O melhor restaurante japonês do Rio!

27/05/2014  •  Por Thereza  •  Gastronomia, Moda, Rio de Janeiro

Segundo eu mesma! Primeiro preciso contar uma história de como comecei a comer e gostar de japonês. Foi bem no início de namoro, lá em 2004 e a gente não queria ir mais pra boite, fez-se o Japa, só pra variar. A gente ia todo final de semana num japonês que tinha num quiosque da lagoa comer hot philadelfia e basicamente isso.

Se no início comia pelo hype kkk #quemnunca depois foi virando vício de querer e salivar! Daí logo veio a onda do koni e depois veio meu primeiro amor: Manekineko. Todo final de semana era dia de Manê, meu cartão de fidelidade (uma pena não ter mais, hein) era cheio de pontos e seja um rodízio ou um sashimizinho de leve, o restaurante era de lei!

japones-rio-dejaneiro-naga-village-mall

Depois disso experimentei outros, uns mais básicos e outros mais exóticos (amava um no Iguatemi de SP que tinha uma esteira, porque isso não tem no Rio? #vaitercopaué!), mas Manekinekão sempre foi meu favorito, aliás, acho que dá de 10 no Sushi Leblon, que pra mim é mais social que gastronômico e acho meio carinho demais.

naga-fotos-japones

Daí, desde o ano passado tenho um novo amor e ele se chama Naga. O restaurante abriu no Village Mall na Barra, tem decoração minimalista incrível e cardápio de salivar, sério, é o restaurante japonês mais gostoso que já foi, tipo… no mundo :)

nagayama-restaurante-foto-cardapio-village-mall11

Primeiro, o atendimento é ótimo e impecável, eu sempre sento no sushibar (porque gostamos de conversar com os sushimen, que sempre nos dão uma aulinha de gastronomia a cultura japonesa) e tudo que peço vem bem rápido! Os peixes são uma delícia, super frescos e tem muitos tipos incomuns e opções surpreendentes. Não é aquele japa de ir todo dia, mas também tem opções clássicas que não são mais caras que um japa normal (tipo sushirolls, temakis), então dá pra ir pelo menos a título de curiosidade. Não é barato, mas compensa muito pela qualidade.

naga-village-mall-fotos-2

Pra mim, a diferença do Mane pro Naga é que enquanto o primeiro você vai pra pedir rodízio, saciar sua fome e comer até sair rolando feito um sushiroll, no Naga é uma gastronomia diferenciada e de degustação. Tipo você vai experimentar o peixe exótico x e prato elaborado y, apesar de lá também ter todos os clássicos de sempre, mas vale ressaltar que não tem rodízio.

Agora alguns dos meus favoritos: Amo esse Ussuzukuri de barriga de salmão (a parte mais saborosa), que são fatias mais finas e um molho especial. Por lá tem uns combinados bem mirabolantes, mas acabo sempre focando nas duplas e outras novidades, por exemplo, esse potinho fofo se chama Tirashi e vem com arroz embaixo e algas separadas pra você montar seu enroladinho com uma dúzia de variedade de peixes, é muito legal o ritual. Lá também tem degustação de saquês, cervejas japonesas artesanais e drinks.

naga-village-mall-fotos

Minha dupla favorita é esse batera (ele é bem barato huhu), um sushi quadrado prensado com crispy de flor de sal. Também AMO o Centolla, que é um caranguejo chileno, delícia! Confesso que não sou de muita ousadia (meu marido que experimenta, tipo o foie gras, que o pessoal contou que é produzido através do método biodinâmico sustentável), mas o legal de lá também é que tem muito peixe (especialmente os brancos) diferentes e eles finalizam com toques especiais, que variam desde um molho de laranja até um azeite trufado, passando por pimentas e sais especiais de todos os cantos do mundo!

É uma experiência gastronômica imperdível pra quem curte um japonês e quer ir além do clássico! O local é uma delícia e vale muito! Alguém aqui já foi, curtiu ou quer me contar do seu japa favorito no Rio?

MEE, o novo restaurante pan-asiático do Copa!

25/02/2014  •  Por Thereza  •  Gastronomia, Rio de Janeiro

mee copacabana palace

Quem me acompanha pelo Instagram (é @fashionismo!), viu que na última sexta-feira tive um jantar muito especial, logo instagramei. O Copacabana Palace me convidou pra conhecer em primeira mão seu novo restaurante, o pan-asiático MEE (que significa beleza em coreano).

O restaurante ocupa o espaço do antigo Bar do Copa e foi inaugurado na última semana em clima soft opening (por enquanto só jantar e com reservas). Por lá, uma culinária asiática contemporânea e o primeiro restaurante pan-asiático do Rio. O que significa que não é um restaurante só japa e/ou chinês, por lá também tem pratos tailandeses, vietnamitas, cambojanos, malasianos, entre outras exoticidades, todas adaptadas a uma culinária mais atual impossível!

O cardápio foi desenvolvido pelo chef Ken Hom e o responsável pelo restaurante é o chef Rafael Hidaka. Além disso, também tem uma sommelière de saquê, a Rejane Kawano e tudo gerenciado pelo querido Felipe Ishihama. Eles me receberam super bem para uma experiência incrível, tudo às vésperas dos meus 2 anos de casamento, então comemorei duplamente :)

mee pan asiatico copa

Momento Decorismo: fiquei apaixonada pelo ambiente! Aconchegante e elegante na medida. Não é aquela coisa fria ou formal demais e muito menos tem aquela pegada “caricata” de certos restaurantes asiáticos. O local é muito bem decorado, com espaços mais reservados e todos com esses quadros impactantes e que rendem belíssimas fotos pro insta #aquelas.

Além disso, tem um sushi bar que dá de cara pra cozinha e é sempre minha parte favorita de ficar, porque adoro acompanhar a movimentação e fazer perguntas aleatórias pro sushiman.

mee cozinha copa1

Sobre a comida: fizemos uma espécie de menu degustação pra conhecer um pouco dos pratos e das sugestões, mas antes de compartilhar minhas fotos (de celular e mais escuras, relevem), algumas fotos oficiais, que mostram um pouco dos sushis e desse kobe beef que não experimentei, mas já estou salivando.

Agora eu acho que o diferencial do MEE é que além das opções clássicas de sushis e afins, eles são fortes nos pratos quentes e diferentes de quaisquer outros restaurantes daqui do Rio. Do salmão do Cantão, passando pelo porco assado do sul da China, são pratos únicos e pra quem curte uma culinária asiática precisa experimentar. A faixa de preço do prato principal é de R$65 e a porção é bem generosa.

mee prato copa 2

De entrada comemos um rolinho primavera de torresmo vietnamita maravilhoso. Além disso, experimentamos uma salada tailandesa picante de tangerina e achei a mistura de sabores o máximo, nunca comi nada igual.

De prato principal fui de salmão cantonês ao vapor, super leve e saboroso e o Rodrigo foi de talharim especial com camarões, todos os pratos  saborosos e apimentados na medida.

mee copa prato 1

Já nos sushis fomos nos diferenciados, o curioso é que nem camarão eu como, mas gosto de experimentar certas coisas só pela ousadia hehe Meu favorito é o king crab, comi pela primeira vez em Seattle e me apaixonei, é super difícil de encontrar no Rio (aqui tem a versão chilena chamada Centolla), mas lá tem e é uma delícia!

Agora a ousadia ficou por conta dessa cabeça de lula, confesso que comi só um pedacinho pela curiosidade do momento, mas Rodrigo comeu tudo e foi o favorito dele. Ao lado tem um sushi de atum com ovo de codorna semi cozido com trufas que foi a melhor coisa que já comi nessa vida japonesa, sério, muito bom! Por fim, um ouriço que já é demais pro meu paladar limitado, mas quem curte uma exoticidade, por lá tem muita coisa.

Pra finalizar, uma mini degustação de sobremesa, destaque pro Crème brulée de gengibre (ficou uma mistura inusitada e deliciosa) e os sorvetes artesanais do Copa que são deliciosos.

unnamed

O que eu achei mais legal do conceito do MEE, é que é um restaurante diferente do tudo que tem no Rio e que vai além do foco turista. Lá fora o povo tem super hábito de frequentar ótimos restaurantes dentro de hotéis e aqui no Brasil não temos muito esse hábito, além disso, muita gente também nem vai por receio de entrar no hotel ou não. Acho que essa é uma experiência que vale muito a pena, não só pela culinária incrível, como pela atmosfera do restaurante e do Copa!

16 sugestões de vinhos para fim de ano (e o ano todo também)!

08/12/2013  •  Por Thereza  •  Gastronomia, Vinho

e1cf8701f486925efc5de6907c8220d5

Acho que vocês me conhecem bem: gosto de peônias, Chuck Bass, batom rosa e… vinho! Quem me acompanha no Insta sempre me vê pelos bordejos etílicos e já fiz alguns posts sobre o tema e até contando como essa entrada no mundo de Baco me fez bem e mudou até meu relacionamento (já falei que meu marido deixou de tomar chopp no boteco pra degustar vinho comigo hehe) e ainda é mais saudável que bebedeira de vodka, whisky e afins.

Já fiz post com dicas pra iniciar nesse meio aqui, pra experimentar champagnes aqui e agora, atendendo a pedidos, dicas de 16 vinhos pra você tomar e dar de presente nessa época de fim de ano! Sempre recebo pedidos pra falar mais sobre o tema e tá na hora de compartilhar meus favoritos e dizer o que vale a pena pra todos os paladares e bolsos. Tentei ser sucinta na descrição e também não especificar muito sobre as safras pra não complicar, mas certeza que são rótulos consistentes ano após ano. Obrigada Rodrigo por ajudar na escolha e comentários sobre os vinhos (viu, agradeci :P).

VINHOS 1

Cava Cristalino Bru: Espumante espanhol (Cava!) perfeito para festas. Tem ótimo custoxbenefício e bem mais a oferecer do que a maioria dos espumantes de renome e muitas vezes com o dobro do preço. Fresco e super frutado, não é muito seco, mas também zero enjoativo, agrada a qualquer paladar, pra beber a noite toda!

Alta Vista Premium Chardonnay: Branco argentino típico! Vinho muito tropical, com excelentes aromas de maracujá, banana e abacaxi. Ótima opção pra quem quer começar no mundo dos brancos. Simples, mas muito bem feito.

Muga Branco: Espanhol de Rioja. Possui notas de baunilha, mel e ervas, super fresco e ótimo para bebericar no verão. Harmoniza muito bem com canapés e frutos do mar. Bom ter sempre por perto para qualquer ocasião, aliás, gosto tudo que venha de Rioja.

Biot Rosé: Espumente brasileiro da Serra Gaúcua. Ótimo custoxbenefício, boa surpresa e rótulo fofo! Cremoso, frutado, super saboroso e com muitas borbulhas (aka perlagio). Ótimo para festas de fim de ano e perfeito aperitivo!

Lua Cheia Branco: Português bem interessante e uma ótima sugestão de presente, pois impressiona conhecedores e agrada novatos. Muito frutado, cremoso e floral, vinho branco sem erro!

M de Minuty: Rosé francês de Provence super clássico! Leve, com boa acidez (o que significa zero doce e enjoativo) e ótimo para degustar em dias quentes. Aquele tipo de rosé clássico e sem erro, um dos meus favoritos (achei na Premium Drinks).

Champagne Lanson Brut e Rosé: Um dos meus champagnes favoritos. Bom preço que super justifica e ainda superior a muitas marcas mais conhecidas. O branco tem aromas de pêra, amêndoas e frutas cítricas. O rosé lembra frutas vermelhas frescas e é bem seco (ou seja, zero enjoativo), amo! Champagne com bom corpo e fácil de agradar aos mais diversos paladares, vale muito experimentar (sempre compro no Mundial)!

VINHOS2

Antano Crianza: Espanhol de Rioja, saboroso, frutado, com toques de madeira e defumado, vinho com ótimo custoxbenefício. Bem coringa, harmoniza bem com carnes vermelhas e molhos fortes.

Milcampos Tempranillo: Espanhol de Ribera del Duero, encorpado e com deliciosas notas tostadas. Também é um ótimo custoxbenefício e harmoniza muito bem para churrasco. Daqueles pra ter sempre em casa.

Stellenzicht Pinotage: Nome complicado, mas vinho muito fácil de gostar! Sul africano que representa bem a uva mais conhecida da região. Frutado, levemente doce, com muitas ameixas maduras e toques de café. Harmoniza bem com carne e agrada diversos tipos de paladares, especialmente o feminino (por ser levemente doce, é fácil de tomar).

Trivento Golden Reserve Malbec: Vinho denso, suculento e bem encorpado! Com muitos aromas de geléias, frutas negras e chocolate, vai agradar quem gosta de um “pancadão”, pra dar onda rápido (brinks)! Um malbec clássico, com tudo que tem direito e que todos precisam experimentar!

Erasmo Reserva: Chileno com corte de bordeaux. Muito complexo, com ótimos aromas de couro, especiarias e tabaco. Para os entendidos, é um vinho com excelente pontuação pela crítica e com uma forte pegada européia. Bom presente para surpreender entendidos e ótimo para novatos que querem avançar no conhecimento. Por ser muito fechado/intenso, vale usar decanter ou abrir horas antes de beber.

Chatau Caronne: Bordeaux clássico para quem quer ingressar na região mais prestigiada e famosa do mundo! Vinho intenso, elegante e com aroma frutas negras. Ótimo presente que representa bem a elegância de Medoc, uma das minhas regiões favoritas!

Blog por Tiago Cabaço: Português moderno e um dos meus vinhos favoritos (e não é porque se chama blog hehe mas, confesso, o nome me seduziu!). Bem encorpado, com explosão de frutas maduras, mentolado e um frescor maravilhoso. Ótimo potencial gastronômico e harmoniza bem com pratos de sabor mais acentuado.

Rocca delle Macie Chianti Clássico Riserva:  Esse italiano é uma jóia da Toscana, tipo de vinho que encanta os mais exigentes, ótimo para surpreender um entendendor! Elegante, complexo e bem estruturado, um vinhaço, vale cada centavo, excelente presente!

c1c55fabf51b2b56a9248c86b6dd9e9e

Agora pra finalizar, vocês sabem que sempre indico lojas especializadas de vinho como a melhor opção, pois tem bom armazenamento, o que garante a qualidade do vinho (sério, já comprei vinho em mercado que não deu pra beber um gole justamente por essas questões de conservação). Sempre compro na Cavist, que tem na Barra, Ipanema e Leblon, lá é ótimo que é loja+Restaurante.

Também compro sempre na World Wine do Fashion Mall e Grand Cru, essas duas tem no Brasil todo! Também compro na Lidador, Candy e Cadeg. Em mercados, encontro boas promoções no Mundial e Pão de Açucar, mas vale ver a tal questão da conservação nessas grandes redes.

Gostaram das minhas dicas! Se alguém tiver uma boa sugestão ou achado etílico, compartilha por aqui!