AS MAIS
LIDAS!

A construção do amor na gravidez

07/07/2020  •  Por Thereza  •  maternidade, Moda, Pense

É óbvio, crescemos com a cultura e ideal romântico de filmes e novelas. Aquela gravidez perfeita, bonita e plena, todo o lado bom da gestação (que sim, tem e são muitos, garanto)… já disse plenitude? Mas uma coisa poucos falam até mesmo nessa geração maternidade desconstruída: a construção do amor. Ele geralmente não vem instantâneo, ele é gradual, mas cresce numa progressão geométrica, como deve ser.

Eu juro, joguei no Google, perguntei pra minha médica se o “problema” era comigo, pois o amor surgiu aos poucos. Não foi como numa novela ou comercial , a ficha demora a cair e diria, ela nem cai, mas vai escorregando, a minha, do alto das minhas 24 semanas, ainda está escorregando suavemente, mas cada vez mais forte. É muito bom.

Quando descobri que estava grávida, chorei. Chorei de emoção, de alegria, mas também de medo, susto, pânico. Lógico que meu trauma da gestação anterior teve um grande impacto nisso, mas a incerteza ronda, parece aquele tipo de relacionamento que você não quer se entregar, se apaixonar. Você precisa conhecer a pessoa antes. Nesse caso, é preciso saber se tem um bebê aí (lembrando que tive uma gravidez anembrionária, o que constitui na não-evolução do embrião e apenas crescimento do saco gestacional), com isso, esperei 7 semanas pra relaxar um pouco. Peraí, achei que ficaria relaxada, que nada, vamos esperar mais um pouco, mais precisamente até o ultrassom da 12a semana que é quando diminui bastante as chances de perda gestacional.

E com o passar das semanas o medo vai até diminuindo, entra sim a alegria e emoção, mas você não consegue pensar em muitas outras coisas, muito provavelmente pelo fato do enjoo vir com tanta força. É aquele turbilhão de sensações, não vou dizer ruins, mas que te deixam apreensiva e um pouco anestesiada.

Eu não relaxei nos 3 primeiro ultrassons que fiz, só no quarto que fui mais tranquila (e olha que era a morfológica, o exame mais completo), pois já estava começando a sentí-la mexer e isso já é um alívio natural e instantâneo. Ver a barriga crescer também a certeza visual que ela está ali e mais precisamente dentro de você. Preciso dizer, é bizarro, mas maravilhoso também.

E sobre a tal construção do amor, ela vem paulatinamente, aos poucos, lentamente você vai sendo tomada por novas sensações, emoções. Você chora, ama, mas você fica muito aliviada. Minha sensação é mais de um alívio, um acolhimento, eu a acolho e ela me acolhe diariamente. Somos protagonistas da construção dessa história e isso sim encanta e atesta o tal do amor.

Não que no início não houvesse sentimento positivo, havia já a sensação de superproteção, cuidado e, sim, a insegurança, mas com o tempo entra também o amor quentinho, às vezes silencioso, mas eternamente progressivo. É assim que me sinto a cada dia, é sempre mais que o anterior e não faço ideia como será amanhã ou quando ela nascer.

Minha ficha ainda está escorregando, mas cada vez mais forte e também suave.

A tentativa da volta do loiro chapado

02/07/2020  •  Por Thereza  •  Cabelos

Quando o assunto é cabelo e meu momento gestante, uma coisa eu devo agradecer: a moda de cabelo ombré e mechas texanas® (isso tudo potencializado pelo fato de tecnicamente sequer poder sair de casa por conta da quarentena). Comecei a fazer luzes aos 15-16 anos e desde então a regra era clara: luzes fininhas, bem grudadas à raiz e retocada religiosamente a cada 60 dias. 

Esse era o padrão loirice brasileira por muito anos, diria décadas. Umas era mais sutis e elegantes e outras mais retas e diretas. Isso tudo mudou e arrisco dizer que essa geração digital tenha uma grande influência.

Com o tempo vieram cabelos mais sutis, as mechas californianas ganharam espaço e até aqui nesse humilde blog inventamos dois termos que até já saíram em capa de revista: mechas texanas e morenoira. De quebra, nosso post mais lido de todos os tempos é “A COR DE CABELO MAIS BONITA DO MUNDO” [clica aqui pra saber detalhes caso você não se lembre desse icônico post datado de 2010].

A cor de cabelo da Jessica Biel foi o marco libertatório rs de mulheres que por anos se tornaram reféns de salões, tintas e papilotes e puderam ao menos descansar o bolso e o fio por uns meses ao mais e esticando esse período de retoque.

Falo por experiência própria, nunca deixava minha raiz com mais de 2 dedos e isso era exatamente 2 meses e já batia um desespero. Já tem uns 4 anos que tenho escurecido de leve – e aquecido – mais minha raiz, trabalhado com uma técnica que esfuma mais e cria menos contraste e isso facilita muito pra não ter aquela raiz marcada.

A última vez que fiz luzes foi em dezembro e, por conta da gravidez, já poderia até ter voltado a retocar – sutilmente ou não – mas não tenho nenhum plano de fazer isso por conta da gravidez-e-quarentena e me sinto extremamente bem e confortável com o cabelo assim. Aliás, tive sorte de ser daquelas grávidas que o cabelo ficou bem melhor na gestação, mas sei que o pós vem aí rs.

 

Junho/20 - 6 meses sem luzes x Novembro/18 - acabei de sair do salão

 

Sabe pq eu tô dizendo isso? É que a mesma onda de famosas e influenciadoras que disseminaram a cor de cabelo mais, digamos, democrática, são aquelas que tão querendo fazer o loiro chapado acontecer novamente!

Como assim? Sim, aquele loiro, que uns chamam de odonto, chapado, sem nuances e camadas e com um amarelo beeeem característico está na moda no verão americano e eu gostaria que você visse com seus próprios olhos.

Emily Ratajkowski, indiscutivelmente linda. A modelo pintou o cabelo na última semana e causou. O loiro é chapado, mas tem até umas nuances de luzes, a raiz é levemente escurecida, mas amada, você vai ter que virar refém do salão. Pra ela é fácil, mas imagina pra nós, reles mortais? Por isso que eu digo que é um tipo de influência que não deve necessariamente voltar.

Kylie Jenner, cada mergulho, um cabelo. Tudo bem que isso é obviamente um lace, mas endossa a onda dos loiros chapados e o dela é chapadérrimo mesmo. Coragem! Outro dia ela estava ostentando umas luzes anos 90 tão bonitas e bem mais inspiradoras.

Por fim, Kaia Gerber e a personificação do meme “O começo de um sonho – Deu tudo errado”. Parece a gente cazamigas brincando de blondor em 1997. Provavelmente esse cabelo é fruto de algum editorial bem crazy conceitual, mas mais uma vez prova que tão querendo fazer o loiro chapado acontecer.

E vocês, gostam do loiro mais declarado ou aquele discreto?

11 looks da Chrissy Teigen e John Legend por aí

29/06/2020  •  Por Thereza  •  Estilo

Vamos começar uma série com looks de casais estilosos por aí! Seja a pura sinergia dos looks (tem uns casais que coordenam paleta de cores pra sair e eu mal decido se meu marido vai de bermuda kkk quem lembra?) ou o mais simples amor, como casais que se vestem bem… vivem juntos!

Começando com um dos meus casais favoritos de Hollywood: Chrissy Teigen e John Legend

Essa foto é até bem antiguinha, mas a cara dos dois: super divertida e estilosa. Eu amo um casal!

Charmosos e descomplicados pelas ruas de Nova York.

Olha aí uma cartela de cores harmoniosa

Super romantiquinhos!

Saindo pra jantar!

E agora com a filha mais velha, e fofura absoluta: Luna! As fotos deles de férias pela Italia são tudo nessa vida.

Eu não aguento o look! Quero uma Luninha rsrsrsr

Cata a elegância dos dois (e, sim, fofura da Luna)

Eu na itália com meus pais

Amarelo casual

Com a Luna e o caçula Miles, família fofa e cheia de charme! Aceito dicas para os próximos Por Aí dos casais!