Este é o secador de cabelo mais estranho que você já viu em toda sua vida

02/08/2018  •  Por Thereza  •  Cabelos

Quando o assunto é INVENÇÃO DE MODA, a indústria de beleza tem superado a da moda e criado umas coisas bem loucas! E se o foco é no cabelo, as marcas sempre buscam surpreender na nobre tentativa na hora de ajudar a gente a fazer aquela secada mais rápida e menos destrutiva aos fios.

A mais recente – e impressionante – é o secador Dyson (já falamos dele nesse post aqui), um modelo super sônico e que em pouco tempo se tornou queridinho de cabeleireiros e de quem gosta de uma bela escova. Em seu diferencial, está a leveza e silêncio do aparelho. Agora se o Dyson é compacto e tem um design super moderno? Veja essa nova geringonça que promete ser A revolução no assunto!

REVAIR! Conheci através da revista Allure e fiquei impressionada. Parece um aspirador de pó, não é, mas tem uma proposta similar. “A tecnologia patenteada de inversão de ar envolve o cabelo, secando-o simultaneamente da raiz às pontas.
A tensão automática alisa sem esforço o cabelo, alinhando os fios e alisando as cutículas, proporcionando um acabamento brilhante e sem frizz.” Sua tecnologia não consiste em apenas “alisar o cabelo”, mas sim TIRAR a água que tem nele através do ar reverso.

Os benefícios do aparelho? Por não ter o ar muito quente, ele causa menos dano ao fio, mas o principal é no quesito praticidade, “se uma escova leva aproximadamente 35 minutos e uma chapinha 25 minutos, com o RevAir, seu cabelo fica seco e pronto em até 12 MINUTOS”.

O produto funciona em todo e qualquer tipo de cabelo e foi lançando recentemente. No site ele é vendido por U$399 (ouch!) e já li algumas resenhas positivas. A contar pelo tamanho do aparelho, não sei se teria em casa, mas se tiver em algum salão, até me arrisco a enfiar meu cabelo num aspirador capilar!

 

Ser velho está na moda

01/08/2018  •  Por Thereza  •  Pense

Eu tenho um “mantra” que gosto muito de espalhar por aí e pretendo levar até o último dia de minha vida – e espero que esse dia seja daqui uns 70 anos rsrs: nossa ambição deveria ser > ficar velho <. Velho deveria ser elogio, coisa boa, status!

Seu velho {Leia com entonação elogiosa}!

Afinal, vivemos para que? Para envelhecer. Envelhecer bem, com saúde, com história, ok alguns creminhos, mas simplesmente envelhecer, botar a maior quantidade de vela no bolo, riscar muitas folhas de calendário. Pense nisso e leverá a vida de uma forma diferente.

Infelizmente nos esquecem disso e vivemos querendo parecer mais jovens, só que cada vez mais velhos (ok, ainda bem). Isso até me lembrou um post que fiz ano passado – e provavelmente foi meu favorito do anosobre quando vamos querer parecer ter a idade que temos. Bom, onde eu quero chegar com essa introdução ao post? É que, com todo o respeito, “ser velho está na moda”. Sim, deveria ser um clássico atemporal, mas está na moda.

Se vivemos a era da inclusão, moda democrática, mulheres negras, gordas, baixas, enfim, gente-fora-do-tal-padrão fazendo sucesso no mundo da moda, as mulheres mais velhas estão com tudo! Ainda bem.

O mundo da moda sempre foi cruel e encerrou carreiras lá pelos 20 e alguns anos, mas as coisas tem melhorado! Parece que agora ser “mais velha” não é apenas algo cronológico, é um fato oficializado e que também tem tido seu espaço no mercado da moda.

Ano passado, capas de importantes revistas deram o tom ao “movimento”: Hellen Mirren foi capa da Allure, Lauren Hutton estrelou a Vogue Itália e Meryl Streep figurou na edição de aniversário da Vogue US. Ok, atrizes e expoentes que podem ser mais que “simples” modelos desse precioso nicho, mas sim, tem muitas mulheres acima de 60 que tem trabalhado cada vez mais exclusivamente sendo modelos.

Conhece Lyn Slater? Ela tem 64 anos, é professora e blogueira de moda. Moradora de Nova York, Lyn se intitula “ícone acidental”, sua hashtag oficial é #AgeIsNotAVariable, ou seja, idade não é uma variável, e tudo isso pois sua idéia nunca foi quebrar barreiras da idade, ela basicamente se veste sem pensar nos seus 64 anos, simples assim.

Seu instagram tem mais de 530 mil seguidores, é modelo contratada da Elite e já descolou campanhas com Mango e outras marcas.

De blogueira para modelo, conhece Maye Musk? Ela tem 70 anos, começou modelando aos 15 anos e hoje é um dos maiores nomes da área. Ela estrela várias campanhas, é embaixadora da CoverGirl, já desfilou para Dolce & Gabanna e foi capa de Elle e NYTimes.

Maye reconhece que os tempos são outros e que 5 anos atrás nada disso seria possível, mas que hoje em dia, marcas trabalharem com modelos mais velhas é mais que cota, é representatividade (e ainda vende muito!).

E onde há um ~nicho, há uma revista para isso! A Renaissance Mag é um revista feita exlusivamente por e para mulheres acima de 40 anos. Do editorial à capa de revista, a revista tem uma faixa etária bem ampla, mas busca mostar que há força e poder (e um mercado enorme!) além do universo dominante dos 20 ou 30 anos.

“Nossa, eu tenho 20 e tal e esse não é meu tipo de público”, ok, pode AINDA não ser, mas a própria Mango  revelou que ao contratar Lyn, não só trouxe um público novo de +50 para suas lojas, mas principalmente os próprios millennials não apenas se impactaram, mas se sentiram inspirados.

E é assim mesmo que eu me sinto: inspirada! Inspirada quando vejo uma mulher mais velha e confiante, bem sucedida, confortável com sua pele e corpo e ainda naturalizando a idade.

Talvez um dia a idade se torne só número e vamos querer ter declaradamente mais e mais idade.

 

A nova base da Beauty Blender é a mais diferente que você já viu!

27/07/2018  •  Por Thereza  •  Maquiagem

Você sabia que a cada minuto 17 esponjas BeautyBlender são vendidas pelo mundo? Pois é, a BB é a mais famosa – e precursora – esponjinha de maquiagem do mundo! Sério, eu já comprei genéricas e já até ganhei uma pretinha linda da Dior, mas nada supera a original! Esse é um bom exemplo no qual nenhum inspired chega perto, pelo menos na minha opinião.

Mas depois de criar a esponjinha há 15 anos, a fundadora – e maquiadora profissional – da marca, Rea Ann Silva, inventou variações de esponja, produtos de limpeza, acessórios… mas o que faltava pro império BB?

Maquiagem, claro! Nessa semana eles anunciaram a chegada da Bounce, a base da BeautyBlender! O produto é de alta cobertura, tem acabamento matte e a ideia é que não deixe a pele muito pesada, graças à sua textura mousse. Agora o que eu achei mais legal da base foi a sua embalagem sem igual!

O potinho quadrado tem o bico que sai direto pra sua superfíce para você usar já começar a aplicar com a esponjinha! Achei o máximo e super útil! A ideia é que o espaço também sirva pra misturar outros ingredientes à base, como os próprio óleos que estão super na moda ou até mesmo um hidratante de preferência pra deixar a base mais fluida.

A base começou a ser vendida ontem na Sephora e custa U$40! Agora da mesma forma que tem arrebatado muitos entusiastas de beauté, a base também vem sofrendo um certo revés. São 32 cores e apenas 7 delas são tonalidades para pele negra. Em tempos de Fenty Beauty precursora e muitas outras correndo atrás pra reparar o erro, a Bounce fica um pouco atrasada no quesito diversidade.

Segundo Rea, que tem origem latina, “metade das cores são formuladas para uma gama de tons de pele verde-oliva a escura e incluem nuances sutis que fazem um mundo de diferença na pele. Nós realmente queremos que todos encontrem seu tom perfeito, então, para garantir isso, colocamos nossos produtos em teste de forma bastante inclusiva. Temos a maioria das tonalidades que chamamos de “medium plus”, criado especificamente para pessoas de origens multiculturais, pois para elas é mais difícil de encontrar o tom certo para combinar com seu tom.”.

E vocês, gostaram da novidade, curtiram a embalagem diferenciada?!

Página 1 de 17212345Última »