AS MAIS
LIDAS!

Ronda da Semana: Apologia ao nazismo, gordofobia e divórcio

20/04/2018  •  Por Thereza  •  RDS

Tivemos uma semana intensa, cheia de assuntos e polêmicas, portanto, é hora de Ronda da Semana! Trago 3 assuntos que vocês já devem ter lido por aí, mas é importante estender o tema e debater por aqui, vamos lá?!

LANÇA PERFUME E APOLOGIA AO NAZISMO

Nessa semana foi divulgada a campanha de inverno da Lança Perfume e, pasmem, as roupas trazem referências ao uniforme militar alemão usado na 2ª Guerra Mundial e também à Cruz de Ferro (condecoração dos tempos de guerra e usada por oficiais do exército de Hitler). As referências vão muito além e sou incapaz de compartilhar todas as fotos de campanha e lookbook em questão.

Depois de receber milhares de críticas, a marca contou que a ideia era “transmitir uma mensagem plural e elevada sobre a capital alemã e sua história”. E ainda afirmou que a tal Cruz de Ferro não é um símbolo nazista, mas que tem origem anterior à guerra, e concluiu “repudiamos o nazismo e o fascismo em todas as suas dimensões”.

A nós, restam algumas reflexões: desenvolver uma coleção não é apenas encontrar um tema x, mas sim pesquisar a fundo sua história além da moda, especialmente numa questão tão densa quanto esse. E sobre a Cruz de Ferro, mesmo tendo origem anterior, seu uso foi disseminado na época da guerra, portanto, de forma alguma deve ser recuperada por conta do triste simbolismo que carrega. Por fim, dizer que é “apenas ignorância da marca” é basicamente relevar algo muito grave.

FLUVIA PRECISOU DESENHAR SEU PRÓPRIO VESTIDO

A modelo plus size, Fluvia Lacerda, contou que precisou desenhar seu vestido de gala porque ninguém quis fazer um pra ela. Pois é. Fluvia foi uma das convidadas do amfAR e revelou o absurdo em seu Instagram “Esse vestido foi um sonho meu, imaginado depois de tantas portas fechadas na tentativa de ser vestida por uma marca ou designer nacional. Nunca vesti uma peça de roupa com tanto orgulho!”.

Sabe essa onda de representatividade, empoderamento feminino, inclusão e etc? Na prática, para muitos isso é balela, pois as marcas seguem excludentes e segregadoras, euzinha mesma já vivi casos parecidos.

Parecer inclusiva e atenta é apenas um token para não ser criticada, mas no fundo mesmo é tudo pra lacrar nas redes sociais e nada mais, afinal, a grade vai até 42 e-olhe-lá. Espero que num futuro próximo isso seja menos exceção e mais regra. Enquanto isso, que valorizemos marcas reais e que coloquem o tal discurso bonito 100% em prática.

YAN ACIOLI NÃO É MAIS O STYLIST DA SABRINA SATO

Essa semana a apresentadora Sabrina Sato anunciou que Yan Acioli não é mais seu stylist, depois de 13 anos de uma parceria muito bem sucedida (quem assume o cargo é Pedro Salles). A foto acima foi a última profissional da dupla, com look YSL para o amfAR.

Já participei de um bate-papo com a dupla e ali a sinergia era perfeita, dava pra perceber a gratidão mútua e com certeza a moda teve muito peso na ascensão e história de Sabrina. Enquanto Yan entrava com altas doses de fashionismo e muita informação de moda, Sabrina segurava todo e qualquer look, pra mim um dos casamentos mais perfeitos da moda. Eles contam que a amizade continua, mas cada um seguirá um caminho profissional. Acredito que depois de uma era extravagante fashion, Sabrina seguirá um momento mais cool minimal. Façam suas apostas!

Bom fim de semana!




Deixe seu comentário!
*Preenchimento obrigatório (seu email não será divulgado).
Quer que a sua foto apareça no comentário? Clique aqui e cadastre-se!

16 Comentários
  1. Mary - 20/04/18 - 13h42

    Que bizarro, nunca comprei nada dessa marca e nem irei, quanta ignorância e mau gosto, péssima escolha euma declaração não muda nd.

    Responder
  2. SILVANIA GRACIELE COLOVITE - 20/04/18 - 13h56

    Chocada com essa falta de respeito da Lança Perfume!!!!

    Responder
  3. Heloisa Carvalho - 20/04/18 - 14h15

    Gente, não tem desculpa essa campanha da LP. Que horror, que horror!
    O que aconteceu com a Fluvia é só retrato da realidade… Esses tempos vi uma marca toda descolada, com estampas “grl pwr” e com numeração que ia só até o 40. Isso mesmo, quarenta.

    Responder
  4. Louise - 20/04/18 - 15h17

    Sobre a LP além da coleção absurda e da nota de esclarecimento que eles falam que vão tirar a coleção das lojas (de uma maneira que parece que estão fazendo um favor), outra coisa que me chocou demaisssss foi os comentários de algumas clientes (prints no insta da cuca) dizendo que o povo é “ignorante” que ‘nada vai pra frente nesse brasil cafona’ dentre outros, lamentável!
    E sobre a Fluvia não ter encontrado ninguém que desenhe seu vestido é porque a moda é isso mesmo que vc falou, só fala de empoderamento nas redes sociais pra fazer gracinha e ganhar like, na vida real mesmo faz coleção pra gente magra e ponto, falta MUITO pras marcas realmente fazerem o que pregam por ai.
    E o que mais me irrita é que sempre surge a desculpinha de “ai mas tem que ser aos poucos” como se já não fossem anos de luta para as marcas fazerem no minimo uma grade de tamanhos coerentes, quando se trata de padrão tudo é rápido e fácil quando se trata de mudança e inclusão de mulheres reais no mundo da moda tudo é demorado e complicado e isso já ta ficando ridículo.

    Responder
  5. Renata - 20/04/18 - 15h27

    Eu também sofro para comprar roupas em algumas lojas, pois visto tamanho 44. Acho um absurdo varias marcas não produzirem tamanhos maiores. É muito triste quando você se apaixona por uma roupa, quer comprar, e não pode porque o tamanho G equivale a um 40…

    Responder
  6. SILVIA ELAINE DA SILVA - 20/04/18 - 15h28

    Muita vergonha da Lança Perfume!

    Responder
  7. Natalia Nunes Andrade - 20/04/18 - 15h35

    Várias roupas da Sabrina eu não gostava, mas não tem como não admitir que eles funcionavam mt bem e mostravam uma sintonia enorme.
    Quanto a Fluvia, só mostra a realidade. As marcas falam sobre inclusão, mas não são nada. Quantas marcas já vi irem até só a numeração 40,42…
    A LP, me recuso a comentar.

    Responder
  8. Karen - 20/04/18 - 16h57

    É muito triste ess questão relacionada a Fluvia, muito mesmo. Infelizmente trata-se de um reflexo da realidade, que as marcas insistem fingir não existir. No discurso ou teoria todas são a favor da diversidade, mas são poucas que demostram isso na prática.
    Quanto a LP estou sem palavras. Pecaram muito na pesquisa e pecaram mais ainda em achar que essa justificativa seria solução para o problema.

    Responder
  9. Beatriz Santiago - 21/04/18 - 10h56

    O caso da Lança Perfume me deixa indignada, o da Fluvia triste.
    E será que Sabrina cansou das extravagâncias? vou dar AC nessa história

    Responder
  10. Mariana Fernandes - 21/04/18 - 15h18

    Sobre a marca: tenho sérias dúvidas se foi sem querer mesmo.
    Sobre a Fluvia: realmente hoje pessoal só quer lacrar, mas na prática tem mais forma que conteúdo.
    Sobre o divórcio amigável: lamentável
    Sobre esse post: excelente como sempre!

    Responder
  11. Ionara Natalia - 22/04/18 - 12h33

    Fico achando que é impossível a LP ter feito uma coleção de forma tão ignorante, pra mim eles queriam era chamar atenção, e conseguiram, não compro mais nada da marca!!

    Responder
  12. Bianca - 23/04/18 - 01h27

    Sobre a coleção da LP, acho que houve uma infelicidade em terem escolhido um símbolo militar alemão, por toda a história que o exército alemão traz consigo. Contudo, a cruz de ferro em si não é um símbolo nazista tanto que continua sendo usado pelo exército alemão e não é classificado pela lei de 57 como um símbolo banido e proibido associado ao regime. Dizer que LP está fazendo apologia ao nazismo é não considerar o que de fato a simbologia significa. Acho o exército alemão sempre será lembrado com uma conotação ruim e isso sim deveria ter sido observado antes de terem idealizado a coleção.

    Responder
  13. Elis Chiachia - 23/04/18 - 22h56

    Eu acho que o mercado plus size vem crescendo, mas caminhando a passos de tartaruga. E infelizmente só nas roupas do dia a dia, ainda é muito raro ver vestidos de festa interessantes >42
    Sabrina e Yan foi uma separação triste, mas to curiosissima pra ver a nova era Sabrina.

    Responder
  14. Michelle - 25/04/18 - 19h49

    Oi, The. Que tal falar sobre a candidatura da Cynthia Nixon, a Miranda de Sex and the City, para governadora de Nova York? Além de mostrar que é possível se reinventar, a plataforma política dela está muito bem preparada, com valores liberais que nos fazem querer ser melhores amigas já! Sua entrevista para o Stephen Colbert é super fofa: https://www.youtube.com/watch?v=_HohD8NVW3M

    Responder
  15. Vitória Gonçalves - 29/04/18 - 12h54

    Essa polêmica da LP é mais uma entre tantas no meio da moda que mostram nitidamente algumas coisas: primeiro, que bom senso passa longe. além disso, que é mais fácil chamar o consumidor de burro do que admitir erro. e sim, quem aceita isso, compra e não pensa sobre é bem burro. o caso da flávia é outro que mostra que o ativismo é lindo mas só tá rolando no discurso. eu visto 44/46 e já acho pouquíssimas opções de vestido de festa sem ter que mandar fazer ou pagar um orgão vital nele. sobre yan e sabrina, foram anos ótimos, eram uma dupla incrível, mas entendo ela querer algo diferente nesse ponto da carreira!

    Responder
  16. Ana Luiza - 15/05/18 - 12h56

    Graças a Deus a galera da Lança Perfume se tocou e tirou a coleção de circulação né. Pleno 2018 e a gente ainda tem que ver coisas assim…………

    Responder