A Década Kardashian!

16/08/2017  •  Por Thereza  •  Celebridades, tv

Dizem que a cultura pop das celebridades morreu em 2009. Mas, se desde então não ouvimos mais falar tanto de Lindsay, Paris & Nicole, nessa mesma época começou a desabrochar uma nova geração de mulheres que rendiam capa, menos pelo fator loka-na-balada, mais pela simples existência na nova era selfie/digital.

Fez-se as Kardashians! Esse ano o reality Keeping Up With the Kardashians comemora 10 anos de existência e as mulheres da família foram capa da prestigiada revista The Hollywood Reporter e nada de dicas de produtos, maquiagem ou relacionamento, o papo foi business e de como a família transformou esse universo digital de marketing, selfie, girl power e empreendedorismo.

De personagens de um reality show num canal a cabo (eles também gostam de chamar de docusérie) a produtoras de uma megafranchise que é transmitida em 167 países, reúne 9 spinoffs (Take Nova York, Miami, Khloé e Lamar e até o mais recente, Life of Kylie), sem contar as empresas de moda, beleza, apps e as inúmeras parcerias com outras marcas. Trouxe uns highlights da matéria pra cá!

DE QUEM FOI A IDEIA

A polêmica começa por aí. Recentemente, em seu livro, Caitlyn Jenner disse que a ideia foi dela, “A casa está inundada na puberdade, repleta de jovens e com dois pais com estilos muito diferentes. Parece-me que há algo para a televisão”, versão que Kris obviamente rejeita. Ela fala “talvez alguém devesse lembrá-la de que o programa se chama Keeping Up With the Kardashians”.

Oficialmente a ideia foi de Ryan Seacrest, ao ver o sucesso de Os Osbourne, ele buscou uma família até então não muito conhecida e, entre amigos em comuns, chegou na K-Family. A ideia original ia girar entre as 3 irmãs cuidando da loja Dash, mas logo se tornou um programa pra falar do dia-a-dia de todos.

O QUE FEZ OS PRODUTORES SE ENCANTAREM?

No auge do frenesi das celebridades, muito difícil se destacar entre o meltdown da Britney, as polêmicas de Lindsay e o frenesi de Brangelina. Sabe o que encantou os produtores e fez o programa sair do papel?

Kimberly Noel Kardashian.

Ela estava aparecendo um pouco como amiga da Paris, tinha o lance da sextape… e o que os produtores viram, “Ela tinha um visual que não era comum na tv. Ela não era super magra, era real, e isso poderia inspirar.” Viu como, mesmo sendo obviamente magra, houve de fato uma quebra de padrão e isso mudou com o tempo? Da loirinha herdeira Paris Hilton à morena ~exótica armênia desconhecida Kim Kardashian, foi bem por aí.

O MOTE DO PROGRAMA

Segundo Seacrest, “Vai ter brilho e glamour, mas vai ter honestidade e vulnerabilidade. Não serão apenas lindas imagens, teremos momentos reais e vulneráveis” E Kris acrescenta “Se formos participar disso, estaremos todas entregues, será um reality sobre a nossa realidade de fato”.

E às vésperas de lançar, surgiram as primeiras ideias de nome:  “Kardashians: Krazy with a K”, “Living Kardashian”, “Krazy Kardashians”. O nome oficial veio por acaso, de tanto que a equipe estava… “Keeping Up With The Kardashians”, fez-se a franquia.

AGRADEÇA AO TWITTER

Pense 2007, quais redes sociais existiam? Certeza que a família não estava no Orkut, mas foi o famigerado Twitter (que muita gente acha que morreu, mas segue vivíssimo e poderosíssimo, me segue) que espalhou a palavra Kardashian e trouxe o lado mais vida real à família.

Ryan então sugeriu que as meninas entrassem na rede social do passarinho pra estender o impacto que o programava causava na “2a tela” e que elas também compartilhassem um pouco mais de suas vidas de forma rápida, sem filtro e autêntica. E lá mesmo foi o termômetro que mostrou o surgimento do fenômeno. É bem engraçado pegar tweets antigos – à la Neymar – da Kim e cia.

F-A-M-Í-L-I-A

A entrevista seguiu entre as irmãs, Kris, Ryan e os produtores e algo em comum é notório: o senso de família unida. O que eu, particularmente, acho incrível nelas é essa união e força que elas passam umas as outras. É claro que o programa é editado, tem roteiros e narrativas, mas a gente sente que há amor e apoio entre eles, até mesmo com os agregados (vide o relacionamento com o Scott e o apoio dado ao Lamar).

E eles atribuem muito da longevidade do programa a esse fator, pois no final das contas, entre altos e baixos, é uma família contando história, seja com muito glamour ou invenção de moda, no final das contas eles são família e com tantas cifras e egos envolvidos, eles seguem forte.

E além do recheio, fotos lindíssimas das irmãs nessa cartela crua e exposta, comc erteza tem um significado por trás disso. Adorei saber esse lado b do programa e como elas se reinventaram e, de fato, trouxeram um novo comportamento à industria das celebridades. Seja selfie, nudez e publipost, impossível falar dessa última década digital sem traçar um paralelo com a família Kardashian, isso é mérito puro.

 

 

 

Ronda da Semana #33

30/06/2017  •  Por Thereza  •  RDS

Semaninha agitada e cá estamos de volta com mais uma edição trepidante da nossa Ronda da Semana eclética e com assuntos variados, vem comigo!


Cara Delevingne na Glamour

Foi-se o tempo que Cara Delevingne saía em capas de revistas por razões ~modelísticas, a outrora modelo tem focado cada vez mais na sua função atriz e acabou de sair na capa e recheio da Glamour americana e o mais legal é a matéria com Cara cada vez mais engajada. Ela conta que se aproximou do feminismo pois sabe da importância do assunto especialmente por ter fãs muito novas, mas ela vai além e no próximo mês lança um documentário sobre “girl power” em parceria com a Puma e também está trabalhando com a ONU na campanha da Fundação Girl Up.

Na entrevista ela ainda fala sobre as questões a respeito de sua sexualidade, “Eu não sou gay, gosto de me definir como gênero fluído e tenho ficado feliz por cada vez mais poder falar abertamente sobre o tema e inspirar jovens que até então não tinha noção a respeito”

Blair e Seth da vida real
Na quarta postei no Instagram uma raridade: foto oficial de Leighton Meester e Adam Brody num evento de caridade Los Angeles. E o casal super reservado foi além e falou abertamente de Blair e Seth.

Ao ser perguntado se ele acha engraçado o encontro real de 2 personagens ícones da tv, Adam  fez graça “Uma vez por ano, aleatoriamente, no nosso Dia Oficial de Seth & Blair” e Leighton ainda acrescentou “Não ficamos empolgados, somos apenas seres humanos, mas se deixa nossos fãs felizes, nos deixa feliz também!”. Um dia, num futuro distante na Netflix, veremos um seriado/reality de Blair e Seth na vida real desse universo paralelo.

Jenners x Hip-Hop

Quem diria, as duas meninas do pop que namoram os caras do rap não tiveram a mínima noção sobre o assunto… ou seria tudo planejado? Essa foi mais uma semana de mais um close errado na vida das Kardajenners e dessa vez até a mais pacata delas entrou no meio. Kendall e Kylie lançaram camisetas “vintage” com estampa que mistura artistas de hip-hop, como Tupac e Notorious B.I.G. e artirtas de rock, com… a cara delas! As camisetas custam U$125 e a confusão generalizada não teve preço.

Lógico que todo mundo na internet torceu o nariz pra iniciativa das irmãs, integrantes das famílias envolvidas vieram a público reclamar – e possivelmente processar, daí eis que depois de muita confusão elas soltam um comunicado assumindo o erro, pedindo desculpa, falando que irão refletir e tirando as camisetas do ar. Se elas não tiveram noção ou não, eu não sei, mas o que eu aprendi é que a cultura negra não pode ser usada dessa forma e as irmãs já tem extrapolado no quesito vergonha alheia.

Bom final de semana!

Ronda da Semana #32

09/06/2017  •  Por Thereza  •  Celebridades, Moda, Música

Preparadas para mais um final de semana? Mais uma Ronda da Semana? Então vem que hoje tem, fiz um apanhado dos destaques da semana que talvez vocês não tenham visto, partiu!

AS POLÊMICAS DA KYLIE

Vai mais uma polêmica Kardajenner aí?! Dessa vez o alvo é a Kylie Jenner. A kaçula lançou essa semana mais uma leva da sua merch, com outdoor em Los Angeles e tudo e duas coisas aconteceram. Uma, a marca indie, PluggedNYC, está acusando de plágio por conta dos biquinis camuflados similares. Pois é, eles tão dizendo que esse “tipo” de camuflado foi criado por eles.

Outra, muita gente não tá perdoando e falando que Kylie copiou os mesmos looks camuflados das Destiny’s Child no clipe Survivor e dizendo que isso é apropriação cultural. Se é ou não eu, quem sou eu pra dizer, mas taí uma pessoa pra atrair tretas!

HEIDI EXPOSED

Essa semana postei no meu Insta (já me segue por lá?) um vídeo da Heidi Klum toda serelepe pelas ruas de Nova York gravando as chamadas da nova temporada de seu reality, Project Runway! E junto a isso ela está divulgando seu novo livro, um coffee table de fotos da nossa eterna musa VS Angel artisticamente pelada, achei mara!

NET-A-PORTER NO FUR

Que cada vez mais as marcas estão consciente, isso não há dúvidas, ok que muitas delas acabam mudando seu posicionamento mais em busca do marketing, do que de princípios, mas sabe o que fica? Que as coisas estão mudando de fato e ponto pro planeta.

Essa semana foi noticiado que a Net-a-Porter, e-commerce gigante de moda não venderia mais pele de animal em seu site e sabe o que isso significa? Muita coisa. Um passo como esse é pra deixar as marcas que fazem isso mais envegonhadas ainda.

TLC IS (WAY) BACK!!

O verão gringo é um período repleto de lançamentos musicais bombásticos! Só essa semana tivemos estreia de Fifth Harmony, Little Mix, Justin Bieber, Katy Perry e até a danada da Taylor Swift deu o ar de sua sumida graça, mas sabe o lançamento que mais chamou minha atenção? TLC!

Se você tem mais de 30, invariavelmente viveu a incrível geração de No Scrubs, Waterfalls e Unpretty e agora elas voltam com uma nova música em parceria com Snoop Dogg! Way Back é incrível, a mesma pegada, o mesmo som, até o clipe tem a vibe 1999! Eu já amei, porque adoro e venero o hip-hop dos anos 90.

Bom fim de semana!