Pela não banalização dos blogs

19/03/2010  •  Por Thereza  •  Moda, Pense

Andei refletindo sobre blogs, o ato de postar e compartilhar informações. Mas desde já preciso informar que não estou pensando em cometer o blogcídio, adoro isso aqui e é minha terapia ocupacional favorita, mas não quero me tornar refém dela, porque quando a gente vira profissão-blogueira, rola uma obrigação, a gente pode perde a naturalidade, aí ferrou! O blog precisa de frescor, não somente posts aleatórios.
O que eu andei pensando é o seguinte, muitos blogs surgem a cada dia, uma proliferação desenfreada, MUITOS são ótimos, mas provavelmente a maioria é mais do mesmo.  Normal. Não estamos pedindo pra ninguém (re)inventar a roda, mas sim que tenha um certo cuidado ao postar, sim, um pouco de zêlo não faz mal a ninguém. Um post mal escrito, palavras mal ditas, uma “reputação-virtual” pode ir por água abaixo.

Mas mais dos que neo-blogs, muitos blogs antigos, mais ou menos famosos, parece que perderam a espontaneidade na hora de postar. Sei lá, o “tal do frescor” de falar sobre moda, tendências e amenidades se esvaiu nesse mundinho virtualmente glamurizado que é (parece) ser blogueira.
Pois bem, esse texto, talvez sem pé nem cabeça começou de um tuíte meu falando do meu desamor pela saudável leitura do MEU Google reader, e que foi altamente apoiado-e-endossado. Antes, ia sedenta por novidades, curiosidades ou deliciosas frivolidades, hoje em dia alguns blogs que leio (não a maioria) parece que ou se perdeu, ou desanimou, ou se afetou, ou talvez vive da natural – e super permitidaentresafra criativa e coletiva.

No meu caso, preciso assumir, na minha humilde (in)significância, que no início do blog postava qualquer coisa sem medo de ser feliz, hoje em dia penso bem antes de apertar o botão “publicar”. Perdi a naturalidade? Acho que não, parece que a responsabilidade de escrever algo interessante e não me esconder em firulas, montagens extraordinárias e porque não, eventuais Chuck Basses, falou mais alto. É uma postura que tomei e acho a mais acertada PRO MEU CASO.

Outro assunto delicado é o relacionamento blogueira+leitora. Preciso fazer a mea culpa e admitir que muitos comentários e perguntas por aqui ou twitter podem passar despercebido por mim. Sou humana, né! Mas comparado ao que vejo na vizinhança, posso afirmar que meu relacionamente com vocês é algo muito fraterno, pois sempre me esforço em estar presente. Agora, nós blogueiras, precisamos admitir que dependemos de vocês sim pra ter ânimo de postar e tentar agradar. E quanto a vocês, e essa é uma sugestão pessoal (e blog é isso), não corram pra fazer um blog por fazer, pois muitos comentários que leio são mais importantes e pertinentes que um post aleatório num outro blog qualquer. E acho que é isso que importa, ser ouvida (ou lida), não importa o meio (post ou comentário), mas sim o fim e o efeito.

blogs
Mesmo a Luciana tendo popularizando esse mundinho, as pesquisas comprovam que o ibope dos blogs caiu e que Anna Wintour já  não curte muito. O que nos resta, blogueiras, é não banalizar o sublime ato de postar, ter algum criatividade e muito cuidado. Pelo bem da nação blogueira, aí inclui-se leitoras e agregados.

Página 6 de 6« Primeira23456