O triste fim da Revista Glamour americana

29/11/2018  •  Por Thereza  •  Pense

Relembrando um post antigo de 2012, no qual conversamos sobre o então triste fim da saudosa revista Capricho. Bom, o site da Capricho ainda existe e deve arrebatar um séquito de adolescentes, mas estamos falando de revista, papel, aquele brilho, folhas, um cheiro de impresso. Isso tem se tornado cada vez mais escasso e agora foi a vez da Glamour americana encerrar suas atividades na versão impressa.

A publicação existe há 79 anos e desde sempre foi a revista feminina número 1 em vendas nos Estados Unidos. Enquanto a Vogue sempre foi aspiracional e high fashion, a Glamour prezava por ser uma revista feminina autêntica, muito descolada, com matérias não só sobre moda, mas também comportamento e estilo de vida, sem contar os editoriais de moda charmosos e sempre um nome atraente na capa.

E tá vendo essa bela capa com a Amber Heard? Pois bem, é a última edição impressa da Glamour US, sinal dos tempos. Algo que já vem acontecendo há muito tempo, mas quando vemos um mega título como esse deixando de existir fisicamente, dá uma tristeza sim. A Glamour vai seguir existindo online com seu site, mas não teremos mais papel pra folhear, arrancar, cheirar (sim, eu adoro cheio de revista).

Quando era criança, meu sonho era ter uma banca de jornal pra ler todas as revistas gratuitamente rs #empreendedora. Ler uma revista é mais do que se informar ou se distrair, pra mim, faz parte de uma experiência, uma desconexão com o momento e a imersão num belo mundo paralelo, e não vai ter página da web que vai mudar isso (e falo isso escrevendo numa página na web rs). Ler uma revista é cultural.

Ok, eu passei a ler bem menos, não por preguiça, mas muito pela falta de proximidade com as pautas sempre iguais, distantes da minha realidade e sem representatividade alguma. As mesmas cartas marcadas, nomes amigos, pessoas plantadas por assessorias, infelizmente essa seguirá sendo realidade e não vai ter revolução digital que vá mudar engrenagem tão antiga.

Eu, Thereza, não gosto de ler apenas legenda do Instagram, amo ler um bom texto, uma matéria que me capta, uma notícia fresca , mas tudo isso precisa me empolgar, atiçar, me deixar curiosa. Precisa valer o clique, sabe? E sempre digo isso em relação ao mundo dos blogs, antigamente a gente escrevia qualquer coisa e todo mundo lia, ia atrás. Os tempos são outros, não podemos escrever qualquer coisa e pronto, precisa valer a pena, pode ser fútil ou reflexivo, mas o desafio é captar o leitor naqueles 2 segundos que ele passa por você diante de uma vitrine com milhares de outras ofertas.

Quem produz conteúdo precisa CONQUISTAR o leitor. Esse é o desafio e tem sido um GRANDE desafio em tempos de like por like.

Será que com o fim da Glamour impressa, o digital vai substituir à altura? O que faz você deixar de ler 2 linhas de legenda do Instagram ou ver uma foto que te prende por apenas 3 segundos, para algo fora dessa nova ordem mundial, mas ainda essencial e indispensável?

O trabalho é mútuo. Enquanto consumidora, quero sim comprar revistas e entrar em sites, mas também buscarei valorizar apenas as marcas (não é mais revista ou blog, mas marca!) que criarem um conteúdo relevante, interessante e também atento à agenda atual.

Agora enquanto produtora de conteúdo, me esforço diariamente em sempre trazer conteúdo fresco, atual, novas pautas além do óbvio, ser sensível aos dias de hoje e ainda manter a essência original desse adorável universo de leitura rápida e interessante na internet. É um malabarismo, mas seguimos tentando.

E 2019 tá aí, em termos de conteúdo e informação de moda, o que vocês gostariam de ver e consumir de fato nessa nova era em constante transformação? O que merece atenção e o que deve ficar pra trás?

Dica de make pra balada

08/11/2014  •  Por Thereza  •  Beleza, Maquiagem

Brincadeirinha, ok? Ainda não surtei ou tampouco é carnaval, mas é que eu AMO certos editoriais de beleza que abusam das cores e ousadia e esse da Teen Vogue do último mês é bem assim, logo vale compartilhar num saturday night! Lembro de um tão legal que postei aqui da Vogue Japão e vocês curtiram, então observem as maquiagens pinturas abaixo!

 foto-1

2

 Teen Vogue - October 2014

Teen Vogue - October 2014

5

Lógico, é tudo conceitual! Acho que o que fica de um editorial desses é que a gente pode desconstruir referências e brincar de maquiagem. Adoro esses ideias que subvertem o óbvio e nos inspira para sermos mais ousadas, inventivas e sem nos apegarmos às regras de beleza, como um olho de gatinho perfeito ou boca-tudo-olho-nada.

Também vale se inspirar na combinação de cores (verão vem vindo) e texturas adotadas (a make mais glossificada é outra tendência). Enfim, achei lindo e divertido, amo abrir uma revista e ver algo diferente assim!

Palmas pra Teen Vogue e seus profissionais que capricharam num editorial tão bonito de se ver, curtiram?