala também de relacionamentos amorosos e uma certa rivalidade feminina. Longe de mim querer indicar programa assim, o show de fato tem algumas questões problematizáveis, mas tem outros pontos relevantes (fala inclusive como as mulheres do meio são assediadas) e no final das contas é um guilty pleasure descompromissado.

sunset milha de ouro

Se você gostava dos saudosos tempos de Lauren Conrad, Heidi Montag e cia, vai ativar o saudosismo com um reality com o cenário mais bonito de todos, aka Los Angeles, sem contar a trilha sonora sensacional, os looks legais e, bom, um roteiro digno de novela (se pensar assim fica mais razoável).

E sobre a “chegada de um novo membro”, nada menos que Chrishelle, esposa de Justin Hartley, astro de This is us, daí você sente o drama!  O elenco é afiado, interessante e, entre supostas mocinhas e vilãs, é um grupo que rende e acho que o programa pode ser ajustado para novas temporadas.

sunset milha de ouro

Pra quem gosta de um reality leve, ligeiramente fútil e com ingredientes básicos que nos fazem desligar da vida por 30 minutos, fica a dica!

 

Dica de série: Instant Hotel na Netflix

31/01/2019  •  Por Thereza  •  tv

Presta atenção nessa dica que é muito boa, modéstia à parte rsrs. Como assisto muito programa de decoração na Netflix (já teve um post só sobre isso aqui), apareceu no meu recomendados um programa chamado “Instant Hotel”. Do que se trata? Te explico, mas já te digo uma coisa, assisti os 12 episódios em 2 dias, é viciante!

Ele é um  reality show australiano “na competição pelo título de melhor Instant Hotel, proprietários se hospedam por uma noite no imóvel dos concorrentes e dão notas para a experiência”. Onde fala-se Instant Hotel, leia-se Air Bnb e esses sites e apps de hospedagens pelo mundo.

Os donos desses imóveis disputam entre si quem tem a casa mais bonita e aconchegante, quem cria os melhores roteiros, prepara as melhores amenities e faz as surpresas mais interessantes. O programa é dividido em 2 grupos e 2 fases, em cada episódio um grupo vai pra casa de um cicerone x passar 24h, analisar, curtir e, ao final, votar em critérios como preço, decoração, hospedagem, atividades e qualidade do sono.

Ao final das duas rodadas, os 2 finalistas disputam entre si, mas sem antes fazer os ajustes propostos pelos convidados e também por uma expert que faz a análise profissional (chega uma hora que os votos passam a ser pessoais e tendenciosos, essa é até uma questão que eventualmente prejudica a dinâmica do programa). A dupla vitoriosa ganha uma viagem para Los Angeles pra ficar num super mega power Instant Hotel (acho que vencedor merecia uma graninha também, mas o que eles ganham com a exposição deve ser algo incrível).

 

O legal desse reality começa pelo fato de ser na Austrália, não sei vocês, mas nunca vi nada produzido pelo país e conhecer casas e cidades em Bondi Beach (uma das praias mais famosas do país), Barossa Valley (terra dos melhores vinhos australianos) e Byron Bay (reduto bucólico e paradisíaco) já vale o programa. E, acredite, dá vontade de planejar a próxima viagem e de quebra se hospedar em uma das casas!

Mas o melhor do programa mesmo é o CASTING! Os australianos pisam em realities como A Fazenda e Big Brother. Os personagens, que geralmente são casais, mãe e filha, irmãos e amigos, são escolhidos a dedo! Tem mocinha, vilão, casal fofo, disputas, brigas e até uma sósia da Anitta. E o engraçado é que um fica meio que gongando a casa do outro e a gente – e eles também – fica na expectativa “nossa a casa desse aí deve ser o máximo!!”.

 

Ok que muitas das situações dos dramas e rixas são meio que roteirizados, mas quem se importa? Dá muito certo e você termina o programa querendo ver cada casa e seguir cada participante. Vai por mim, é viciante, aliás, meu padrão de sucesso é o Rodrigo gostar também e ele não só amou como stalkeou Leroy (guarde esse nome) e cia comigo.

Esse é o tipo de programa que é a CARA do Brasil, fico pensando se a Netflix adquirisse os direitos e fizesse uma versão tupiniquim, do jeito que temos lugares lindos e gente barraqueira, seria segredo de sucesso!

Se você gosta de reality, drama e decoração, assista e depois me conte.

Tudo sobre Rich Kids of Beverly Hills!

12/05/2014  •  Por Thereza  •  Celebridades, News

Eu sou tipo obcecada por reality show, tipo amor mesmo. Assisto todos que posso, de Kardashians a… Kendra, mas também tenho orgulho de dizer que nunca assisti um capítulo sequer de Jersey Shore hoho. Gosto de realities desde os anos 90 com o The Real World da MTV, quem lembra? Depois disso foram vários outros, um mais por hábito, outros por puro amor e: entretenimento.

E o mais recente deles – que substitui meu gap deixado pela total falta de interessa ao GoT #malzae – é o Rich Kids of Beverly Hills que passa no E! (aqui tem os horários). O seriado não é nenhuma novidade, tampouco é construtivo ou educacional, mas é o velho e bom guilty pleasure versão 2014, o que significa? Em tempos de Instagram e blogs, mas com a mesma ostentação de sempre.

RICH-KIDS-OF-BEVERLY-HILLS-FASHION1

O seriado fala da vida de 5 (filhos de) ricaços que moram em Beverly Hills, buuut, tem um pequeno erro no título, eles já não são kids tem tempo, todos estão na faixa de 25 anos. E é aquela velha fórmula de sempre, meninas ricas fazendo compra na Chanel, Hermès, tomando um Dom, passando finde em Cabo e com dilemas de amor e amizade. O que diferencia de outros realities recentes que não engataram? Carisma. Você se apega a eles, eu tô super apegada.

As aventuras & confusões giram em torno de Dorothy e Morgan e seus amigos, o curioso é que o reality foi inspirado no tumblr-ostentação Rich Kids of Instagram e a linguagem é bem moderninha com interfaces de Twitter, Insta e hashtags pulando na tela a cada minuto. A 1a temporada com 9 eps terminou agora e o sucesso foi tanto que eles já estão gravando a 2a temp  na China. Agora um resumo sobre as principais:

DOROTHY-WANG-RICH-KIDS-FASHION

A protagonista é Dorothy Wang, com pais bilionários (e isso não é modo de dizer), ela se “intitula” FUNemployed, sempre com muito glamour, uma coleção de Hermès e tiradas hilárias (isso que é o divertido do programa). Na 1a temporada ela aparece em “transição”, buscando o que fazer da vida, indo morar sozinha e decidindo qual Birkin de Croco comprar.

Sobre estilo, uma mistura de californian girl com Paris Hilton nos dias de hoje (aliás, elas são amigas). Dorothy diz que ~quando crescer~ quer ser a “sensação asiática no mundo”, mas o curioso é que ela já tem 25, risos. Apesar das doidices, ela é gente boa, hilária, AMA uma #selfie (aliás, ela escolheu o apt dela pela “boa” luz pra selfie) e vale seguir seu insta aqui.

MORGAN-STEWART-RICH-KIDS-FASHION

Morgan Stewart é minha favorita, junto com a Dorothy formam a Blair & Serena (elas se intitulam assim)! Ela é uma figurinha, tipo não se leva a sério, fala muita besteira e também tem altas sacadas. O pai é arquiteto mutcho rico, mas ela já mora sozinha numa casa linda. E seu dilema-na-temporada é sobre morar com o namorado Brendan, que é corretor de imóveis e ganhou seu primeiro milhão aos 19 vendendo uma casinha ali.

Sobre moda, ela sabe ser casual, tem estilo próprio e ousa na medida. Morgan também é blogueira e dona do Boobs & Loobs (porque tem muito peito e 200 Louboutins), um blog que fala da vida dela, estilo e bláblá. Também vale seguí-la no Insta.

ROXY-SOWLATY-RICH-KIDS-FASHION

Já Roxy Sowlaty é tipo a amiga das duas, mas não é bffzona, ela é meio mimadinha e a família não é tão bili quanto às duas outras, mas continua sendo milionária e com uma bela mansão. Roxy é interior designer e faz um trabalho bem legal, postei no Decorismo fotos da casa dela (e decorada por ela). Tomara que na 2a temporada desenvolvam mais esse lado da profissão dela.

Além delas, tem também o Jonny, que é compositor e fofinho, agora e o mais HILÁRIO de todos, o E.J. Figura máxima, se veste loucamente e usa Chanel como a gente usa Forevinha. Ele é filho do Magic Johnson, faz bico no Fashion Police e se na 1a temp não apareceu em todos os eps, na 2a ele já é confirmado como fixo.

Tipo, é um programa fútil e também irreal (tipo Olivia Palermo sendo vilã em The City). Não é daqueles programas mais edificantes da sua vida, mas quem curte um guilty pleasure clássico em tempos de insta-ostentação vale muito assistir, porque é bem divertido e viciante. E quem assiste, favor compartilhar comentários e favoritos!