Malbec, a uva preferida dos brasileiros

17/04/2018  •  Por Rodrigo  •  Vinho

Se me perguntarem qual é a uva preferida dos brasileiros, acho que a resposta sairia de bate pronto, Malbec. Sucesso absoluto por aqui, a cepa ganhou o mundo na última década e consolidou a Argentina no mercado internacional. Oriunda da região de Cahors, no sul da França, a Malbec encontrou nos solos hermanos, o terroir perfeito para a sua máxima expressão. Não é à toa que muita gente acredita que a uva seja argentina.

Mais do que isso, a Malbec foi a responsável por dar identidade ao estilo de vinho do país. Não existe no mundo uma relação tão próxima entre país e casta, como há entre a Argentina e a Malbec, que se tornou símbolo nacional a ponto de criarem o Dia Internacional da Malbec, que por acaso é hoje!

A aceitação dos Malbecs argentinos (principalmente nos EUA) foi tão grande que outras regiões produtoras começaram a investir na uva. Além do Brasil e do Chile, que já é conhecido pela qualidade do seu Malbec; a Califórnia acertou a mão com ela; e até a Austrália tem se aventurado com sucesso.

Mas por que tanta gente gosta da uva? Claro que cada país tem um estilo próprio de Malbec, mas quando se trata da Argentina, não tem como não se apaixonar. Dos suculentos Malbecs de Luján de Cuyo, passando pelos frescos e elegantes do Vale do Uco, os potentes vinhos de Salta, até os perfumados rótulos da Patagônia, a Argentina produz Malbecs de características distintas em todas as suas regiões.

É o tipo de vinho que eu indico tranquilamente até para quem tem uma certa resistência em gostar da bebida. Mas o que esses vinhos têm de tão especial para encantar dos iniciantes aos mais experientes? Certamente o seu estilo moderno, frutado e fácil de gostar, autênticos exemplares do novo mundo.

Quem está começando vai se identificar de cara com os aromas de frutas maduras, sabor de compota e a maciez dos taninos, que diferentemente de outras castas, como a Cabernet, não dão aquela secura na boca. Já os mais entendidos adoram a complexidade, concentração e estilo gastronômico que os bons Malbecs apresentam. E por falar em gastronômico, a harmonização é bem fácil, pois a uva se dá muito bem com vários tipos de comida. Desde churrasco, como uma bela parrilla argentina, alta gastronomia e até uma pizza descontraída.

VINHO MALBEC

Então, aproveitando a data de hoje, fiz uma seleção de Malbecs argentinos perfeitos para você não viver mais sem! E se você ainda acha que vinho não é a sua praia, pode dar uma chance para essa uva!

La Flor de Pulenta Malbec 2017 – Super floral, com aromas de violeta, especiarias, morango e um toque de baunilha. Na boca tem muito frescor, taninos bem suaves, corpo macio e um final frutado. Ótimo para carnes vermelhas. De R$79,90 por R$67,91.

Cobos Felino Malbec 2016 – Mais autêntico ao estilo, impossível! Se quiser degustar um pedaço da Argentina, vai nele. Lembro que na primeira vez que a Thereza provou, já sacou de cara que se tratava de um Malbec sem nem olhar o rótulo. Super frutado, aromático, no nariz parece uma geléia de amoras, cerejas maduras, cravo da Índia e leve caramelo. Na boca tem médio corpo, taninos doces e sabor de compota de frutas negras, chocolate e figo seco. Vinho suculento! Mesmo tendo toda essa concentração de frutas, ainda conta com boa mineralidade para manter o frescor no final de cada gole. Perfeito para churrasco, carnes nobres, queijos fortes, e até sozinho. Não tem que não goste. De R$99,90 por R$84,91

Escorihuela Gascón Malbec 2016 – Outro grande representante do estilo! Perfumado e aromático já surpreende com suas notas florais, de ameixa madura, blueberry, leve mentolado e pimenta do reino. Super elegante, com boa concentração e ótima acidez para harmonizar com pratos bem estruturados, massas com molhos fortes e carnes vermelhas. De R$99,90 por R$84,91

MALBEC-VINHO

Espero que tenham gostado das dicas. Sem dúvida Malbec é o tipo de vinho muito fácil de agradar. Qualquer dúvida, é só deixar um comentário.

 

 

 

Como acertar na hora de harmonizar queijos e vinhos

10/04/2018  •  Por Rodrigo  •  Gastronomia, Vinho

Chegamos no outono! Época perfeita para se tomar bons vinhos num clima mais fresco e agradável. E qual harmonização mais clássica para brindarmos a estação? Queijos e vinhos, naturalmente. Essa dupla que é sucesso em diversas ocasiões, pode fazer com que uma simples degustação se transforme num momento especial. Aqui em casa, sempre que tomamos vinho, o queijo está presente, já nos restaurantes, muitas vezes ele substitui a sobremesa (lá fora isso é mais que normal) e até como prato principal, uma tábua com queijos variados é uma escolha certeira (e favorito da Thereza que prefere “petiscar”).

Agora, quando se trata de receber amigos em casa, não há combinação mais democrática e prática, afinal quer coisa fácil do que promover uma noite harmonizada sem ter que ficar na cozinha? E qual seria a harmonização perfeita? Aquela na qual o sabor de um não se sobreponha ao do outro, ao passo que ambos tenham suas melhores nuances destacadas e suas características mais fortes suavizadas. Em alguns casos, quando o queijo não é o par ideal para o vinho, o sabor final fica comprometido.

Por exemplo, um queijo muito salgado com um tinto muito seco, pode resultar num gosto um tanto amargo, assim como um vinho potente e tânico certamente vai “matar” o sabor de um queijo suave. Para isso, temos algumas regrinhas simples para esse casamento dar certo! Por isso selecionei pra vocês vinhos para harmonizar com os queijos mais tradicionais e fáceis de encontrar por aqui.

HARMONIZAR QUEIJOS E VINHOS

Muçarela de Búfala: Da família dos queijos frescos, tem um sabor suave e é muito comum em entradas e burratas. Precisa de um vinho fresco e delicado.

Adega Guimarães Vinho Verde DOC – Já falei desse delicioso vinho verde na semana passada, mas não poderia deixar de indicar de novo para essa harmonização. Com muito frescor e uma leve efervescência, ainda tem um sabor frutado de maracujá e boa acidez para harmonizar com a muçarela de búfala. R$59.

Brie e Camembert: Super tradicionais nas tábuas, esses queijos de mofo branco e textura cremosa vão muito bem com brancos frutados e com boa acidez para ressaltar sua untuosidade e sabor.

Round Hill Chardonnay 2015 – Belo Chardonnay da California! Tem um frutado gostoso de maçã verde no nariz e sabor cítrico lembrando abacaxi e frutas amarelas. Levemente amanteigado, com boa mineralidade e um final refrescante. O Brie agradece! R$79,90.

Gouda e Emmental: De textura firme e sabor marcante e amendoado, pedem por um tinto frutado e de médio corpo para harmonizar com seu leve adocicado.

Tarima 2015 – Delicioso tinto espanhol da região de Alicante. Vinho orgânico com grande complexidade de aromas, como framboesas, cerejas, pimenta do reino, baunilha e alcaçuz. Na boca é redondo, com taninos macios e doces e um final persistente, amadeirado e com uma discreta nota de tamarindo. Nada melhor para um bom queijo Gouda. R$79,90.

Grana Padano: Esse não falta aqui em casa! Sua textura granulada e seu sabor forte fazem deste queijo um dos mais procurados para degustações. Um tinto de boa estrutura vai se beneficiar com essa harmonização, pois terá seus taninos amaciados pela gordura do queijo.

Leyda Single Vineyard Carmenere 2014 – Chileno de respeito! Muito maduro e cheio de aromas de frutas negras, compota de ameixa, de cassis, além de especiarias como pimenta do reino e ervas frescas. Na boca é intenso, com taninos finos e um longo final de café e chocolate. De R$109 por R$87,20. Vinhaço!

Gorgonzola: Não tem quem não se derreta por esse queijo que é normalmente servido no final das refeições para acompanhar aquele vinho do Porto. De sabor intenso, salgado e picante ficou associado aos vinhos doces e de sobremesa, mas  para a nossa harmonização, a melhor opção é a combinação por contraste. Um vinho branco aromático com boa acidez para “quebrar” a gordura do queijo e um leve dulçor para se opor ao salgado vai elevar a degustação a um outro patamar!

Leyda Single Vineyard Riesling 2013 – Fantástico branco produzido por uma das uvas mais aromáticas. Super floral, mineral e perfumado, tem aromas cítricos, de lichia, abacaxi e limão siciliano. Tem uma doçura natural e muito frescor para “domar” toda pungência do Gorgonzola. De R$109 por R$87,20.

HARMONIZAR QUEIJOS E VINHOS

E se eu tiver mais de um queijo e quiser um único vinho? Dúvida mais do que justa! Minha dica é optar por um vinho intermediário entre potência e frescor. O Tarima, por exemplo, tem um frutado e mineralidade para os queijos mais delicados, assim como estrutura e taninos para os queijos mais fortes.

Espero que tenham gostado das dicas. Harmonizar queijos e vinhos é muito interessante e faz toda a diferença no sabor de ambos. Todos os vinhos podem ser encontrados nos links online, mas também nas lojas da Grand Cru. Se tiverem alguma dúvida, é só deixar um comentário.

Vinhos para a Páscoa: conheça 4 rótulos e muitas formar de harmonizar!

19/03/2018  •  Por Rodrigo  •  Vinho

Uma das dúvidas que mais chega por aqui é sobre harmonização. Qual o melhor vinho para determinado prato? O que combina com o que? Branco ou tinto? Leve ou encorpado? São muitas perguntas que podem surgir e, como estamos perto da páscoa, nada melhor do que uma seleção caprichada de vinhos especiais para harmonizar com receitas tradicionais.

E qual é o prato mais tradicional da Páscoa? Certamente, o bacalhau. O queridinho dos brasileiros não só na Semana Santa, como no ano todo, é naturalmente associado ao vinho tinto, contudo é importante lembrar que existem receitas variadas de bacalhau que podem ser perfeitas para brancos, rosés e até espumantes. Então,  vamos às dicas de vinhos para incrementar a nossa Páscoa e o resto do ano também.

Adega Guimarães Vinho Verde DOC – Como eu sei que por aqui tem muita gente que ama vinho verde, não poderia deixar de começar com esse vinho mais que especial. Super delicado, com baixo teor alcoólico e repleto de aromas cítricos, lembrando maracujá e limão siciliano. Na boca é levemente frisante, com acidez na medida para trazer muito frescor e com uma cremosidade que se destaca da maioria dos vinhos verdes disponíveis no mercado.

Companhia perfeita para peixes grelhados e pratos variados de bacalhau como o Bacalhau a Lagareiro e até o tradicional bolinho. Refrescante e ótimo digestivo! Apenas R$59 por esse vinho que entrega muito mais do que o preço. Quem já gosta e quem quer experimentar um bom vinho verde, pode ir sem medo!

Van Zellers Alentejo 2014 – Belíssimo português do Alentejo, região que é sucesso aqui em casa. De estilo moderno e fácil de agradar, esse vinho tem a tradicional pegada alentejana com aromas de ameixa madura, cassis, especiarias e um toque floral. Tem corpo médio, boa acidez, taninos sedosos e um final persistente e levemente apimentado.

Super versátil para harmonizar, desde peixes mais untuosos, como Confit de Bacalhau até um cordeiro ao molho de ervas. R$64 para você se apaixonar também pelo Alentejo!

San Marzano Il Pumo Primitivo Salento 2016 – Taí um vinhaço italiano para encantar iniciantes e conhecedores. Produzido na ensolarada Puglia, mais especificamente no “salto da bota”. Quem está começando no mundo dos vinhos vai se identificar, pois ele apresenta um dulçor natural da uva primitivo, ao passo que os mais experientes vão se surpreender com sua complexidade de sabores.

No nariz você nota de cara as frutas negras em compota, geléia de cereja, canela, chocolate e café. Mas é na boca que o vinho se mostra suculento, com taninos super macios, acidez leve e um final de boca frutado e amendoado. A melhor descrição foi a da Thereza, que foi enfática ao afirmar que o vinho lembrava a calda que fica em em cima do cheesecake. Muito bom para ser degustado com vários pratos de típicos e pra quem não abre mão de ovo de Páscoa, o San Marzano vai muito bem com chocolate. Ótimo preço, R$69.

Churchill’s Estate Branco 2016 – Se na sua casa é tradição de Páscoa aquele bacalhau ao forno com batatas e caprichado no azeite, esse português do Douro vai ser a estrela. Muito fresco, com ótima mineralidade e aromas florais, de frutas brancas, maçã verde, abacaxi e um leve toque de baunilha. Um clássico da região mais prestigiada de Portugal, que vai fazer bonito na mesa. Muito bom pra quem gosta de vinhos jovens e vibrantes e também boa sugestão pra presentear na data!  R$89.

Então, espero que tenham gostado das dicas. São vinhos realmente diferenciados, de estilo gastronômico e perfeitos para agradar paladares diversos em várias ocasiões. Todos os rótulos são exclusivos da Grand Cru, importadora com  lojas físicas em todo Brasil (eles foram os responsáveis do espumante do #melhorgrupoday).

Pra você que quer comprar direto da prateleira, aqui tem o link de todas as lojas. Se tiverem alguma dúvida sobre algum vinho ou harmonização, é só deixar um comentário.

Página 1 de 2012345Última »