AS MAIS
LIDAS!

Como acertar na hora de harmonizar queijos e vinhos

10/04/2018  •  Por Rodrigo  •  Gastronomia, Vinho

Chegamos no outono! Época perfeita para se tomar bons vinhos num clima mais fresco e agradável. E qual harmonização mais clássica para brindarmos a estação? Queijos e vinhos, naturalmente. Essa dupla que é sucesso em diversas ocasiões, pode fazer com que uma simples degustação se transforme num momento especial. Aqui em casa, sempre que tomamos vinho, o queijo está presente, já nos restaurantes, muitas vezes ele substitui a sobremesa (lá fora isso é mais que normal) e até como prato principal, uma tábua com queijos variados é uma escolha certeira (e favorito da Thereza que prefere “petiscar”).

Agora, quando se trata de receber amigos em casa, não há combinação mais democrática e prática, afinal quer coisa fácil do que promover uma noite harmonizada sem ter que ficar na cozinha? E qual seria a harmonização perfeita? Aquela na qual o sabor de um não se sobreponha ao do outro, ao passo que ambos tenham suas melhores nuances destacadas e suas características mais fortes suavizadas. Em alguns casos, quando o queijo não é o par ideal para o vinho, o sabor final fica comprometido.

Por exemplo, um queijo muito salgado com um tinto muito seco, pode resultar num gosto um tanto amargo, assim como um vinho potente e tânico certamente vai “matar” o sabor de um queijo suave. Para isso, temos algumas regrinhas simples para esse casamento dar certo! Por isso selecionei pra vocês vinhos para harmonizar com os queijos mais tradicionais e fáceis de encontrar por aqui.

HARMONIZAR QUEIJOS E VINHOS

Muçarela de Búfala: Da família dos queijos frescos, tem um sabor suave e é muito comum em entradas e burratas. Precisa de um vinho fresco e delicado.

Adega Guimarães Vinho Verde DOC – Já falei desse delicioso vinho verde na semana passada, mas não poderia deixar de indicar de novo para essa harmonização. Com muito frescor e uma leve efervescência, ainda tem um sabor frutado de maracujá e boa acidez para harmonizar com a muçarela de búfala. R$59.

Brie e Camembert: Super tradicionais nas tábuas, esses queijos de mofo branco e textura cremosa vão muito bem com brancos frutados e com boa acidez para ressaltar sua untuosidade e sabor.

Round Hill Chardonnay 2015 – Belo Chardonnay da California! Tem um frutado gostoso de maçã verde no nariz e sabor cítrico lembrando abacaxi e frutas amarelas. Levemente amanteigado, com boa mineralidade e um final refrescante. O Brie agradece! R$79,90.

Gouda e Emmental: De textura firme e sabor marcante e amendoado, pedem por um tinto frutado e de médio corpo para harmonizar com seu leve adocicado.

Tarima 2015 – Delicioso tinto espanhol da região de Alicante. Vinho orgânico com grande complexidade de aromas, como framboesas, cerejas, pimenta do reino, baunilha e alcaçuz. Na boca é redondo, com taninos macios e doces e um final persistente, amadeirado e com uma discreta nota de tamarindo. Nada melhor para um bom queijo Gouda. R$79,90.

Grana Padano: Esse não falta aqui em casa! Sua textura granulada e seu sabor forte fazem deste queijo um dos mais procurados para degustações. Um tinto de boa estrutura vai se beneficiar com essa harmonização, pois terá seus taninos amaciados pela gordura do queijo.

Leyda Single Vineyard Carmenere 2014 – Chileno de respeito! Muito maduro e cheio de aromas de frutas negras, compota de ameixa, de cassis, além de especiarias como pimenta do reino e ervas frescas. Na boca é intenso, com taninos finos e um longo final de café e chocolate. De R$109 por R$87,20. Vinhaço!

Gorgonzola: Não tem quem não se derreta por esse queijo que é normalmente servido no final das refeições para acompanhar aquele vinho do Porto. De sabor intenso, salgado e picante ficou associado aos vinhos doces e de sobremesa, mas  para a nossa harmonização, a melhor opção é a combinação por contraste. Um vinho branco aromático com boa acidez para “quebrar” a gordura do queijo e um leve dulçor para se opor ao salgado vai elevar a degustação a um outro patamar!

Leyda Single Vineyard Riesling 2013 – Fantástico branco produzido por uma das uvas mais aromáticas. Super floral, mineral e perfumado, tem aromas cítricos, de lichia, abacaxi e limão siciliano. Tem uma doçura natural e muito frescor para “domar” toda pungência do Gorgonzola. De R$109 por R$87,20.

HARMONIZAR QUEIJOS E VINHOS

E se eu tiver mais de um queijo e quiser um único vinho? Dúvida mais do que justa! Minha dica é optar por um vinho intermediário entre potência e frescor. O Tarima, por exemplo, tem um frutado e mineralidade para os queijos mais delicados, assim como estrutura e taninos para os queijos mais fortes.

Espero que tenham gostado das dicas. Harmonizar queijos e vinhos é muito interessante e faz toda a diferença no sabor de ambos. Todos os vinhos podem ser encontrados nos links online, mas também nas lojas da Grand Cru. Se tiverem alguma dúvida, é só deixar um comentário.


AMARO Beachwear

Deixe seu comentário!
*Preenchimento obrigatório (seu email não será divulgado).
Quer que a sua foto apareça no comentário? Clique aqui e cadastre-se!

10 Comentários
  1. Carina - 10/04/18 - 19h26

    o que aprendi nesse post é: tá mais fácil achar vinho de dois dígitoa que brusinha

    Responder
    • Thereza - 11/04/18 - 00h09

      hahaa sim!

  2. SILVIA ELAINE DA SILVA - 10/04/18 - 21h01

    Amei!

    Responder
  3. Rafaela - 11/04/18 - 15h39

    E se o queijo for mussarela ou provolone? hahaha, nesse caso já matamos o paladar mesmo, acho que qualquer vinho serve né… haha #pobrices

    Responder
    • Rodrigo - 13/04/18 - 09h04

      Oi, Rafaela. Como provolone é mais salgadinho, um tinto bem frutado é uma boa opção, ou até mesmo o riesling que tem um dulçor natural que pode combinar bem com a leve acidez do queijo.

  4. Adryenne - 11/04/18 - 17h47

    Olá, amo essa tag, me ajuda muito a entender mais os vinhos! queria dar uma sugestão, vc poderia dar opções por tipo de vinho ao inves de rotulo/marca?

    Responder
    • Rodrigo - 13/04/18 - 09h06

      Oi, Adryenne, muito obrigado.

      Sobre a sugestão, eu costumo falar sobre um estilo de vinho (branco seco, tinto encorpado, tinto delicado, mineral, frutado, tânico, etc…) e indicar rótulos que representem bem cada estilo.
      Abs!

  5. Anne Machado - 11/04/18 - 19h29

    Fiquei curiosa pelo Round Hill e adega Guimarães

    Responder
  6. Karla - 11/04/18 - 23h03

    Anotando as dicas pro fim de semana! Adorei a dica do Carmenere !

    Responder
  7. SILVIA ELAINE DA SILVA - 12/04/18 - 15h09

    Amei!
    Concordo com a colega, melhor falar primeiro o tipo de uva e depois o rótulo, pra facilitar outras compras também

    Responder