Era uma vez a Dolce & Gabbana…

26/06/2018  •  Por Thereza  •  Estilo

Uma marca italiana famosíssima, criada por Domenico Dolce e Stefano Gabbana, sempre com peças extravagantes, estampas mirabolantes e desfiles capotantes. Inegável sua força nos tapetes vermelhos, editoriais de moda e qualquer lugar que tenha moda, tem D&G. Ou teria?

Tudo muito bom, tudo muito bem. Eis que de uns anos pra cá, a marca tem sido mais falada por suas polêmicas em entrevistas e redes sociais, do que por seus – inegáveis – belíssimos vestidos e acessórios.

Tudo meio que começou em 2013, numa entrevista sobre sua coleção #DGFamily, ao ser questionado o fato de não ter filhos, Domenico afirmou, “uma criança quando nasce deve ter um pai e uma mãe. Ou pelo menos deveria ser assim. Não me convencem aqueles que eu chamo de filhos da química, crianças sintéticas. Úteros de aluguel, quase escolhidos por catálogo. E depois vá explicar a essas crianças quem é a mãe”.

A polêmica foi muito forte e na época, nomes como, Courtney Love, Madonna, Victoria Beckham e Elton John (que tem filhos através de fertilização in vitro), vieram a público demonstrar insatisfação e sugerir boicote à marca, com a #BoycottDolceGabbana.

Depois disso, foram muitas outras polêmicas e comentários preconceituosos e gordofóbicos no Instagram. Num deles, ao ser criticado por seu tênis escrito “Magra e maravilhosa”, ele respondeu assim, “Quando a idiotice distorce a realidade!!! Inacreditável!!! Da próxima vez vamos escrever ‘Amo ser gorda e cheia de colesterol’. Pra todos os haters: muuuuito obrigado, recebemos 20% mais pedidos por esses sapatos depois dos seus comentários. Amo vocês, eu sou magro e maravilhoso”.

Vale lembrar que o modelo “Thin & Gorgeous” de fato foi ~sucesso e até aqui no Brasil, a versão bolsa foi vista recentemente nas mãos de Giovanna Lancelotti, na estréia da última novela das 9. Gostaria de acreditar que ela não leu a mensagem (ou não sabe inglês?!??), mas quem usa uma afirmação dessa, compactua com a gordofobia.

E a mais recente polêmica da dupla mexeu com o fandom errado: Selena Gomez, a nº 1 do Instagram! Numa postagem com fotos da cantora, Stefano comentou do nada, “ela é tão feia!!!”. O bullying pegou muito mal e os Selenators não deixaram barato, mas parece que o estilista nem se importou e seguiu com o deboche.

Onde quero chegar com tudo isso? É que talvez as polêmicas finalmente passem a doer no bolso e no prestígio da dupla. Confesso que não entendo quem, em sã consciência dos acontecimentos, usa a marca, mas parece que já existe um movimento poderoso para boicotar Dolce & Gabbana dos tapetes vermelhos.

Na semana passada, rolou nos EUA um painel sobre “O futuro do tapete vermelho”, promovido pelo site The Business of Fashion, com diversos nomes importantes da área e a marca foi assunto.

A top stylist, Karla Welch (1° lugar no ranking do THR), que cuida de nomes como Justin Bieber, Lorde, Karlie Kloss e Amber Heard, disse que já estava atenta ao posicionamento da marca, mas com o caso de Selena foi a “gota d’água” e revelou que mandou tirar imediatamente todas as roupas e acessórios da marca de suas araras de produção.

Já Jason Bolden, stylist responsável pelos looks de Taraji P. Henson, Gabrielle Union e Mary J. Blidge contou que boicota a marca há anos, justamente por conta de seu lado controverso, “apesar dos belos vestidos”.

Nem Selena Gomez, nem Kate Young (stylist da cantora e de muitos outros nomes importantes, como Dakota Johnson e Michelle Williams), se posicionaram a respeito, mas sem dúvida a marca, que pouco fez, não fará mais parte do seu repertório fashion. Acho que já era hora e ainda bem que os stylists precisaram tomar a frente dessa situação desnecessária e ultrapassada.

E vocês, conseguem ainda admirar a marca ou pessoas preconceituosas não passarão, apesar dos lindos vestidos?!