AS MAIS
LIDAS!

Preço por vestida!

29/06/2011  •  Por Thereza  •  Compras, Moda, Pense

*Nota da editora: sim, o título é esse mesmo.

Outro dia estava (re)lendo o excelente livro do blog Who What Wear (eles já lançaram outro livro chamado What to wear, where) e uma reflexão me chamou a atenção, especialmente por tê-la adotado recentemente na minha viagem: a relação investimentoXuso das coisas.

Explico, muitas vezes gastamos com uma bobeirinha ali, outra acolá, sem pensar de fato no uso efetivo e durabilidade de tal peça. Não estou falando só da qualidade, mas sim da quantidade de vezes que usamos.

Geralmente esse nosso pensamento imediatista está atrelado à modinhas passageiras, ou seja, de rápida saturação, com isso, usamos pouquíssimas vezes a dita cuja. Seja tendência ou um clássico qualquer, será que vale a pena mesmo?

No livro tem um cálculo bem simples, porém que no final das contas é bem eficiente e incentivador, especialmente quando se planeja investir numa peça mais eterna. O cálculo adotado é o seguinte, o custo de um item, dividido por quantas vezes você o usa:

Daí, em contrapartida, você compra a bolsa da modinha por R$800 e usa uma vez por semana, fazendo o cálculo, esse preço médio subirá pra R$15,38, sendo que você usou BEM menos. Parando pra pensar, faz sentido.

Lógico que por mais que seja um simples cálculo matemático, é um pensamento hipotético, visto que na vida real provavelmente ninguém compra bolsas “da modinha” por R$800.

Mas é uma boa reflexão que pode se estender com jóiasXbijoux, sapatos ou o que te causar dúvida na hora de investir, ousar ou estrapolar. É um aliado pra nossa razão fashionística e não custa nada calcular!

 

E esse papo todo me lembro de 3 posts que fiz (fazendo jabá de mim mesma) e giram em torno dessa reflexão de consumismo exacerbado: Você é uma compradora racional?Investindo bom é jóia!It bag para todas ;D


Deixe seu comentário!
*Preenchimento obrigatório (seu email não será divulgado).
Quer que a sua foto apareça no comentário? Clique aqui e cadastre-se!

58 Comentários
  1. Aninha - 29/06/11 - 16h41

    Post perfeito pra uma consumidora compulsiva, totalmente descontrolada _o/..
    É uma ótima forma de avaliar o que é bem investido ou não, mas deve ser difícil colocar na prática… mas acho que vale a pena dar uma persistida..
    Eu não lembro muito bem dos outros posts ralacionado a vida consumista.. mas tenho certeza que vou reler e reler até entender e fazer uso neh..rsrsrs
    O livro é bom? Vale tê-lo na estante???
    bjos

    Responder
    • Thereza - 29/06/11 - 16h46

      Aninha, vale muito!
      Sem contar que são muito baratos né, coloquei lá os links da Amazon de cada um
      Acabei de comprar o segundo, to ansiosa ;))

  2. Paloma - 29/06/11 - 16h45

    Sempre que analiso as coisas por esta matemática percebo que tenho várias peças que já saíram de graça e outras que jamais deveria ter comprado…
    Beijos, Pá.
    http://www.fashionandotherthings.com
    @papalombo

    Responder
  3. Laís M. - 29/06/11 - 16h49

    Oi Thê, achei super interessante o post, é bem legal esse modo de pensar de que “o uso vai valer o investimento inicial?”, eu como administradora sempre tento pensar assim.rs. E quem sabe ainda adquiro a minha it bag. Não precisa ser necessariamente uma Celine, por que né?! rs.
    Beijos

    Responder
  4. Siena - 29/06/11 - 16h49

    Tem roupa no meu armário que tem mais de 5 anos e ninguém da esssa idade pra elas, e mesmo assim não compro roupas mega caras de 200/300 reais ou mais.
    Acho besteira mesmo que você vá dividir isso por custo a longo prazo, acho desperdício pq muitas dessas roupas não valem tanto assim

    Responder
  5. Páua Lima - 29/06/11 - 16h52

    Eu penso muito antes de comprar. Mas não existe aquele que não cai no impulso.
    Sempre lembro da Becky Bloom: Preciso deste sapato: Não. E solto o bendito produto e sigo em prente. Também gosto de compar uma coisa por vez. Se comprei isso esse mês, espero um bom tempo para outra aquisição, assim fico mais consciênte e meu bolso agradece!

    Responder
  6. Camila - 29/06/11 - 16h54

    The, já li um post sobre isso no Oficina de Estilo, a mtooo tempo atrás.
    Realmente, é uma matemática bastante válida, embora eu quase nunca me lembre de fazê-la… E, pelo menos no meu caso, as peças em que mais “invisto” são as que menos uso (tirando as bolsas), como vestidos de festa e sapatos para acompanhá-los. Em compensação as roupas do dia a dia são as mais baratinhas, e estou sempre repetindo. Deveria ser o contrário?
    Beijo!

    Responder
  7. Ana Paula Alcântara - 29/06/11 - 16h59

    acho esse cálculo super válido, uma vez que as vezes entramos em um shopping pra comprar um presente pra uma amiga e saimos de lá com no minimo 3 sacolas (sim, ja aconteceu comigo, hihihi). O problema é que ao chegar em casa sempre bate um arrependimento (pelo menos eu sou assim) e me pergunto se vou usar aquilo mesmo… Sempre chamei minha mãe de paranóica, pq desde criança sempre encuto: “vai comprar isso minha filha? aposto que nem vai usar depois”, daí falava que “loooogico que vou! sempre quis ter um, blablabla”. Mas na verdade essa perguntinha perpetuou na minha fase adulta na hora de fazer compras… e agora eu que sou a paranóica…hahaha que nem é tanta paranóia assim, é conciência..

    adorei o post Tetê!!!
    beijos

    Responder
  8. thais - 29/06/11 - 17h06

    eu sempre me auto-engano com essa conta, do tipo “lógico que vou usar sempre!” “já tenho 3 idéias diferentes de como usar!” “combina com numseiquê!”, e fico achando que nem precisa fazer conta. tipo quando vc fazia teste da capricho e “fingia” que respondia a C pq dava o resultado que vc queria.
    a mais picareta de todas.

    de livros-fashionistas, comprei o da nina (the one hundred) e gostei médio, comprei o da luella (luella’s guide to english style) e gostei horrores! vou testar esse do WWW :)

    Responder
  9. Le - 29/06/11 - 17h12

    Muito legal o post The! A primeira vez que eu li isso foi em alguma entrevista com a Manu Carvalho, que ela frisava exatamente esse ponto: o valor das coisas era calculado através de quanto íamos usar aquilo! Pensando em valores talvez fique mais claro para muita gente né? xoxo

    Responder
  10. Tati Canto - 29/06/11 - 17h14

    Verdade, Thê! Post pra refletir esse, ando pensando muito nisso, a durabilidade da peças, não só em termos de qualidade, mas de uso mesmo…
    Bjs, Tati
    http://loveshoesblog.wordpress.com
    @loveshoesblog

    Responder
  11. Maria Regina Vivas - 29/06/11 - 17h35

    Parabéns lindona! Esse post está perfeito!
    Todo mundo deveria ler.
    Amei!!!

    Beijão
    Mamah
    http://mamahvivas.blogspot.com

    Responder
  12. Julia - 29/06/11 - 18h26

    Ótimo post, Thereza. Porque a gente precisa parar e questionar o consumo de vez enquando, né?!
    beijos
    LUV!

    Responder
  13. Isabela - 29/06/11 - 19h28

    Mas eu achei que as “super bolsas/it bags” fossem as bolsas da modinha?!

    Responder
    • Thereza - 29/06/11 - 20h21

      Nãão, bolsa da modinha, ok podem ser certas itbags, mas sao aquelas bolsas menos convencionais, seja pela cor, formato diferente, não é aquela coisa muito clássica e facilmente enjoativa
      bjs!!

  14. Lucia Torres - 29/06/11 - 20h05

    The,amei o post!!Reeducacao fashionista rs!Comprar ou nao comprar! eh sempre bom pensar direitinho, senao meses depois acabo doando e a vida nao estah pra essas coisas.Eu ateh prefiro optar por uma bolsa eterna, tipo uma Chanel (sonho),mas vou comecar a fazer uma poupanca pra eu comprar uma marca nobre!The vc como sempre nos ajudando nas decisoes!Vc eh de ouro!!bjs

    Responder
  15. […] Teresa Chammas, do blog Fashionismo fez um post interessante sobre o consumo consciente – custo x benefício. Ou seja, compensa mais gastar muito em uma peça de qualidade que durará décadas do que em uma […]

    Responder
  16. Monique Marques - 29/06/11 - 20h34

    Nossa Thê, mais uma vez você nos mostrou uma nova forma de pensar.

    Já tinha percebido que algumas peças minhas já se pagaram pelo uso, mas essa é uma boa forma de se pensar. Tenho preferido comprar coisas mais clássicas do que “modinhas”, e isso é um reflexo desta nova matemática.

    É claro que ainda tenho peças que nem começaram a se pagar, e até por isso criei o http://reciclothes.blogspot.com/, para tentar resgatar esse dindin…

    Vou ter esse cálculo em mente nas próximas compras…

    Bjs,
    Monique

    Responder
  17. Carol Lancelloti - 29/06/11 - 20h55

    Adorei esse post, The, porque mesmo sem ter a intenção, tem pegada eco-friendly. hahah Porque esse pensamento estimula a comprarmos o que realmente amamos e vamos usar a vida inteira. O produto vai durar, você não vai precisar consumir tanto e o planeta sai ganhando.

    Beijos!

    Responder
  18. Alice - 29/06/11 - 21h02

    Post interessantíssimo! vc é uma das raríssimas pessoas na blogsfera que tem pensamento crítico sobre a moda, ao contrário de outras que pregam à exaustão o consumo desenfreado, irracional e irresponsável. Como diz o ditado ”chic é ser inteligente”

    Responder
  19. Allie - 29/06/11 - 21h13

    Aiiinnn eu sempre calculo meus gastos mais ou menos assim tb! Ate nas coisas mais banais mas nao menos importantes, como um shampoo por ex ou um oleo para cabelo aloouuu Marrocanoil eu penso mais ou menos qto tempo aqui vai durar dai eu faco assim eh como se eu estivesse “alugando” aquela coisa por 1 real ao dia vai, entao se o tal shampoo vai durar uns 60 dias vale pagar 60 reais por ele entende? E eu faco isso tb com bolsa certooo e sapato tb! Mas eu nao sei se eh pq to cansadona agora, mas eu nao consegui entender o calculo acima?? :(
    Sorry girls eu to lenta hj mesmo! Acho que fui a unica que nao entendi direito!!! Vou ler de novo ver se consigo captar! hahaha otimo post The! bjo bjo

    Responder
  20. Allie - 29/06/11 - 21h16

    Ahh ta! So pra nao parecer uma retard eu queria dizer que agora entendi! Eh que esse calculo ai acima eh pra descobrir qto vc estaria pagando por usada neh? O meu calculo era o contrario mais menos… tipo a 1 real por dia qto tempo tal coisa duraria! Mas entendi! Vou super aplicar! Alias vou ja falar pro meu namorado quanto por dia ele estara pagando na bolsa que eu quero hahaha. bjossss

    Responder
    • Thereza - 29/06/11 - 21h20

      kkk eu ja ia te explicar, aline ;))
      é o preço que custa quantas vezes voce usa no ano, se vale a pena, mais ou menos isso!!

  21. Dani Boyd - 29/06/11 - 21h18

    Meus irmaos me chamam de Monica porque quando eu compro uma coisa eu uso so ela e ela forever amem. Claro, jogo com pecas diferentes e tsl.

    Mas, desculpa a sinceridade, eu nao tenho coragem de gastar mais de 100 reais numa bolsa. A calca mais cara que eu ja comprei foi duzentao… e eu me recuso a comprar coisa vagabunda e que daqui 5 meses nao vou mais usar.

    Responder
  22. Cássia - 29/06/11 - 21h21

    Eu sou totalmente compulsiva, compro tanta coisa por impulso e depois me arrependo, já dei pilhas de roupas embora que nunca nem cheguei a usar. Mas nao gasto 1.500 numa bolsa. A minha bolsa mais “cara” foi de 300,00….

    Mas ultimamemnte to pensando mais para gastar.

    Responder
  23. Aretha de Moura Freire - 29/06/11 - 22h26

    Adorei!!! Muito Bom!!!! Estava com uma dúvida na cabeça que já foi sanada.

    XOXO

    Responder
  24. Carol - 29/06/11 - 23h07

    Muito bom o post! Amei, como sempre!
    Bjs
    Carol
    http://blogbytheway.com

    Responder
  25. Mafe Furquim - 29/06/11 - 23h14

    The, eu faço essa conta há anos! E todas as minhas amigas que eu expliquei super concordam q faz sentido!
    E agora pra época de liquidação que a gente vê coisas lindas, mas que definitivamente não cabem no nosso dia a dia é um ótimo aliado!
    Outra pergunta!
    Que livro é esse???
    Eu adoro o site deles, mas não sabia q existia livro!
    Beijos
    Mafe

    http://www.atualatual.blogspot.com

    Responder
  26. Dulci - 29/06/11 - 23h38

    amei o post, super útil acho que a idade faz a gente pensar melhor mesmo, tbem li os três posts sugeridos no final e super concordo com todos da Lv as jóias, eu tenho uma promessa comigo mesmo que todo ano tenho que adquirir uma jóia (inha) que seja e evito comprar bijus. Beijo

    Responder
  27. Juliana - 30/06/11 - 00h57

    Eu seemmmpre faco essa continha… Inclusive vou alem! Se investi tanta grana numa LV, por exemplo, pra que vou guarda-la no armario? Coloco logo pra jogo! Sempre falo isso com uma amiga q fica com peninha de usar as coisas boas q compra, tipo bolsas e sapatos…

    By the way, parabens por fazer o ranking dos blogs mais influentes! Arrasou! E o mais bacana eh q pra mim vc eh a blogueira brasuca (apesar de morar nos EUA leio seu blog todo dia) mais bacana, pe no chao, conectada com a realidade das pores mortals q nao podem viver montadas no Louboutin! A gente agradece!

    Beijos,

    Responder
  28. Adorei este post!!! Acho super valido pois apesar de ser matematico acho que é bem real!!!
    PArabens The!!
    beijos
    Ma Amorim – Blog Tips and Trends
    http://blogtipsandtrends.blogspot.com/
    twitter: @_tipsandtrends

    Responder
  29. Débora - 30/06/11 - 09h48

    Thê,

    Vc é a mais racional das blogueiras que vejo (leio). Nao quero fazer critica a nada ou ninguem, ate pq nao levo uma vida franciscana, gosto de comprar e sou vaidosa, mas as vezes me incomoda a forçação de barra para estarmos sempre consumindo coisas a preços exorbitantes q no proximo mes nao servirá para tanto… esse é o tipo do post que me faz sempre entrar no seu blog. Um beijo!

    Responder
  30. Ana Maria Casaque - 30/06/11 - 10h41

    Já li sobre este cálculo no livro “Na Moda com Isabela Fiorentino”. Realmente, preciso por em prática.
    Ah! Li seu post “Investimento de Ouro” e encontrei na net um anel idêntico ao do Antonio Bernardo e com o preço em dólares, porém um pouco mais amigo! É de uma marca chamada Avanessi e ainda se encontra em ouro rosa e ouro branco *-* Confira no site! http://www.avanessi.com/product-detail.php?pid=179&cid=85
    Bjss

    Responder
  31. Pa - 30/06/11 - 10h47

    Ai The, esse post caiu super bem, estou 100% nessa fase de começar a me preocuoar mais com qualidade, durabilidade, aproveitando os classicos para seguir as tendencias que curto, de fato vale muito mais a pena. Bjs PA
    http://www.useinaoqueromais.blogspot.com/

    Responder
  32. Maysa Leão - 30/06/11 - 10h56

    É isso mesmo Thereza, as vezes a gente sai correndo pra comprar um lançamento e na fora de vestir descobrimos que temos pilhas de ítens descoordenados no guarda-roupa! Por isso é legal investir em peças de qualidade, mas analisar o contexto antes de levar pra casa!

    Convido vc e todas as leitoras a darem uma passadinha no http://www.malacomrodinha.com e ver o post de hoje, sobre MIX DE ESTAMPAS! As vezes dá para inovar, sem a necessidade comprar algo novo!

    Bjo bjo bjo!

    Responder
  33. Thaise - 30/06/11 - 12h20

    Vale à pena aplicar essa fórmula em tudo o q a gnt consome, tdo mesmo… e ainda dá pra ir um pouquinho mais além, ex: pq nao comprar uma máscara kerastase, usar “n” vezes e fazer a sua hidrataçao caprichadinha em casa, do que gastar o mesmo preço numa única ida ao salao, com a única diferenç da escov (que no meu caso nao dura mais q um dia)?
    Sou suuuper a favor de consumir/investir em bons produtos, caros e de qualidade, mas sempree, sempre avaliar o custoxbenefício.

    Parabéns pelo reconhecimento, Thereza, vc merece.
    um beijo.

    Responder
  34. isabela matte - 30/06/11 - 12h30

    Theresa, eu amo vc de paixão mas vou ter que discordar. Nem tudo dá pra medir em dinheiro ou em quantas vezes vou usar. E o brilho nos olhos de se olhar no espelho e se achar liiinda com uma roupa nova ou com uma bolsa que vc queria muito..quanto vale isso? Eu tenho só 12 anos e acho totalmente brega sair por ai comprando tudo que vejo pela frente, nunca fui assim, mas tem coisas que vc sabe que nem vai usar muito, que vai sair de moda logo, mas se vc comprar vai ficar muito muito feliz..nem que seja por um tempinho.Aí nessas horas não dá pra fazer muita conta, né? Bem, meus pais me acham consumista e já estou tratando de correr atrás pra ganhar o meu dinheiro. Então, queria te pedir pra dar uma olhadinha no meu blog (não, não sou concorrente e meus assuntos são muito muito bobos pra vc). A sua opinião ia valer o MUNDO pra mim! By the way, se quiser divulgar o meu site nos seus links eu não vou me incomodar nem um pouco, viu? hahah Um beijão, Isabela Matte. http://www.isabelamatte.com

    Responder
  35. Amanda Rodrigues - 30/06/11 - 13h12

    O Post caiu como uma luuuva, pra pessoas consumistar como eu.
    É muito importante se “dominar” , respirar um pouco, e simplesmente pensar, e não deixar só o impulso determinar as coisas,
    justamente
    durante nossos surtos consumistas, que no meu caso ocorrem sempre
    que estou com meu cartão e vejo algo “it”.
    Excelente post.
    Um abraço ~~

    Responder
  36. Anônimo - 30/06/11 - 13h18

    É o argumento que minha mãe usa quando compra suas bolsas de R$500, R$600! Mas é verdade, a durabilidade de produtos de boa qualidade é impressionante!
    Vale a pena gastar o dinheirinho numa coisa que voce vai usar mais e vai durar mais, né!
    Bjs, Raffa
    sorvetefashion.blogspot.com

    Responder
  37. Matheus Barbosa - 30/06/11 - 13h24

    olá pessoal,eu visito sempre esse site e adoro ele.Visitem meu blog e saibam algumas novidades sobre o mundo da moda.

    Responder
  38. Tati Gallo - 30/06/11 - 13h33

    Sabe que eu já tinha pensado nisso?
    Administradora é assim mesmo! hahaha
    Inclusive já discuti isso em aula com um professor economista e pão duro nato!
    Foi assim que tive a certeza que certas coisas eu jamais deveria ter comprado… preço não tão amigo (na média) porém, de péssima qualidade!

    Responder
  39. Nathália - 30/06/11 - 15h23

    Oi Thereza, acampanho seu trabalho todos os dias!! você sabe o que faz hehehe
    Queria dar uma sugestão de post que nunca vi em nenhum blog…
    Como a maioria que lê são meninas relis mortais rs.. que muitas vezes fazem um pé de meia durante um bom tempo p comprar AQUELA it bag, gostaria que colocasse os peços das principais it bags… Como Channel, Celine Lugagge, Hermes, entre outras…
    bjao

    Responder
  40. Danieli - 30/06/11 - 15h31

    Thereza,O Fashionismo é minha leitura de todo dia.Adoro o jeito que você escreve!!!
    e mais ainda,vc não enche o blog de jabás,Vc não é uma garota estupida……
    Pra mim,o melhor blog que existe.

    Responder
  41. Vil Muniz - 30/06/11 - 15h56

    Oi Thereza,conheci seu blog há pouquinho tempo,tô amando!!!bem variado, com matérias bastante interessantes e dicas sensacionais!!!Hoje estou debutando nos comentários e, realmente você tem razão,precisamos colocar a razão na frente se não acabamos coprando tuuudo que vem pela frente…
    PARABÉNS PELO BLOG!!!!! SUCESSO!!
    Beijocas!!!

    Responder
  42. Patty Oliuza - 30/06/11 - 16h17

    Adoro posts reflexivos, amo refletir sobre tudo, desmembrar uma questão torna as coisas mais interessantes…
    Estive refletindo sobre a frase que a Natalie Lamour soltou na novela Insensato Coração, SER MAGRA OU SER FELIZ? E acabei falando sobre isso no meu blog.
    Valeu pela sua reflexão, bem consciente! Bjo

    Responder
  43. Aline Mori - 30/06/11 - 19h46

    Amei o post! O blog está excelente, sempre consistente e sem overload de jabá! Merece muito estar entre os mais relevantes do mundooo!! Bjos!

    Responder
  44. Alice Marques - 30/06/11 - 21h43

    Nossaa, adorei. estou pra comprar o livro mas sempre me esqueço e definitivamente preciso dele…rs

    Responder
  45. barbara - 01/07/11 - 10h36

    Pra quem já comprou, já gastou e já tá com o preju vale exercitar o mesmo raciocínio ao contrario e usar de monte a tal peça, sem vergonha de repetir.

    Responder
  46. barbara - 01/07/11 - 10h36

    Para mim o pior tipo de investimento é em vestidos de festa, pois gosto que sejam bem feitos, com tecidos de seda e entao saem uma banana e daí não dá muito pra repetir tantas vezes…

    Responder
  47. Andrea - 01/07/11 - 13h25

    Oi Thereza, não sei se é minha formação em finanças mas meu critério para comprar algo (independente de preço) é quantas vezes eu vou poder usar a peça. Eu chamo de “depreciação”, então uma peça só pode custar, no máximo, o número de vezes q eu vou usá-la. Resumindo, cada usada custará um realzito. Dói bem menos na consciência e acaba inibindo o consumo…

    Responder
  48. Talita - 04/07/11 - 00h53

    Esse cálculo é clássico, né?
    Sempre penso nisso quando vou comprar algo…

    Responder
  49. […] que super rendeu foi o da “Idade mental do seu armário”, aliás, como anda a sua? Esse post conta se seu investimento fashion-consumista vale a pena. Também falei do dresscode matrimonial, […]

    Responder
  50. Julia - 12/11/12 - 20h17
    Responder
  51. Thalita - 12/11/12 - 20h53

    Thereza,
    Acredito que o título it é para destacar, seja a pessoa ou uma peça fashion. E por isso te digo: meu voto vai pra Dior! (tô vindo do link do Facebook, Chanel ou Prada). Tenho visto tantas mulheres com Chanel e Prada que tô considerando it-bag-coisa-nenhuma-se-todo-mundo-tem!!!
    P.S.: As flores da L`Occitane vem da França pras franquias!!! :(

    Responder
  52. […] porque se qualquer um das situações acima se aplicar o resultado será ainda mais desastroso. O Blog Fashionismo dá uma dica de como calcular um valor diário para cara item que você tem. Veja aqui! O problema […]

    Responder
  53. Talyta Bastos - 05/09/15 - 15h05

    Acho excelente esse tipo de reflexão, The! Sou consultora de imagem e estilo e quando apresento às minhas clientes a etapa de personal shopper faço alguns exercícios sobre esse tipo de pensamento. A reflexão a respeito do que consumimos se vamos realmente aproveitar ou se é somente mais um objeto de desejo momentâneo é muito importante para nosso bolso, principalmente nos dias atuais. Beijos, The! Que bom que você voltou de viagem

    Responder
  54. Karol - 05/09/15 - 18h40

    Sei não…pensando friamente (e sem entrar no mérito da qualidade) me parece mais um justificativa para incentivar a compra de produtos mais caros, ao invés de mais baratos (como se mulher precisasse de justificativa pra isso rs). Que diferença irá fazer o valor por uso? O dinheiro já foi desembolsado!
    A justificativa da durabilidade, aí sim, é um fator relevante.

    The, você já assistiu o documentário THE TRUE COST? (tá disponível no NetFlix). Fala sobre os custos de produção de moda que consumimos hoje, com foco nas fast fashion. Fala um pouco sobre o marketing e a criação dos desejos de compra tb. Impossível parar de consumir, mas qualquer ser humano com um coração no peito vai sentir um pouco de culpa a cada vez que entrar na forevinha. Vale a pena assistir pra exatamente pensar esse boom no consumo.

    bjs

    Responder