AS MAIS
LIDAS!

Você compra em brechó?

15/05/2018  •  Por Thereza  •  Pense

Quando eu falo brechó, o que te passa pela cabeça? Eu consigo vislumbrar 2 extremos, de um lado peças vintages e com um quê sofisticado de outrora (falar outrora é tão de outrora rs adoro), achados Dior e Chanel de décadas passadas, mas por outro lado, muita gente associa brechó com quinquilharia, coisa velha e mofo. Enfim, são 2 universos de um nicho cada vez mais poderosíssimo.

Mês passado li uma matéria muito interessante no Fashionista, logo compartilho com vocês. O ThredUP, que é o maior brechó online do mundo, estima que até 2022, o universo de revenda de peças (que vai muito além de um brechó na prática) vai faturar certa de U$49bilhões, superando até mesmo o faturamento de gigantes da moda, leia-se fast fashions. Enquanto os formatos tradicionais de venda tem crescido em média 2% ao ano (isso é até muito, já que as gigantes cada vez mais enfrentam prejuízos), empresas de venda de peças usadas crescem até 49% no ano, babado!

Os responsáveis por esse novo panorama da moda? Os millennials, sempre eles, salve salve! No assunto consumo, dada a enorme demanda, eles são muito impulsivos na hora da compra, porém usam em média 5 vezes uma peça de fast fashion, com isso, o mercado dos “semi novos” aumenta. Mas por outro lado, são mais conscientes e propensos a comprar de marcas com preocupação ambiental e também começar a vender suas próprias peças usadas. O que no passado poderia ser uma ~vergonha pros jovens, hoje é uma forma de negócio e ainda com um quê consciente.

Agora se você acha que esse universo de resale é feito só com os tradicionais brechós, super se engana. Hoje em dia cada vez mais surgem marcas apostando no viés da consignação,  nichos específicos (lembra da moda do aluguel de bolsas?) e até aluguel de roupas usadas. O que num passado digital recente era exceção, até 2022 parece que se tornará cada vez mais regra.

Lembro que quando morei fora, adorava desbravar brechós, eles eram comuns e daquele achado vintage chic no West Village até um 2 dígitos baratex em Williamsburgh, parece que na gringa isso é mais comum e aceitável que no Brasil. Espero que nos próximos anos possamos nos acostumar mais com esse novo universo e que tenhamos cada vez mais opções que mesclam fashionismo e sustentabilidade.

E qual é a relação de vocês com a revenda de looks?!




Para Usar Ja 728x90

AMARO Beachwear

Deixe seu comentário!
*Preenchimento obrigatório (seu email não será divulgado).
Quer que a sua foto apareça no comentário? Clique aqui e cadastre-se!

42 Comentários
  1. Yandra Pascoal - 15/05/18 - 11h47

    Amo Brechó. Adoro passear pelas peças, pensar em novas combinações, saber que elas chegam até nós com história. Se moda é arte, eu considero bons brechós como verdadeiros curadores. As peças mais raras e bonitas do meu enxuto guarda-roupa vieram de brechó.

    Responder
  2. Barbara Alves Silva - 15/05/18 - 11h48

    Eu fico meio frustrada em brechó, pq ainda estou acostumada em achar roupa no meu tamanhozinho e tal. É bem decepcionante amar uma peça, ela não servir e voce seguir a vida sem ela hahahaha.
    Mas pra achadinhos, eu amo brecho, ainda mais se for roupa de trabalho, bem social, que eu não gosto de gastar, mas gosto de usar roupas mais caras – tipo le lis e outas fora das minhas possibilidades.
    Em SP tem um mara na Vila Madalena que eu vou focada a sair com roupas de tia rica empreendedora.

    Responder
    • Vitoria - 15/05/18 - 13h22

      Conta o nome desse brechó para as paulistaaaas

  3. SILVIA ELAINE DA SILVA - 15/05/18 - 11h56

    Até acho interessante, mas geralmente vejo o povo perder a mão nos valores cobrados

    Responder
    • Maria - 15/05/18 - 16h50

      Eu sou viciada em brechós,mas prefiro os da periferia, geralmente o pessoal não gosta de qualidade eles preferem roupas de modinha, já comprei calça da Lélis Blanc por um real vestido de Maria filó por dois reais e assim vai

    • Stefania Madureira - 16/05/18 - 19h33

      Venham conhecer o Brechó da Rê , na zona sul de São Paulo.

  4. Heloisa - 15/05/18 - 12h07

    Amo brecho e acho que faltam bons brechos no BR, ou são os de luxo que vendem tudo a preço de novo ou são os fundo de quintal l. Particularmente tenho alguns achados desse tipo de loja, nada de marca mas peças com materiais de alta qualidade que paguei 2, 5 reais nelas

    Responder
  5. Layla - 15/05/18 - 12h14

    Eu acho que falta aqui uma pegada mais moderna pro formato engrenar. Morei uns tempos no Uruguai e vi isso muito forte lá, até trabalhei em um brechó no setor de comunicação, pra você ver como a coisa é bem mais evoluída. Pelo menos aqui no meu país ES, os brechós ainda seguem essa linha das coisas amontoadas, super barato porém feio na mesma proporção. E também não sei, acho que rola um preconceitozinho, pra mim precisa de uma mudança de pensamento geral pra fazer a roda girar. É muito fácil achar uma peça Chanel no brechó e sair comemorando, mas quero ver isso acontecendo com uma peça legal de fast fashion, por exemplo. Nesse brechó que trabalhei, era movido a consignação (com uma escolha bem criteriosa) e vendia muito online, tinha muita peça da Forever21, Zara e tudo super bem aceito. Se eu encontrasse algo com essa pegada por aqui super seria cliente.

    Responder
  6. Naira - 15/05/18 - 12h38

    Sinceramente penso que brechós no RJ são de uma cultura mais elitista. É muito difícil encontrar brechós que não sejam na Zona Sul, por exemplo. Quando na verdade essa cultura deveria beneficiar a galera que realmente precisa pagar mais barato nesses bens de consumo…

    Responder
  7. Maiara - 15/05/18 - 12h54

    Eu amo brechó, aqui em Brasília temos boas opções e minhas últimas compras foram todas de brechó. Roupas baratas e de qualidade. O brechó que frequento tem o maior cuidado com a higiene e limpeza! Óbvio que nem todas as vezes que vou acho coisas bacanas mas quando acho valem muito a pena!

    Responder
    • Gabrielle - 16/05/18 - 09h16

      Maiaraa, você que é de Brasília, que brechó é esse que frequenta? ♡

  8. Tata - 15/05/18 - 13h22

    Eu nunca comprei em brechó. Aqui em Porto Alegre não é muito comum. Só conheço um, mas vende bolsas Chanel e coisas do tipo, valores muito altos.
    Já fui em alguns para vender minhas roupas, mas o valores oferecidos eram ridículos.
    Prefiro vender online em sites como OLX e tenho feito muito isso.

    Responder
  9. Celma Reis - 15/05/18 - 13h30

    No Brasil as pessoas só gostam de coisas novas. Eu usei muitas roupas usadas de uma prima, eu e minha irmã ficávamos ansiosas para ganha-las e felizes ao usa-las. Mas outra prima ,quando começou a comprar roupas novas falou: graças a Deus parei de usar roupas velhas. E as roupas eram lindas e da moda e não eram velhas. Onde tem brechos bons em Belo Horizonte? Alguém me fala?

    Responder
  10. Elis Chiachia - 15/05/18 - 13h35

    Eu super compraria de brechós, mas por aqui só tem esses do mofo rs
    Não vejo problema nenhum em roupa usada, pelo contrário, da pra sempre ter roupa “nova” no armário!

    Responder
    • Isabel C. Nicolau Correia - 15/05/18 - 14h56

      Parabéns vc não é preconceituosa, tem muitos ainda em relação a Brecho uma bobeira enorne né?

  11. Clara - 15/05/18 - 13h45

    Eu passei de uma pessoa que gostava de brechó, pra comprar umas peças com carinha mais antiga, pra alguém que tem 90% do guarda roupa vindo deles. Hoje acho todo tipo de peça em brechós e lojas tipo enjoei, principalmente pelo que vc falou, as pessoas enjoam fácil e eu acho peças usadas de coleções de poucos meses atrás pra vender. Uma dica é que os melhores brechós, aqui e na gringa, são os vinculados a algum tipo de projeto social e que as peças são todas de doação. Compro direto do brechó da Santa Casa, onde as peças mais caras (sobretudos e vestidos de festa) são 10 reais (brusinhas são 2, e não 2 digítos, mas 2 reais hahaha), no bazar Cantinho Fraterno (todas as peças são 2 reais).
    E o mais engraçado é que quanto mais eu passei a comprar em brechó, mais a qualidade so meu guarda roupa melhorou. Pq dá pra comprar coisas muito boas pagando muito menos do que eu pagaria em fast fashion.

    Responder
  12. DORACI BERNADETE PEREIRA - 15/05/18 - 14h04

    Amo brechó…estou abrindo um gostaria de receber dicas de onde posso adiquirir peças vintage…entre outra. Meu BRECHÓ BOUTIQUE. Preciso de muitas dicas. Abçs.

    Responder
  13. Beatriz Paiva - 15/05/18 - 14h19

    Amei, estou com planos de abrir um brecho, como faço para adquirir peças de roupas

    Responder
  14. Jéssica Semedo - 15/05/18 - 14h25

    Queria um guia dos bons brechós no Rio. Acho tão legal a experiência de fazer achados e trazer looks antigos pro dia a dia.

    Responder
  15. Taniq - 15/05/18 - 14h26

    Tenho um brechó vendo bem mas trabalho bastante lavo minhas peças garimpo bastante o um bom negocia

    Responder
  16. Isabel C. Nicolau Correia - 15/05/18 - 14h55

    Comecei há 7 meses vendender roupas usadas. E graças a Deus já é um sucesso. Logo pretendo ter a oportunidade de ir para a rua. Amei a matéria.

    Responder
  17. Tatiana - 15/05/18 - 14h57

    Amo Brechó. Tanto que já trabalho no ramo a quase 4 anos. Primeiro meu brechó se chamava D.Cigarra mas agora chamá-se santa tag uma loja que não é só um brechó mas uma loja de consumo consciente.

    Responder
  18. Julia - 15/05/18 - 16h09

    Oi Thereza, tudo bem?

    Eu trabalho numa ONG que chama Aldeias Infantis SOS, que atua cuidando de crianças que foram separadas de suas famílias, ao mesmo tempo em que fortalece essas famílias para não perderem o cuidado de seus filhos por razões de pobreza, violência ou deficiência. No Rio, trabalhamos com a comunidade do Morro do Banco.

    Nós temos muuuuitas peças legais para brechós garimparem e queríamos até fazer um bazar, mas fica bem difícil com falta de verba e tudo o mais, além do que, nem sempre é possível dá-las aos atendidos, que são 120 crianças, 40 mães e 40 jovens. Desta forma, pensamos em vende-los num “esquema brechó”, se é que podemos dizer assim.

    Fica uma sugestão de post: bazares e brechós legais pra expor/vender peças usadas :)

    Bjs,

    Julia

    Responder
  19. Cleia - 15/05/18 - 17h55

    Eu acho que está mais quê na hora, das pessoas no Brasil, aderirem aos brechós, na verdade eles são um luxo! Eu moro na Suiça e aqui tem centenas, e vemos pessoas de todos os níveis sociais como clientes! Os Europeus não teem este tabú, de achar que é brega ou vergonha, conheço vários Países aqui na Europa, e todos aderem ao stilo super na boa!! Mente aberta e zero de preconceitos!! Isso sim é viver bem!!!

    Responder
  20. Sônia - 15/05/18 - 18h25

    Adoro brechós gostaria de abrir um na minha casa alguém poderia me ajudar me cedendo roupas doadas ou em consignação pois tô precisando ganhar dinheiro não tenho como investir de eu recebesse doações agradeceria

    Responder
  21. Gabriela Lopes - 15/05/18 - 19h41

    Não frequento brechós porque não me sinto bem usando um sapato ou uma roupa já usada por outra pessoa…mesmo que seja um lindo Louboutin (é frescura mesmo, mas tô tentando superar rsrs).
    Todavia, vendo sempre minhas coisas para brechós e confesso que me dá um retorninho considerável.
    Mas hoje, pela primeira vez na vida, fiz uma compra em brechó: uma bolsa Gucci que eu namorava desde o ano passado, mas tinha dó de comprar na loja (acabei que comprei duas Pradas pelo preço dessa Gucci). Só que há cerca de 1 mês vi vendendo num brechó, novinha, e por menos da metade do preço da loja (na verdade negociei tanto que consegui reduzir em R$1.200 o preço dela rsrs).
    Então, aos poucos, estou vencendo meu preconceito em comprar em brechós.

    Responder
  22. Marcio da cruz - 15/05/18 - 20h52

    bom bom

    Responder
  23. Elisabeth Ferreira Guimarães - 15/05/18 - 22h38

    Amooooum brecho sustentabilidade acho que o Brasil ainda nao caiu a ficha

    Responder
  24. Roseneia Ferreira Diniz - 16/05/18 - 05h39

    Bom dia!
    Amo brechós! Sempre encontro peças interessantes acessórios e outros. As pessoas deveriam deixar de pensar q brechó e só coisa velhas mofada. Brechó e td de bom e luxo.
    Abracos

    Responder
  25. Malu Leoteria - 16/05/18 - 07h04

    Sou mega consumidora de brechós , conheço e frequento vários …no meu bairro Cambuci…cada dia se abre mas brechós….sustentabilidade….economia…..ecológico….I Love Brechó

    Responder
  26. ANGELICA - 16/05/18 - 08h15

    Eu adoro brechó. Pela sustentabilidade e originalidade. Mas na minha situação só tem um brechó de vergonha, os outros são todo empoeirados rsrs. Gosto tambem de vender pelas no brechó. Porém ultimamente tenho praticado muito o guarda roupa mais prático, mais simples, preto, cinza, bege, branco, atemporal, de forma que tenho consumido bem menos roupas e elas tem durado várias temporadas comigo.

    Responder
  27. Denise Pereira da Silva - 16/05/18 - 09h29

    Adoro brecho’. Meu poder financeiro não me permite que eu compre em brecho caro. Mas o que eu posso. Compro e fico muito feliz. Muito legal.

    Responder
  28. Ana Luiza - 16/05/18 - 10h45

    Eu amo brechó! Principalmente aqueles brechós de igreja, com peças super mega baratas e que você ainda consegue arrematar coisas muito boas. Hoje em dia tem grupos de “brechó” no facebook, eu participo de pelo menos uns 5 hahahah acho muito legal porque até eu mesma já vendi nesses grupos ou troquei peças que não usava por outras que eu com certeza usaria mais.

    Responder
  29. Solange Cruz - 16/05/18 - 11h11

    Bem legal amei só compro nos brechó só que não tem muita divulgação gostaria que tivesse mais divulgação

    Responder
  30. Denise Pereira da Silva - 16/05/18 - 12h32

    Adoroooo

    Responder
  31. Lari - 16/05/18 - 13h19

    Vcs conhecem algum brechó com roupa barata em São Paulo?já fui em alguns em Pinheiros porém só roupas feias e caras .

    Responder
  32. Marcia - 16/05/18 - 13h28

    Tenho um Brechó que se chama Divina Brechó mas devido a minha sócia me passar a perna estou vendendo tudo com muita tristeza!

    Responder
  33. Vitória Gonçalves - 16/05/18 - 15h43

    eu sou péssima com isso, apesar de não ter nenhum problema com revender minhas roupas ou comprar outras usadas. sou basicamente preguiçosa ainda. mas acho MUITO legal, ainda quero fazer um tour brechós e colocar roupas que não uso mas estão boas ainda para vender

    Responder
  34. Beatriz Lima - 16/05/18 - 16h47

    Não consigo comprar em brechó pq acredito muito que a roupa tem energia. Ai sei lá qual era a energia de quem usou né …

    Responder
  35. Luanne - 16/05/18 - 23h01

    Nunca fui em um, mas tenho curiosidade. Aqui na minha cidade estão surgindo vários brechós agora, tô achando legal essa novidade, inclusive existe grupos no WhatsApp para venda de roupas e sapatos usados. A cidade é grande, mas também pequena então fica fácil esse tipo de venda. Eu tenho muita roupa usada que ganhei das colegas de serviço da minha mãe ou primas que uso há anos e ngm nunca nem desconfiou que eram usadas e uso para trabalhar

    Responder
  36. Mariana - 17/05/18 - 13h07

    Vendo e compro direeeto. Tem uns maravilhosos em Brasília, inclusive de luxo. Acho que vale muito a pena, ajuda a manter um guarda-roupa conciso e funcional, além de incentivar uma moda mais sustentável.

    Responder
  37. Larissa Michels - 17/05/18 - 16h06

    eu ate gosto de brecho mas as vezes parecem pecas velhas mesmo pelo menos aqui na minha cidade.. mas é bem interessante esse novo conceito de brecho, acho que vale a pena ficar de olho! vou dar mais atencao haha

    muito legal o post! beijos!

    Responder