Ed Westwick é acusado de estupro.

07/11/2017  •  Por Thereza  •  Celebridades, Pense

Foram dezenas de posts sobre Gossip Girl aqui no Fashionismo. Dos looks das personagens aos saudosos lives, também tinham os posts únicos e exclusivamente dedicados ao personagem Chuck Bass. Geralmente era uma foto e uma frase e só. Esses posts bombavam, eram centenas (sem exagero) de comentários para uma simples foto. O personagem era um ídolo de uma geração.

Já o ator Ed Westwick, nem tanto. Agora mais do que nunca. Ele sempre foi muito blasé, dava umas entrevistas sem graça, mas a gente projetava o icônico – e muito problemático, diga-se de passagem –  personagem nele.  Mas hoje saiu uma notícia que eu precisava compartilhar, se por anos exaltamos, que sejamos as primeiras a rejeitá-lo, criticá-lo e, o mais importante, fazer barulho para essa situação não passar impune.

Em meio a todo esse Efeito Harvey Weinsten (o produtor de cinema que vem sendo denunciado por assédio por dezenas de atrizes), muitas mulheres tem tido força e compartilhado suas histórias de abuso sexual. E hoje foi a vez do ator, a atriz Kristina Cohen fez um relato emocionante e acusando-o de estupro há 3 anos, na casa dele. Ela contou que estava lá com seu namorado, amigo de Ed, e depois de um pedido de sexo a três pelo ator, declinado por ela, Kristina estava cansada e acabou cochilando no quarto de hóspedes e eis que desperta com…

“Ed em cima de mim e seus dedos entrando em meu corpo. Eu disse a ele para parar, mas ele era forte. Eu lutei contra ele o máximo que pude, mas ele agarrou meu rosto com as mãos, me sacudiu e disse que queria me foder. Fiquei paralisada, aterrorizada. Eu não conseguia falar nem me mover. Ele me segurou e me estuprou.”

O relato completo é triste, doloroso e muito real, você pode ler completo aqui. Homens poderosos, com boa rede de relacionamento e que são mais fortes – não só fisicamente – que qualquer mulher vítima.

🙏🏼

Uma publicação compartilhada por Kristina Cohen (@kristinamariecohen) em

Agora junto a isso já li comentários questionando “e se não for verdade”, “ela nem é tão famosa assim, isso deve ser mentira” e por aí vai. O machismo de preferir acreditar no estuprador do que na vítima e isso acontece tanto. Logo, finalizo o post com o comentário muito importante que li no Grupo do Fashionismo de uma leitora que trabalha com essa questão do acolhimento no quesito saúde mental das mulheres que passam por isso.

“Primeiro, a gente sempre parte da ideia que a denúncia/relato é verídico. Por quê? Porque o custo emocional de fazer esse tipo de relato é absurdamente alto. Tem um milhão de variáveis envolvidas. Primeiro, o peso emocional de reviver momentos traumáticos. Segundo, vivemos num contexto em que SEMPRE vai ter alguém duvidando, questionando, achando estranho, culpabilizando a vítima, perguntando pq ela não fez nada pra se defender, pq ela se colocou numa situação x, y z… Como resultado disso, a pessoa, além de ter que lidar com a dificuldade de reviver o passado pra contar o que aconteceu, já faz o relato com o peso/medo/ansiedade de saber que vai vir uma porção de aversivos e punições muito intensas logo depois que ela abrir a boca. Essa tensão prévia ao relato faz as pessoas demorarem mais tempo pra conseguir denunciar, ou mesmo desistir.

Terceiro, fazer um BO pra esse tipo de delito é mais que um parto, sério. As equipes em delegacias em geral não tem um bom preparo pra acolher uma pessoa na situação de alguém que acabou de ser abusada. Todas as coisas sobre “consequências do relato” que eu falei antes acontecem, em geral, também no momento do BO. Fazer a denúncia envolve exames, questionamentos e todo um processo extremamente desgastante. No caso da Kristina, tem relações de poder e exposição de imagem que agravam muito a situação.

Esse cara tem fãs que agravariam a questão dos questionamentos e retaliações pela denúncia. Esse cara tem dinheiro, é famoso. Esse cara é um homem. Por último, existe relato falso? Existe. Um a cada tipo mil. Então se não for considerar as variáveis psicológicas, vamos considerar a matemática probabilística.”

Dito tudo isso, que ele seja punido e que da nossa parte a gente compartilhe esse caso pra fazer muito barulho, boicote  unfollow (eu só não tiro o rodapé agora porque eu não sei de programação, mas vai sair logo) e que isso não fique impune. xoxo

 

Ronda da Semana: Mais capas, modelo da década e o retorno de Gossip Girl e Diabo Veste Prada!

01/09/2017  •  Por Thereza  •  RDS

Saudades de uma Ronda da Semana? Cá estamos com um apanhado especial do que rolou essa semana no mundo da moda. Sei que foi semana de SPFW, mas foco nos tópicos de sexta!

CAPAS MADE IN BRASIL

Essa semana falamos aqui da Bella Hadid e e suas múltiplas capas de Vogue no mês só, mas o que se comenta é que faltou nas “september issues” do mundo: representatividade. Mulheres negras, gordas, de diferentes etnias, mas o Brasil chegou pra variar e ser um sopro de esperança. Tá na moda abordar essas pautas, mas mais que moda, precisa ser fato consumado.

Olha 3 capas do mês que valem o prestígio aka compra! Alicia Keys deusa na capa da Elle, Taís Araújo, forte, linda e nua na Women’s Health, e ainda Tatá Werneck na capa da Claudia revelando que “meu nariz era barrado em capa de revista”.

Se a Tatá não saia, imagina tantas outras mulheres incríveis e ainda fora do tal padrão. Ainda bem que isso está mudando aos poucos, mas precisamos de mais urgência.

NOVIDADES SOBRE GOSSIP GIRL

Saudades de Gossip Girl? A Vanity Fair publicou uma matéria IMPERDÍVEL que revela segredos dos bastidores da série que a gente ama, 10 anos depois do lançamento. Da possibilidade de uma continuação (oi, Netflix), da suposta rivalidade de Blake e Leighton, segredos dos looks e outras deliciosas revelações, a Elle fez um resumo bem legal aqui e no site da VF você lê a matéria completa.

DIABA, MAS NEM TANTO(??)

Já que o assunto está 10 anos atrás, que tal relembrar O Diabo Veste Prada? Bom, foi isso que fez um funcionário do Buzzfeed que resgatou uma cena deletada do filme e que hipoteticamente muda toda ~essência do filme e mostra uma Miranda mais sensível e… grata à Andy!

Na cena acima a assistente salva a chefe de um constrangimento e ela solta um surpreendente “obrigada”. O trecho ainda mostra uma personagem mais vulnerável e que passa poucas e boas com o marido. O que acharam dessa faceta mais humana de Miranda Priestly?

A DÉCADA DA KENDALL (???)

O The Daily Front Row é uma prestigiada publicação de moda e na próxima semana, durante a New York Fashion Week, fará uma festa para premiar os melhores da moda, segundo eles. Bom, e, segundo eles, Kendall Jenner, receberá o prêmio de “Ícone fashion da década”. Se a década tem 10 anos e Kendall, 21, aparentemente, segundo eles, ela vem causando com looks incríveis e excelentíssimo trabalho fashion desde os 11 anos quando aparecia no Keeping Up With The Kardashian com seus lookinhos O Bicho Comeu (gringo rsrs).

Olha, eu consigo pensar em dúzias de outros nomes pra públicação, até mesmo sua irmã, Kimberly, prestou mais serviço à moda que a Kendall. Apesar de muitissísimo estilosa, a sister não é desse ano, quiça década. E pra vocês, qual mulher merecia esse prêmio? Me contem!

 

Leighton Meester, linda como você nunca viu!

01/08/2017  •  Por Thereza  •  Gossip Girl

É, parece que a era Gossip Girl volta pra todo mundo! Depois de ver aqui uma Blake Lively politizada, hoje é dia de contemplar uma Leighton Meester gata e plena, a definição da plenitude!

Enquanto a loira saiu na capa da mainstream Glamour, a morena é editorial da indie, Ladygunn, uma revista que foca em novos talentos, seja do conteúdo, quanto moda, ou seja, essa vibe hipster que é a cara da Leighton.

Além do vídeo acima, na matéria, ela falou muito do seu finado seriado, Making History, mas vamos focar no editorial? Nunca vi Leighton tão gata, tão madura, mulherão, livre, sei lá, ela tá diferente e linda, vamos pra chuva de cliques, vem comigo!

Continue Lendo >>

Página 1 de 3012345Última »