Ronda da Semana: Rihanna, Lady Gaga, Marchesa e religião

11/05/2018  •  Por Thereza  •  Celebridades, RDS

Olá, sexta-feira! Vamos pra nossa Ronda com os assuntos mais trepidantes e relevantes da semana?! Fiz uma seleção de temas legais pra gente conversar, chega mais!

SAVAGE X FENTY, A LINGERIE DA RIHANNA

O que faltava pro império da Rihanna? Sim, isso mesmo, uma linha de lingeries. Mas vindo de quem vem, não é uma linha qualquer, mas sim uma seleção de sutiãs, calcinhas e acessórios super democráticos, seja pelo preço, bem como tamanho e até mesmo cor (ela disse que tem todos os tons de nude).

Segundo Riri, “não existe regras quando o assunto é lingerie. Produtos fofos e ousados podem conviver numa mesma coleção e a ideia é essa. A Savage te desafia a experimentar algo novo, mas permanecendo completamente autêntico a si mesmo.” A coleção foi lançada hoje e são centenas de peças que vão de U$14 a U$99. Vale clicar aqui pra ver o tipo de lingerie Riri usa rsrs!

HAUS DA LADY GAGA

E nessa onda de cantoras lançarem suas próprias marcas, chegou a vez de Lady Gaga. Os fuxicadores de plantão descobriram que a empresa da cantora, a Ate My Heart, registrou o nome de outra marca chamada Haus e que contempla produtos de beleza, como maquiagem, perfume e até skincare. Ou seja, provavelmente Lady Gaga terá uma linha pra chamar de dela.

Suas últimas fotos no Instagram inclusive mostram muitas selfies e com make poderosa. Lembrando que Madonna também lançou recentemente sua Mdna Skin e Jennifer Lopez lançou uma linha de make com a Inglot.

O RETORNO DE MARCHESA

Depois do escândalo de assédio envolvendo o poderoso Harvey Weinsten, provavelmente uma das vítimas sofreu além, Georgina Chapman, sua agora ex-mulher. Você pode não estar ligando o nome à pessoa, mas Georgina é uma das fundadoras da Marchesa, ícone dos vestidos de festa glamurosos e desejados por 9 entre 10 celebridades.

Porém, desde o ápice do escândalo, a marca sumiu dos red carpets. Mesmo Georgina sendo uma das vítimas, as famosas não quiseram se envolver nesse escândalo e, eventualmente, “apoiar” uma marca que tem, digamos, dinheiro sujo do tal do Harvey. De 6 meses pra cá, a Marchesa não foi vista em mais nenhum tapete vermelho, seu desfile foi cancelado e frenesi minguado.

Bom, até essa última segunda. No Baile do Met, Scarlett Johansson resolveu acabar com isso e usou um look para apoiar a marca. Logo depois, Anna Wintour deu uma entrevista apoiando a decisão da atriz e também da marca em buscar se reinventar, “Georgina é uma estilista brilhante, e eu não acho que ela deva ser culpada pelo mau comportamento do marido. Acho que foi um grande gesto de apoio da parte de Scarlett usar um lindo vestido como esse em uma ocasião tão pública.”

Muito se especulava que nos áureos tempos de Marchesa, Harvey “induzia” as famosas de seu estúdio a usarem os vestidos de sua então mulher. O que é verdade, não sabemos, mas de fato a Marchesa não pode ser punida por essa questão. O que acham?

A EXPOSIÇÃO DO MET

Não custa lembrar que depois de toda a festança do Baile do Met, tem uma exposição que reúne muita moda, cultura e, nesse caso, religião. A “Heavenly Bodies: Fashion e Catholic Imagination” foi aberta essa semana e fica até agosto no Metropolitan Museum. Dizem que é a maior já feita e sem dúvida faz parte do roteiro de quem for pra NY no verão.

Bom fim de semana!