3 mitos sobre shampoo (Trago verdades!)

06/11/2017  •  Por Thereza  •  Beleza, Cabelos

Se tem um slogan que pegou na nossa infância foi, “Shampoo qualquer um. Condicionador, só Monange”. E taí uma inverdade! Shampoo não pode ser qualquer um, já falamos algumas vezes não só dos malefícios de muitos ingredientes, mas até a forma e quantidade que aplicamos. Dito tudo isso, li uma matéria super legal na Allure que revela alguns mitos e a real em relação ao produto, logo, compartilho com vocês!

MITO 1: SHAMPOO SECO PODE FAZER O CABELO CAIR
A REAL: Dizem que o shampoo seco pode obstruir os folículos capilares no couro cabeludo e fazer você perder os fios, mas dermatologistas negam “Os shampoos secos usam pó, amido ou talco para absorver o óleo, e nenhum desses ingredientes afeta diretamente a capacidade dos folículos para crescer novos cabelos”, PORÉM, também não é por isso que devemos usar todo santo dia.

A dica pra evitar problemas a longo prazo? Não aplique o spray direto na raiz, levante os fios e direcione neles! Nunca tinha feito assim, agora jamais farei diferente, obrigada!

MITO 2: É MAIS SAUDÁVEL NÃO USAR SHAMPOO TODO DIA
A REAL: Shampoo de fato remove alguns dos óleos naturais do cabelo, mas o óleo não é o único problema que acomete sua raiz. Bactérias, sujeira, suor, poluição, deixar tudo isso por muito tempo no seu couro cabeludo causa irritação, coceira e até mesmo caspa. E ainda tem produtos que você usa nesse período, como spray, mousse, entre tantos outros e que também precisam ser eliminados com o tempo para não estragar o cabelo na hora da próxima lavagem.

Resumindo: shampoo é imprescindível e, diferente do que muitos falam, é permitido lavar o cabelo todo dia sim! Se seu cabelo é mais oleoso, é possível aumentar esse período para 2 ou 3 dias, nada muito além disso!

MITO 3: SHAMPOO SEM SULFATO É MELHOR PARA CABELOS PINTADOS
A REAL: Muitos dizem que sulfato não combina com tintura, mas testes recentes já afirmam ao contrário e dizem que não há nenhuma mudança significativa de perda e desbotamento de cor. Especialistas dizem que a própria água é mais capaz de abalar a cor dos fios, do que o próprio sulfato, ou seja, é bom evitar, mas não é o grande vilão da cor.

Daí a gente vê que não só shampoo tem que ser especial, mas também a forma que usamos!

Problematizando o termo anti-idade (e a capa mais bonita do ano!)

15/08/2017  •  Por Thereza  •  Beleza, Pense

Outro dia conversamos sobre a idade que temos e a pressão da sociedade em nos empurrar a juventude como objetivo de vida, quando deveria ser justamente o contário (a meta é ser velhinha, afinal, sinal que vivemos muito rs). Eis que ontem me deparei com a capa da Allure que não só nos premiou com a maravilhosa Helen Mirren, como trouxe um debate válido.

Já disse aqui várias vezes que a Allure é minha revista favorita. Ela é de beleza, mas tem moda, comportamento, pra mim é o guia da mulher antenada e interessada nesse universo, mas sem afetação ou pretensão.

E a capa de setembro – a principal edição do ano – vem pra quebrar paradigmas, afinal, quantas vezes a gente vê uma mulher de 72 anos esfregando na capa suas rugas, histórias e muita inspiração? O recheio está igualmente lindo.

E além da entrevista, na qual Helen fala da sua relação com Hollywood, feminismo e como é envelhecer sabendo tirar proveito disso, um manifesto me chamou a atenção. O fim do termo anti-idade.

Como uma revista de beleza vai deixar de falar uma palavra tão comum? Como vão parar de dar dicas de produto anti envelhecimento, muitos deles bancados por patrocinadores? A revista não vai propor que as pessoas parem de usar produtos com essa finalidade, pelo contrário, eles vão continuar indicando, falando, só sugerem a mudança da nomenclatura, simples assim.

“Queiramos, ou não, estamos sutilmente reforçando a mensagem de que o envelhecimento é uma condição e que precisamos lutar contra ele”. Né? E sigo citando a editora da Allure, Michelle Lee, “Se tem algo inevitável nessa vida, é que ficaremos velhos. Cada segundo. Cada minuto. E mais, muitos de nós não teremos a oportunidade de envelhecer. Com isso, ficar velho é algo incrível e significa que tivemos a chance, todo o dia, de viver uma vida feliz, simples assim.” Né??

Já contei pra vocês que minha nova idade me deixou um pouco mais reflexiva (ou sensível, rs)  com esse tema e essa questão, digamos existencial. Ao mesmo tempo que tenho 9 produtos de skincare na minha cabeceira que uso antes de dormir (e eu amo essa rotina), tenho pavor de agulha e nunca me arrisquei em nada mais ousado, apesar de ter vontade. Junto a tudo isso, esse tema tem me chamado muito mais atenção que 1 ano atrás.

E ver um manifesto de uma revista do porte da Allure nos faz simplesmente parar pra pensar e ao menos quebrar uma condição automática e totalmente enraizada na nossa rotina, envelhecer é ruim? Sem hipocrisia, a idade chega e surgem problemas, é natural, mas é importante rever conceitos e até estigmas que só trazem mais peso pra nossa luta diária de aceitação.

E a revista segue falando sobre o peso da tal da ANTI-IDADE, junto a ela vem expressões que deveriam ser banidas ou, ao menos, revistas: “ela parece ótima para a idade que tem”, “ela é linda para uma senhora de idade”. Isso é tão automático, quem nunca pensou ou até mesmo falou algo parecido? Tipo aquela história que falei da Sandy, 34, estar “conservada”. No lugar disso, a revista sugere substitutos: “Ela está ótima”, “Ela é linda”.

E a Allure finaliza, “Parabéns às marcas que já refletiram sobre o termo, e quem ainda não o fez, sabemos o quão é difícil rever embalagens e o marketing de todo um produto, mas essa conversa precisava ser iniciada para haver a mudança e celebração da beleza de cada idade”. E a própria Helen conta que já teve essa conversa com a L’Oréal (marca na que ela é uma das  embaixadoras) e eles já estão em processo de rever esse conceito. Achei bacana!

Eu achei tão incrível e certeiro da Allure propor essa mudança e só prova que com o tempo temos questionado hábitos e caminhando pra uma mudança positiva e um mundo mais fácil de se viver!

E vocês, já pararam pra pensar no termo anti-idade? A gente quer sim creminhos e afins, mas e o peso da palavr? Sei que muita gente pode achar até exagero, mas são esses detalhes que desenham um novo momento e no futuro a gente olha pra trás e acha transformador.

 

7 conselhos de expert na hora de aplicar base!

10/04/2017  •  Por Thereza  •  Maquiagem

Quando o assunto é maquiagem, nada deve ser mais preciso, cirúrgico e certeiro, quanto aplicar base, certo? Se você quiser aquela maquiagem poderosa, completa e com cara de feita por um profissional, a base faz toda a diferença!

E se você fosse uma insider dos principais backstages da moda, sem dúvida esse tema seria uma conversa boa pra ter com maquiadores, afinal, quais são os segredos para passar base como um profissional!? Pois bem, a Allure fez uma matéria incrível fazendo essa pesquisa com vários makeup artists e eu trago pra cá parte dessa seleção certeira, tome nota pro update de beauté.

1: Seu foco principal deve ser aplicar a base nos pontos que você mais precisa cobertura (geralmente na parte das olheiras, próximo ao nariz e queixo), no mais, apenas dê batidinhas por todo o rosto com a quantidade de base já aplicada. Não esfregue, dê batidinhas e de preferência use Beautyblender ou similares, elas são implacáveis pra maquiagem impecável.

2: Se você quer uma maquiagem flawless, como diz Beyoncé, é imprescindível um cuidado prévio da pele. Faça sua rotina diária de cuidado minutos antes da maquiagem. E mais, espalhe bem o hidratante, pois se ele for usado de forma excessiva, especialmente na zona T, ao longo do dia sua maquiagem pode apresentar sinais de brilho excessivo aka oleosidade. Bônus, pra ter a pele iluminada das famosas, os primers de óleo (como o super hit Fársali) são os queridinhos na hora de um glow extra.

3: Misture umas gotas de água à sua base logo antes da aplicação. Isso garante hidratação extra e evita qualquer tipo de óleo excessivo na pele, deixando assim a pele mais natural e radiante.

4: Segredo de backstage, após aplicar a base,  aplique um spray facial suavizante (como água termal, rosewater) na esponjinha e pressione sobre toda sua pele pra difundir a base e deixar um acabemento mais natural e com cara de hidratado. Eu faço isso com meu Rosewater do Mario Badescu e o acabamento fica outro mesmo, a base assenta super bem.

5: Substitua os pós faciais por lencinhos anti-oleosidade. Esse truque é muito usado em backstages, pois garante um acabamento mais natural e não dá aquele aspecto de muita maquiagem, mas ainda assim tira o temido aspecto oleoso.

6: Aplique a base com a mão! O calor das mãos ajuda a difundir o produto bem e chegar aos locais de forma mais natural. Depois disso use a esponjinha pra espalhar o produto, penetrar na pele e dar o acabamento.

7: Por fim, a pergunta crucial: esponja ou pincel? De todos os maquiadores citados, a maioria esmagadora mostrou preferência pela esponjinha por conta da facilidade de uso e domínio.

Curtiram as dicas? Sempre que eu quero uma maquiagem especial, foco numa pele mais caprichada e já vou colocar várias desses truques em prática

 

 

Página 1 de 41234